A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História

A história e a evolução do carro elétrico | Parte final: declínio, fracasso e renascimento

Em 1899, exatos 120 anos atrás, um carro elétrico com formato de torpedo e o eloquente nome La Jamais Contente foi o primeiro automóvel na história a ultrapassar os 100 km/h. Ao volante de sua criação, que tinha dois motores elétricos (um para cada eixo) e potência total de 68 cv, o inventor belga Camille Jenatzy beliscou os 106 km/h em uma estrada nos arredores de Paris. Foi um grande marco, e sinalizava um grande futuro para os carros elétricos. Exceto que... não aconteceu. O que aconteceu foi o seguinte: três anos antes, em 1886, o alemão Karl Benz montava o primeiro automóvel com motor de combustão interna produzido em série e vendido ao público. Uma pequena série, diga-se: por volta de 25 carros foram fabricados entre 1886 e 1893. Mas foi o bastante para colocar uma pedra no caminho dos elétricos. Uma pedra que, até recentemente, parecia não ir a lugar algum, como comentamos no post anterior. O motor a combustão de ciclo Otto, com pistões reciprocantes, não tardou a se torna

Matérias relacionadas

WAT? Motor traseiro e tração dianteira? Conheça o Dynomaxion

Dalmo Hernandes

Polimotor: a história do carro de corrida que tinha um motor de plástico

Leonardo Contesini

O Fiat Abarth 1000 TC é um dos carros 1.0 mais legais do mundo

Dalmo Hernandes