A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Este BMW Série 1 com motor V8 do M5 e 450 cv está pronto para as pistas – e à venda no Brasil!

A maioria dos nossos “Achados Meio Perdidos” é formada por carros de rua, alguns nacionais raros ou clássicos bem conservados, carros importados e até modelos preparados. Mas isso não significa que carros de corrida não tenham seu espaço aqui, e este é exatamente o caso do Achado de hoje: um BMW Série 1 preparado até a tampa para competições de endurance, com um V8 de cinco litros e 450 cv debaixo do capô. Só que a gente não está falando de qualquer V8, e sim do S62 do BMW M5 E39 — uma das gerações favoritas dos entusiastas.

O carro foi montado pela concessionária Eurobike, revendedora autorizada BMW em São Paulo, com o intuito de participar de competições de Endurance no Brasil, como a 500 Km de Interlagos ou a 1000 Km de Brasília. Para isto, a Eurobike contou com a ajuda da equipe Power Pistons.

bmw-racecar (1)

Para dar corpo ao projeto, a Eurobike usou um BMW Série 1 E87 — a primeira geração do hatch da BMW — fabricado em 2004. O monobloco foi preparado pela divisão Motorsport na Alemanha, onde também recebeu gaiola de proteção completa e suportes para air jack (os macacos pneumáticos usados nos carros de turismo). Todo resto do trabalho foi realizado no Brasil — e foi muito bem feito, diga-se.

bmw-racecar (4)

Para começar, o monobloco foi todo adaptado para receber um conjunto mecânico feito sob medida: o motor V8 S62 de 4,9 litros usado no BMW M5 da geração E39, acoplado a uma caixa Hewland IGT, sequencial de seis marchas, com carcaça de magnésio. Foram realizadas alterações na parede corta-fogo e nas longarinas de modo a instalar o motor em posição mais baixa e recuada (em 15 cm e 25 cm, respectivamente), melhorando a distribuição de peso e abaixando o centro de gravidade — essencial para compensar o peso extra na dianteira. O conjunto mecânico também foi realinhado em relação ao diferencial traseiro.

bmw-racecar (10)

O motor não passou por muitas modificações. Foi instalado um sistema de injeção Motec, radiador CR Racing, radiador de óleo e cárter seco — com bomba externa Peterson de alta pressão, e um reservatório com capacidade para 12 litros dentro do carro, o que exigiu que o túnel central fosse refeito.

No total o V8 produz cerca de 450 cv – em um carro que teve boa parte dos painéis da carroceria substituídos por peças de fibra de carbono fabricada na Alemanha pela Floßman, com para-lamas alargados para acomodar as rodas BBS de 18×8” na dianteira e 18×10” na traseira. A potência é levada para as rodas traseiras através de um diferencial Drexler com bloqueio fixo de 70%, bomba de óleo Tilton e radiador Setrab. A peça é a mesma usada no BMW M3 E46, que também cedeu as juntas homocinéticas ao projeto.

bmw-racecar (7)

A suspensão do carro recebeu novos amortecedores da KW, com regulagem de compressão e retorno, e barras estabilizadoras dianteira e traseira com uniballs, permitindo regulagem de carga onboard – recurso interessante para ajustar a dinâmica conforme a temperatura dos pneus e da pista, ou mesmo o esvaziamento do tanque de gasolina, o que muda o balanço do veículo. Os freios são da argentina Doppler, com discos de 380 mm e pinças de seis pistões na dianteira e 345 mm e pinças de seis pistões na traseira (os pistões são de titânio), cilindro mestre Tilton e mangueiras de Aeroquip.

bmw-racecar (3) bmw-racecar (11)

O interior, como em todo carro de corrida, foi reduzido ao essencial: quadro de instrumentos de fibra de carbono com painel digital AIM, banco de competição Sparco Evo 2 Plus, cintos de competição Sabelt e console de fibra de carbono com todos os comandos para o piloto, além de um sistema de supressão de incêndio homologado pela FIA. Na traseira é possível ver parte da gaiola de proteção e a célula de combustível com capacidade para 100 litros e bocais de abastecimento rápido. O combustível é levado para o motor por duas bombas de alta vazão a 5 bar de pressão.

bmw-racecar (9)

Obviamente trata-se de um carro muito rápido. Para se ter uma ideia, seu melhor tempo em Interlagos foi de 1:45,3, em uma volta de shakedown com Ricardo Landi ao volante do carro recém-montado, antes de realizar os acertos finais, sem levar o carro ao limite — como referência, os carros da stock fazem a volta em 1:38 nas classificações em Interlagos. Ou seja: há potencial para baixar ainda mais esse tempo. Porém o peso extra na dianteira e o entre-eixos curto exigem uma tocada precisa e limpa — ao mesmo tempo em que há uma tendência ao sub-esterço, não é difícil fazer a traseira desgarrar ao aplicar um pouco mais de força com o pé direito.

O valor pedido é condizente com o de um carro preparado neste nível: R$ 200 mil. Contudo, Ronaldo diz que é possível negociar um bom desconto ao se optar pela substituição de  alguns componentes — como a troca do câmbio Hewland sequencial de seis marchas pela transmissão manual de seis marchas original, e a instalação de amortecedores Bilstein.

De qualquer forma, trata-se de um carro de corrida de alto padrão, com componentes importados de ponta (e caríssimos), e que com certeza custou bem mais do que o valor pedido. É impossível construir um Série 1 deste nível com o valor cobrado.

A razão da venda, segundo o anunciante, é a falta de pilotos com recursos suficientes pra custear um carro desses atualmente e falta de campeonatos de endurance no país.

bmw-racecar (2)

Os vídeos abaixo mostram o carro visto de fora e também outros projetos da Power Pistons para a Eurobike, como um M3 E92 GTS:

Se você se interessou, pode entrar em contato com Ronaldo Spindola pelo email [email protected] ou pelo celular (11) 9 4767 2718.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de uma reportagem aprofundada e não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

Matérias relacionadas

Chevette Silpo Bi-Albero: comando duplo e preparação de época à venda

Dalmo Hernandes

Este é nada menos que o Mercedes-Benz 560 SL AMG 6.0 V8 de Michael Schumacher – e um dos três que existem no mundo

Dalmo Hernandes

A evolução do ícone: a história do BMW M3 E30 Evolution

Dalmo Hernandes