A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Car Culture

Este bonito Opala 1974 com motor V8 350 está à venda!

É de consenso geral que o Opala, primeiro Chevrolet desenvolvido para o Brasil, merecia um V8 nas versões esportivas. Claro, há quem prefira o seis-em-linha – que tem seu charme e suas qualidades, com certeza –, mas oito cilindros em V certamente amarrariam com fio de ouro a receita de pony car multinacional do Chevrolet Opala.

Não é por acaso que o Opaloito é um projeto de swap relativamente popular, em especial com o V8 small block 350 da Chevrolet – um motor fácil de encontrar, robusto e, talvez o mais importante, sob medida para o projeto do Opala em força e dimensões.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até três carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

A arte do engine swap, porém, não é para qualquer um – demanda tempo, dinheiro e experiência. Ou só dinheiro, bastante dinheiro. Então, se você procura um Opala V8 já pronto, achou: o Achado meio Perdido de hoje é um Opala 1974 com o V8 de um Chevrolet Suburban. Está pronto, redondinho, bem cuidado e anunciado no GT40, as usual.

 

 

Antes de qualquer coisa: os assinantes do Clubsport, nosso canal de vídeos exclusivos, já conhecem esse carro: ele foi o protagonista do último episódio do Barata Drives, com o Juliano ao volante e o proprietário, Alexandre Gama, no banco do carona explicando tudo a respeito. É uma ótima não só para ver o carro em movimento e constatar a qualidade do projeto, mas também para ouvir o belíssimo ronco do V8 350. Um som que ouvimos há décadas mas nunca enjoamos.

Mas aqui vai o básico que você precisa saber sobre esse carro, mesmo sem ter assistido – embora recomendemos fortemente que o faça. Alexandre está com este Opala há bastante tempo, quase 15 anos, e cuida muito bem do carro. Ele decidiu colocar um V8 no cofre depois de, nos EUA, dar uma volta em um carro da Nascar no Richard Petty Driving Experience, no lendário oval de Daytona. Ao voltar para o Brasil, procurou um bom exemplar do Opala e comprou o V8 de uma Chevrolet Suburban que não podia mais rodar.

O swap foi feito de forma até que conservadora – o motor foi mantido totalmente stock, e o câmbio de quatro marchas com alavanca no assoalho do Opala foi mantido, bem como diferencial e demais partes do conjunto mecânico. Alexandre queria um carro que fosse coerente, confiável e bem acertado, como se tivesse vindo de fábrica com o V8 no cofre. Mais potente e torcudo que o seis-em-linha de 3,8 litros; e também mais curto, largo e recuado no cofre, ele deixa o carro mais equilibrado em curvas e, nas arrancadas (ou saídas de semáforo), provoca aquela levantada na dianteira e faz a carroceria chacoalhar com o torque em baixa.

Com câmbio de quatro marchas tem relação final de diferencial relativamente longa, o Opala tem fôlego em baixas rotações e uma boa reserva de potência na estrada, em velocidade de cruzeiro. Mas Alexandre colocaria um câmbio de cinco marchas, caso não fosse vendê-lo.

O motor é alimentado por um carburador Edelbrock quadrijet 600cfm, e teve os coletores de escape feitos sob medida para ser acomodado no cofre. O conjunto mecânico ficou justinho – e este exemplar tem o “agravante” de vir equipado com ar-condicionado e direção hidráulica, que ocupam mais espaço. A suspensão dianteira também precisou ser modificada para Mas tudo foi levado em consideração na hora de fazer o casamento, e no fim do dia o serviço realmente parece ter sido pensado pela própria Chevrolet.

O Opala está com o interior no padrão original, com bancos de curvim e cintos abdominais – e há alguns acessórios de época, como o volante SS, a bola branca no câmbio e os mostradores auxiliares. Por fora, a carrroceria branca tem teto de vinil preto, e as rodas de 15×6 polegadas na frente e 15×7 polegadas atrás são calçadas com pneus Cooper Cobra muito novos, de letrado branco. O carro está com placas pretas, colocadas antes do swap.

Mecânica, elétrica e todos os demais sistemas do carro estão em perfeito funcionamento, com a manutenção realizada desde o início na mesma oficina – a Mecânica Allen, em Osasco (SP) – e muito carinho de seu proprietário.

O preço do carro está disponível no anúncio e, convenhamos, está bem interessante se levarmos em conta o cenário dos colecionáveis no mercado atual. Se você ficou interessado, pode clicar aqui para acessar o GT40 e pegar os contatos de Alexandre. E, reforçamos: se possível, assine o Clubsport – o Barata Drives com o Opala e vários outros episódios muito bacanas podem ser conferidos por lá!

Matérias relacionadas

Os estranhos mas divertidos cupês derivados do Mini

Marco Antônio Oliveira

Encontramos um Fiat Oggi com compressor mecânico à venda. Será um bom negócio?

Dalmo Hernandes

Por que não temos carros de passeio movidos a diesel no Brasil?

Leonardo Contesini