A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Este Chevrolet Opala Especial 1973 nunca foi restaurado e está à venda

Depois de uma sequência de modelos das décadas de 1980 e 1990 no quadro “Achados meio Perdidos”, que tal algo mais antigo, e de tração traseira? Se você curtiu a ideia, vai gostar do que encontramos para hoje. E se você ficou inspirado pelo Juliano Barata com seu Opala, vai gostar ainda mais.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Sendo um dos carros brasileiros mais idolatrados pelos entusiastas, o Chevrolet Opala atrai os entusiastas em qualquer versão. Por exemplo, os SS com o seis-em-linha 250S são os mais icônicos e procurados (e também os mais caros e difíceis de encontrar), mas um Diplomata de quatro portas bem cuidado também tem seus admiradores fiéis. E toda variante do Opala além destas duas também tem seu valor para colecionadores, tenha quatro ou seis cilindros.

O difícil é encontrar um Opala totalmente original, conservado e relativamente acessível – em qualquer versão. Por isso, o Achado de hoje pode se mostrar uma bela oportunidade para quem está na busca.

Para uma boa parcela dos fãs, o Opala cupê fabricado até 1974 é o mais desejado em termos de estética, especialmente por causa da traseira, que ainda usava as pequenas lanternas retangulares nas extremidades. A partir de 1975 foram adotadas quatro lanternas redondas na face traseira – que, embora fosse mais visíveis, também deixavam o Opala mais distante, esteticamente, dos carros norte-americanos.

 

O Opala anunciado no GT40 é um Especial 1973 (exatamente com o Opala do Juliano, aliás). O Opala Especial era a versão de entrada da época, e isto ficava claro pelo acabamento bastante simples, quase espartano. A carroceria não vinha com os acabamentos cromados em profusão, que eram a tendência da época; o acabamento interno era bastante moderno, sem firulas; o quadro de instrumentos contava apenas com velocímetro, relógio, marcadores de temperatura e nível do combustível e luzes espia; e até mesmo itens como retrovisor direito e luzes de ré eram opcionais.

O motor é o quatro-cilindros de 2,5 litros, com 80 cv e 18 kgfm de torque, ligado a uma caixa manual – no caso deste exemplar, com quatro marchas e alavanca no assoalho, outro opcional (de série o câmbio era de três marchas com alavanca na coluna de direção, o famoso three-on-the-tree).

O exemplar eu questão pertence a Arthur Cabrera, de São Paulo/SP. Segundo ele, o Opala tem por volta de 40.000 km rodados, é de fato totalmente original e jamais passou por qualquer tipo de restauração. A pintura Amarelo Mostarda está muito bem conservada, bem como o revestimento dos bancos e o acabamento do painel. Itens como emblemas, faróis, lanternas, para-choque, grade, calotas e até mesmo as palhetas do limpador de para-brisa são originais de fábrica.

Arthur diz comprou o Opala duas vezes – foi o segundo dono, teve de vendê-lo, e depois o comprou novamente. Sendo assimque o Opala está em perfeitas condições mecânicas – ele é utilizado ocasionalmente e a manutenção periódica é feita regularmente, para evitar deterioração dos componentes e permitir que o clássico esteja sempre pronto para rodar. Recentemente os freios e o sistema de suspensão foram refeitos utilizando componentes novos. Conhecedor da história desta unidade, Arthur garante que sua estrutura está íntegra e que o Opala ainda é capaz de proporcionar bastante diversão a quem conduzi-lo.

Este é um carro que, apesar do potencial como project car, poderia ser mantido como está – os carros come este nível de originalidade estão ficando cada vez mais raros e tendem a valorizar no futuro.

Ficou interessado? Pode clicar aqui para acessar o anúncio e entrar em contato com o vendedor.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Este Ford Escort XR-3 de primeira geração é nosso Achado Meio Perdido de hoje

Gustavo Henrique Ruffo

Quer um importado anos 90? Este Chevrolet Tigra está à venda

Dalmo Hernandes

Ford Ka XR: esta pode ser sua chance de comprar um dos esportivos mais legais do Brasil

Dalmo Hernandes