A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Este raro VW Rabbit conversível com placa preta está à venda!

O VW Golf é conhecido por outros nomes. Um deles é Rabbit, sob o qual ele foi vendido nos EUA. Sua versão conversível, por lá, era barata e charmosa, o que a colocava no topo da lista de quem estava prestes a ganhar o direito de dirigir. Um deles ficou conhecido por ser o carro de Cindy Mancini, a menina mais gata de seu colégio, convencida por Ronald Miller a bancar sua namorada para que ele se tornasse popular. Se você não pegou a referência é porque ainda não tinha nascido nos anos 1980. Ou era muito pequeno para lembrar, ainda que o filme “Namorada de Aluguel” tenha passado incansáveis vezes na Sessão da Tarde.

Cindy-Mancini-Ronald-Miller-VW-Rabbit

Os personagens, interpretados por Amanda Peterson, que morreu este ano, aos 43 anos, vítima de apneia do sono, e por um certo ator gearhead chamado Patrick Dempsey, viveram parte importante de seu romance dentro do conversível de Cindy. E é um quase igual ao que ela dirigia que está em nosso Achados Meio Perdidos de hoje.

Amanda-Peterson

Lembra dela?

O Rabbit teve três gerações: a primeira, a segunda e a quinta do Golf, nos EUA. O conversível em questão é da primeira fornada, que foi fabricada de 1974 a 1993. Tinha 3,71 m de comprimento, aumentado para 3,82 m com os para-choques maiores, como os do nosso Achado, 2,40 m de entre-eixos, 1,61 m de largura e 1,41 m de altura. Seu motor 1.8 rendia 90 cv a 5.200 rpm, razoáveis para um carro que pesava 1.185 kg.

 

VW-Rabbit-1984-2

No anúncio, consta que ele é 1997, mas, se fosse, não poderia ostentar as placas pretas que tem. O vendedor, Marco Buono, diz que é um problema para cadastrar veículos que não existiam no Brasil no WebMotors, mas que o modelo, na verdade, é 1984, da série especial Wolfsburg Edition. Foi importado para o Brasil este ano.

VW-Rabbit-1984-abre-VE

O conversível é inteiramente branco, com capota, para-choques e carroceria nesta cor, versão que, nos EUA, é chamada de triple white. No hodômetro, em milhas, ele marca 76 mil, o que equivale a 122 mil km.

VW-Rabbit-1984-6

VW-Rabbit-1984-5 VW-Rabbit-1984-3

De acordo com o vendedor, o carro já teve dois donos nos EUA e um aqui. Não há sinais de batidas ou de qualquer outro problema estrutural, mas ele já recebeu um banho de tinta, provavelmente por desgaste da pintura original.

VW-Rabbit-1984-9

Na parte mecânica, o Rabbit parece estar em perfeito estado a não ser por um ruído na caixa de direção, que precisa ser checado. De resto, o modelo está em ótimo estado, com capota íntegra, manuais do proprietário e toda a documentação em dia.

VW-Rabbit-1984-7

VW-Rabbit-1984-8 VW-Rabbit-1984-4

Não há nada que não seja original no conversível a não ser os bancos, que foram refeitos. Todos os demais itens são os mesmos que vieram de fábrica, a não ser, logicamente, os de desgaste.

VW-Rabbit-1984-9

Pelo carro, Marco está pedindo R$ 79 mil. Não há muita margem de comparação porque o carro não foi importado quando era novo e os que estão por aqui ou vieram quando era permitido importar usados ou pela lei da placa preta. Que este modelo já tem, diga-se. E nem precisaria dela para ser considerado raridade por essas bandas.

 

[ WebMotors ]


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de uma reportagem aprofundada e não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

Matérias relacionadas

À venda: um raro, bem conservado e original Chevrolet Chevette Château 1979

Dalmo Hernandes

Ford Capri: um clássico cupê esportivo europeu (com motor V6 e tração traseira) à venda no Brasil

Dalmo Hernandes

À venda: um Porsche 944 Turbo 1986 recém importado – bem mais em conta do que um 911!

Dalmo Hernandes