A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Gentleman’s drive: este Jaguar XJ V12 tem apenas 60.000 km – e está a venda!

Hoje em dia, R$ 100.000 não te compram muito mais que um sedã médio novo em uma versão intermediária – um carro que, daqui a dez anos, vai valer a metade do preço. Mas você sabia que, por este valor, dá para comprar um Jaguar XJ com motor V12 e pouco menos de 60.0000 km rodados?

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

É claro que estamos falando de propostas fundamentalmente diferentes. Um sedã médio é um carro comum, moderno, bem equipado e relativamente econômico que (ao menos em tese) não deve dar dor de cabeça. É um carro de família, feito para viajar longas distâncias aos fins de semana e enfrentar o anda-pára dos centros urbanos, com ocasionais passeios ao interior. Já o Jaguar XJ… é mais ou menos a mesma coisa, só que com muito mais luxo e, geralmente, mais cilindros.  E ele não precisa ser econômico, e nem barato de manter. Quem compra um Jag não se preocupa muito com estas coisas.

E isto vale tanto para um XJ atual quanto para qualquer exemplar das gerações anteriores. O preço de compra varia, mas a pompa e circunstância são sempre as mesmas. E há outra coisa que não muda: quem compra um Jaguar pode ter um Jaguar.

Isto posto, se você acha que é capaz de encarar um sedã britânico de luxo fabricado em 1995, vai curtir nosso Achado meio Perdido de hoje.

 

O XJ é um dos modelos mais tradicionais da Jaguar – seu sedã de topo desde 1968. E, pela maior parte de seus 51 anos, manteve a mesma identidade visual: um perfil alongado, com três volumes bem definidos e linhas sóbrias e faróis redondos. Só em 2010 a Jaguar decidiu revolucionar o desenho do XJ, acompanhando os outros modelos da gama.

Os fãs mais tradicionalistas preferem o desenho das gerações antigas – de preferência com a versão equipada com imponente V12 da Jaguar, batizada XJ12. Em sua primeira aparição, no ano de 1972, o V12 entregava 286 cv e 40,8 kgfm de torque. Na época, a Jaguar anunciava o XJ12 como o único carro de quatro portas com 12 cilindros, e dizia que ele era capaz de chegar aos 225 km/h.

O nosso Achado meio Perdido, sendo um exemplar fabricado em 1995, pertence à geração X300, lançada no ano anterior. Ele foi o primeiro Jaguar XJ projetado sob o guarda-chuva da Ford, e tinha a missão inaugurar uma nova fase na empresa, com mais tecnologia e melhor qualidade de construção. A versão XJ12 tinha código próprio – X305 –, emblemas V12 na traseira, nas colunas “B” e no painel de instrumentos; e uma insígnia dourada na grade do radiador.

O motor V12 do X305 deslocava seis litros (5.993 cm³) e, com comando simples no cabeçote e injeção monoponto, entregava 320 cv 48,4 kgfm de torque, acoplados a uma caixa automática de quatro marchas GM 4L80-E.

De acordo com o anúnciante, Maurício Marx, o XJ12 tem apenas 57.000 km rodados – quilometragem de seminovo – e, recentemente, passou por uma revisão completa: motor, câmbio, suspensão e freios estão em ordem, e o carro funciona perfeitamente.

Ainda segundo Marx, o Jaguar apresenta alto nível de preservação: pintura, revestimentos internos, detalhes cromados, faróis, lanternas, emblemas e vidros são originais de fábrica e têm ótimo aspecto. Além disso, todos os equipamentos funcionam, incluindo o teto solar, a suspensão pneumática e o sistema de ar-condicionado.

Isto posto, este Jag é um carro com público bem específico – entusiastas e colecionadores, que realmente sabem onde estão se metendo quando compram um V12 britânico da década de 1990. Se é seu caso, clique aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos!


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Este Peugeot 406 Coupé é um ícone da Pininfarina à venda no Brasil

Gustavo Henrique Ruffo

Este Mitsubihi Pajero TR4 com histórico nos ralis está pronto para competir – só precisa de um novo dono

Dalmo Hernandes

O que você precisa fazer para ter um McLaren F1 GTR Longtail?

Dalmo Hernandes