A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Este Chevrolet Celta com swap para 1.8 16v é um projeto pronto para curtir – e pode ser seu

Carro pequeno e motor grande – a fórmula mágica (ou melhor, uma das fórmulas mágicas) para a diversão ao volante. É este o projeto pessoal de uma multidão de entusiastas, disso temos certeza. E foi por isto que, por exemplo, aprovamos quando a Renault resolveu colocar o motor 2.0 da Duster no Sandero, criando o divertidíssimo hot hatch RS.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Agora, se você não é uma fabricante de automóveis, ou não tem um mínimo de conhecimento prévio sobre a arte do engine swap, as coisas ficam complicadas. Ou você paga pelo serviço de criar o seu próprio monstrinho, ou aprende tudo na raça, na base da tentativa e erro. Não temos dúvida de que o resultado seja gratificante, mas há um caminho mais fácil e rápido – procurar um carro com o swap já feito. Nesse caso, o Achado meio Perdido de hoje vem a calhar.

Trata-se de um Chevrolet Celta que, no lugar do motor 1.0 original, recebeu um motor 1.8 16v – e, agora, tem quase o dobro da potência original. Naturalmente, o carro está anunciado no GT40. E nós vamos conhecê-lo melhor agora.

Todos sabem que o Chevrolet Celta é uma evolução do Corsa B, lançado em 1994, com uma nova carroceria e acabamento mais simples, porém com aspecto mais moderno para a época – o Celta foi lançado em 2000. Se, por um lado, tal método garantia economia de custo para a Chevrolet, que não precisou desenvolver o projeto do zero, por outro lado garantiu que o Celta mantivesse algumas boas características do Corsa: baixo peso e dinâmica afiada para um tração-dianteira. Não é por acaso que ambos são projetos razoavelmente populares para track days, por exemplo.

 

O carro anunciado no GT40 pertence a Brunno Maia, de Curitiba/PR. Entusiasta dos modelos pequenos da Chevrolet, Brunno conta que já havia montado outros projetos, incluindo dois Corsa GSi: um deles com o motor C20XE do Calibra e o outro, turbinado. O Celta é seu projeto mais recente.

Brunno diz que já tinha o motor completo do carro guardado havia algum tempo – o quatro-cilindros Z18XE, variação da “Família I” da General Motors com deslocamento de 1,8 litro e cabeçote de 16 válvulas com admissão variável. Segundo Brunno, no Brasil este motor foi usado na Chevrolet Meriva e no Fiat Stilo, e foi um dos primeiros motores nacionais com coletor de admissão variável a chegar ao mercado. Originalmente, ele entrega 122 cv a 5.600 rpm e 17,3 kgfm de torque.

Após algum tempo tentando vender o motor avulso sem sucesso, Brunno chegou à conclusão de que seria mais proveitoso montar o motor em um carro e vender o projeto pronto. E foi por isso que, há cerca de cinco meses, ele comprou um Celta 2006, da versão mais básica possível, a fim de colocar o plano em prática. A ideia era utilizar um carro de visual moderno e com a estrutura íntegra, como ponto de partida. Ele também fazia questão de que fosse um exemplar pré-facelift do Celta, por preferência pessoal. O projeto foi quase todo executado pelo próprio Brunno em sua garagem – ele é engenheiro mecânico e já possuía experiência com este tipo de serviço.

Alguns detalhes do conjunto: o motor 1.8 16v foi revisado por completo, com troca de correia, tensor, bombas de água e óleo, velas, cabos, fluidos e filtros, e embreagem – todos componentes de reposição originais General Motors. Os injetores são Green Giant de 42 lb, e o sistema de injeção é um FuelTech FT450 com sonda wideband Nano, também da FuelTech. O carro foi acertado no dinamômetro e rendeu, nas rodas, 103 cv e 16 kgfm de torque – o que, de acordo com os cálculos de Brunno, deve corresponder a cerca de 130 cv e 18 kgfm de torque no motor. O câmbio veio do Chevrolet Prisma com motor 1.4, modelo F15CR. O sistema de escape foi feito sob medida, com tubulação de 2” e dois abafadores.

Brunno também realizou algumas modificações em outros aspectos do carro. As rodas de 14 polegadas são da alemã Irmscher, modelo Softstar, calçadas com pneus novos de medidas 185/60 – incluindo o estepe. A suspensão ganhou molas esportivas Fabrini CangooRun e a barra estabilizadora dianteira do Agile. Nas rodas dianteiras, foram instalados os discos de freio de 256 mm do Vectra GSi.

Por dentro, o carro recebeu o tabelier do Celta reestilizado, de aspecto mais moderno e cluster com conta-giros. Os bancos dianteiros são do Citroën DS3, revestidos com couro, e o volante de quatro raios veio do Chevrolet Calibra.

Brunno comenta que o carro não possui equipamentos como direção assistida, vidros elétricos, travas elétricas ou ar-condicionado – ele queria que o Celta tivesse apenas o essencial, sendo o mais leve e básico possível. Ele acrescenta que as únicas etapas terceirizadas do processo foram a funilaria e a pintura, e também o acerto do sistema de injeção eletrônica FuelTech.

Considerando o atual patamar de preço de um Chevrolet Celta 2006 todo original, o valor pedido por Brunno é interessante – afinal, trata-se de um projeto pronto que aparenta ser bem divertido de guiar como está. Além disso, há uma boa variedade de receitas de preparação para o motor 1.8 16v da GM, tanto com aspiração natural quanto sobrealimentadas.

Se você ficou interessado, pode clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do proprietário.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Esta pode ser a sua chance de comprar um Camaro por menos de R$ 40 mil

Dalmo Hernandes

Este Fiat 850 Sport Coupé é um clássico italiano por um preço camarada no Brasil

Dalmo Hernandes

Ferrari Dino 308 GT4: a primeira Ferrari com motor V8 central-traseiro, à venda no Brasil

Dalmo Hernandes