A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Automobilismo Carros Antigos Projetos Gringos

Dear god! O Peugeot 205 T16 de Ari Vatanen vai ser leiloado!

Para quem não sabe, Ari Vatanen é um dos maiores pilotos de rali de todos os tempos. Além de ser o único piloto de rali a conquistar um título de forma independente no WRC, o Campeonato Mundial de Rali (em 1981, ao volante do Ford Escort RS1800), ele também ficou famoso pelo vídeo “Dear God!”, que mostra uma recuperada espetacular e a exclamação de surpresa e alívio do navegador.

A gente vai colocar o vídeo aqui de novo porque, bem, nunca é demais, não é?

O navegador exclama “Dear God!” aos 2:02 do vídeo, mas você provavelmente já sabia disso

No vídeo, o carro que Ari Vatanen pilota é um Opel Manta 400. Além do Escort e do Opel, o finlandês (“if you want to win, hire a finn!”) pilotou outros modelos do oval azul, como o Fiesta e o Sierra; passou pela Mitsubishi no fim da década de 1980 e depois foi para a Subaru, onde foi colega de Colin McRae, outra lenda dos ralis. Só que hoje nós vamos falar de sua passagem pela Peugeot — isto porque o carro que ele usou quando estava na equipe francesa vai a leilão no mês de maio.

205-t16 (17) 205-t16 (18)

Sim, estamos falando do incrível Peugeot 205 T16, representante dos franceses no mítico Grupo B. A gente já fez um post detalhado a seu respeito, mas é claro que vamos relembrar as características que fazem dele um carro fodástico.

Para começar, ele tem o nome do Peugeot 205, bem como formato e dimensões parecidas, mas por baixo da carroceria é um carro totalmente diferente. Não se trata de um hatchback com motor dianteiro transversal, e sim de um máquina projetada para vencer ralis usando os princípios básicos dos melhors carros de corrida: motor central-traseiro, tração integral, entre-eixos curto e baixo peso.

205-t16 (11)

A Peugeot poderia ter feito como a Ford e seu RS200 e criado um protótipo com visual e identidade próprios. No entanto, eles preferiram associar a imagem do bólido ao bem-sucedido (e incrivelmente divertido) 205 GTI. Na frente do eixo traseiro ele tinha um motor 1.8 turbo com comando duplo no cabeçote e 16 válvulas produzia cerca de 350 cv que produzia cerca de 350 cv, e era conectado a um sistema de tração integral com distribuição de torque selecionável por meio de engrenagens epicíclicas.

A fabricante francesa só conseguiu homologar o Peugeot 205 T16 no Grupo B em 1984 — dois anos depois da estreia da categoria. Ele estreou no Tour de Corse de 1984, a quinta etapa da temporada, realizada entre 3 e 5 de maio de 1984, e venceu pela primeira vez no Rali dos 1000 Lagos, entre 24 e 26 de agosto com Ari Vatanen no comando do carro e Jean Todt no comando da equipe. Além disso, conquistou outras duas vitórias (San Remo e RAC Lombard). Nos anos seguintes, porém, o carro passou por alguns upgrades importantes: uma turbina KKK maior, com mais pressão, e modificações aerodinâmicas que incluíam a adição do efeito solo.

205-t16 (13)

O resultado foram sete vitórias nas 12 etapas de 1985, e em seis das 13 etapas de 1986, já na versão Evo 2. Assim, a Peugeot ficou com dois títulos de contrutores e dois títulos de pilotos. Ainda que nenhum deles tenha sido conquistado por Ari Vatanen, sua atuação foi essencial. E é por isto que o fato de este carro estar à venda é tão especial.

 

Com este carro, de chassi número C11, Ari Vatanen participou das três primeiras etapas da temporada de 1985 — Monte Carlo, Suécia e Portugual. E, guess what? Ele venceu todas elas, optando por uma distribuição de torque de 33/67 (frente/traseira) e uma caixa de relações mais longas que as usadas nos outros dois carros da equipe de fábrica da Peugeot.

205-t16 (16)

O carro ainda foi usado em outras duas etapas por Ari Vatanen — o Tour de Corse e o Rali Acropolis —, e por Bruno Sabby no Rali Sanremo. No entanto, nestas etapas seu papel foi o de recce car, fazendo o reconhecimento dos estágios antes das baterias oficiais. Ah, e Ari Vatanen continuou sentando-se ao volante deste mesmo 205 de tempos em tempos, para fins de exibição, como mostra o vídeo abaixo:

Quem quiser arriscar um lance neste verdadeiro e imaculado pedaço de história dos ralis sobre rodas (que, ao que tudo indica, ainda está em plena forma) deverá ir até Monaco para o leilão da RM Sotheby’s, que acontecerá no dia 14 de maio. A agência de leilões ainda não deu estimativa, mas se os últimos leilões de bólidos do Grupo B servem de referência, podemos esperar algo na casa dos € 300 mil, ou cerca de R$ 1,23 milhão.

205-t16 (2)

Matérias relacionadas

Este Chevette 1986 de segundo dono está muito novo e original – e está à venda

Dalmo Hernandes

Irreconhecível: sim, o Porsche 911 Spyder Bertone é um 911 de verdade

Dalmo Hernandes

“Williams”: a incrível história do vendedor de carros que se tornou uma lenda da F1 virou filme

Dalmo Hernandes