A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

BMW 635CSi: um clássico cupê alemão de seis cilindros à venda no Brasil

A BMW é uma das poucas fabricantes que ainda insistem na tradicional configuração de seis cilindros em linha – não só para seus esportivos, mas diversos carros ao longo de sua gama. Tem a ver com respeito à tradição, de forma similar ao que a Porsche faz com seus motores boxer, por exemplo. E se você quiser ter uma bela amostra desta tradição na sua garagem, nosso Achado meio Perdido de hoje pode ser uma opção interessante.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

 

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Trata-se do primeiro BMW Série 6 – a geração E24, lançada em 1976 com o belíssimo desenho de Paul Bracq. O carro é um belo representante da BMW clássica, com proporções alongadas e esbeltas, um Hofmeister Kink bem pronunciado (por influência do próprio Wilhelm Hofmeister, que foi o projetista do BMW E9, antecessor direto do E24) e, talvez o mais importante, um seis-em-linha aspirado debaixo do capô, sempre.

O deslocamento variava entre 2,8 litros, três litros e 3,5 litros, dependendo da versão. E a nomenclatura fazia total sentido: 628CSi, 630CS (com motor carburado) e 635CSi – algo que provavelmente a BMW não nos dará o prazer de ver novamente. Havia também o BMW M635CSi, que utilizava motores diferentes dependendo do mercado: na Europa, ele tinha o mesmo motor M88 dos BMW M1 e M5, com 286 cv.

O exemplar anunciado no GT40 é um BMW 635CSi de especificação norte-americana fabricado em 1986, exatos dez anos depois do lançamento. Na época, a legislação dos Estados Unidos obrigava que todos os carros novos vendidos no país tivessem para-choques de impulsão que evitassem danos ao carro em colisões a até 8 km/h (5 mph). Muitos carros sofriam bastante com esta exigência no departamento estético, mas felizmente o Série 6 E24 foi um dos que melhor lidaram com eles – as proporções da longa carroceria de quase 4,80 metros lidavam melhor com as peças maiores.

O motor era o mesmo seis-em-linha M30 usado pelo modelo europeu, com 3.430 cm³ (arredondados para cima) com injeção Bosch Motronic 1.3, comando simples no cabeçote e bloco de alumínio. Contudo, a instalação de um coletor de admissão mais restritivo e de um catalisador reduziu a potência de 218 cv para 185 cv. Ainda assim, era um motor suave e com torque generoso (29,5 kgfm) e suficiente para levar o cupê de zero a 100 km/h na casa dos oito segundos baixos. O motor podia ser ligado a uma caixa manual de cinco marchas ou, como no caso deste exemplar, automática de três marchas (passando a quatro marchas no modelo 1987).

O anunciante, Bird Clemente Jr., diz que o carro jamais foi restaurado – está com exatamente a mesma pintura, os mesmos revestimentos internos e a mesma mecânica com as quais saiu da fábrica em Dingolfing, na Alemanha, há 34 anos. Com cerca de 50.000 milhas marcadas no hodômetro, porém – o equivalente a pouco mais de 80.000 km – ele está em ótimo estado de conservação.

Posicionado abaixo apenas do M635CSi (ou M6 no mercado norte-americano), o 635CSi era muito bem equipado para a época. Além da suíte obrigatória de itens de conforto dos carros mais caros – direção assistida, volante ajustável, ar-condicionado e travas, vidros e retrovisores elétricos, ele tinha requintes como computador de bordo e até mesmo cruise control.

De acordo com o vendedor, o BMW traz todos os equipamentos funcionando perfeitamente e mecânica revisada. Ele também acrescenta que o revestimento interno em couro bordô, as rodas e os demais detalhes de acabamento – como emblemas, grade, frisos, vidros e sistema de iluminação – também são originais e estão em perfeito estado.

Talvez o fato de se tratar de um sobrevivente, torne este exemplar do BMW 635CSi mais interessante que um carro impecavelmente restaurado – especialmente porque, apesar da idade, a engenharia alemã resiste muito bem ao teste do tempo e, como é padrão na indústria germânica, é possível encontrar peças para manutenção novas sem dificuldade (desde que se esteja disposto a pagar o preço e as taxas de importação, evidentemente).

Se você ficou interessado, pode clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Não é sempre que se vê um Fiat Uno 1.6R 1990 todo original e impecável como este à venda

Dalmo Hernandes

Este BMW Série 1 com motor V8 do M5 e 450 cv está pronto para as pistas – e à venda no Brasil!

Dalmo Hernandes

Este Chevette 1973 foi um dos primeiros fabricados no Brasil e agora pode ser seu

Dalmo Hernandes