A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture História

Aston Martin V8 Vantage: quando o carro mais potente do mundo tinha… 600 cv

Em 2005, onze anos atrás, o mundo automotivo viveu um momento histórico: pela primeira vez, um carro produzido em série (limitada, é verdade) ultrapassava a barreira dos 1.000 cv — o hiperesportivo tinha 1.020 cv saídos de seu motor W16 quadriturbo de oito litros, e com isto era capaz de chegar aos 100 km/h em 2,5 segundos, com máxima superior a 400 km/h. A gente sabe que o Bugatti Veyron foi feito exatamente para ser a materialização do exagero sobre rodas, e que não são necessários quatro turbos e dezesseis cilindros para ser tão rápido. Só que a Bugatti queria mesmo fazer o carro mais potente, mais veloz e mais opulento do mundo — além das razões técnicas (afinal, o Veyron pesa quase 1.900 kg), havia a questão do marketing. É a mesma coisa com o Bugatti Chiron, seu recém-revelado sucessor: para superar o Veyron, ele terá 1.500 cv vindos de uma versão atualizada do motor W16. Mas sabe por que a gente está falando isto tudo? Porque, apenas cinco anos antes do lançamento do V

Matérias relacionadas

Ferrari F1 Clienti: quando os fãs (milionários) da marca vão para a pista em seus próprios carros de Fórmula 1 da Scuderia

Dalmo Hernandes

Três italianos em Genebra: Alfa Romeo Disco Volante, Pagani Zonda Revolucion e Maserati Alfieri

Leonardo Contesini

Por que você não deve usar água da torneira no radiador do carro

Leonardo Contesini