A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
História Zero a 300

Como a Pininfarina moldou a imagem da Ferrari com madeira e alumínio

As Ferrari atuais são carros agressivos, cheios de reentrâncias, com faróis que parecem olhos zangados e enormes entradas de ar que lembram sorrisos maléficos. Não vamos reclamar das proporções – a postura da recente 812 Superfast, por exemplo, é matadora – mas há quem diga que uma Ferrari deve ser mais limpa, mais discreta, mais elegante. Mesmo a F40, com sua asa traseira grande e cheia de personalidade, tinha nas formas retilíneas um senso de propósito muito grande. Era isto que a tornava chamativa, e não formas chamativas em si. Há quem diga, também, que isto se deve, ao longo dos anos, a participação do estúdio Pininfarina na hora de definir as linhas das Ferrari. O último carro de Maranello com carroceria assinada em parceria com estúdio. A Ferrari F12berlinetta foi a última, substituída no ano passado pela 812 Superfast. Você deve ter percebido que, apesar das proporções gerais serem mantidas

Matérias relacionadas

Alfa Romeo 33 Stradale, o supercarro que tinha um coração

Leonardo Contesini

Volkswagen Up GTI testado: como anda o sucessor espiritual do Golf GTI Mk1?

Dalmo Hernandes

Corcel roubado é encontrado depois de 36 anos, “NUTZ” – o filme sobre os petrolheads brasileiros já tem data de estreia, um Mercedes S63 AMG de 1.000 cv e mais!

Leonardo Contesini