A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture História Zero a 300

Dos aviões de caça para os automóveis: a evolução do head-up display (HUD)

Normalmente a gente os vê em filmes de ficção científica: quando um personagem pilota algum veículo ou olha pelo visor do seu capacete, há dados exibidos em sua superfície. Números, gráficos, barras, tudo o que for necessário para saber a quantas anda seu equipamento sem precisar desviar o foco do que está à sua frente. Acontece que há muito tempo os head-up displays, ou HUDs, não são coisa de ficção científica. Muito tempo mesmo: desde a década de 1940 eles são usados em aviões. Na época, a Royal Air Force do Reino Unido começou a projetar imagens do visor do radar em uma área plana do para-brisa. A ideia era evitar que os pilotos perdessem tempo desviando o foco do que estava à frente para olhar a tela do radar. HUD em um avião  Isto só é possível porque as imagens são colimadas, isto é: os raios de luz que as produzem são paralelos. Com isto, as informações que aparecem no para-brisa são projetadas em foco infinito – é preciso focar no que está além

Matérias relacionadas

Tudo o que você precisa saber sobre fluxo de cabeçotes

Rodrigo Passos

Este Chevrolet Corsa 1.8 16v é um monstrinho dos track days – e pode ser seu!

Dalmo Hernandes

A reviravolta da Renault Alaskan e Mercedes Classe X no Brasil, Kwid Outsider em maio, Aston Vantage terá câmbio manual e mais!