A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

MB 100 D: quando a Mercedes-AMG fez uma van (sim: uma van) a diesel

A Mercedes-AMG nasceu nas pistas como suas rivais BMW M e Audi Sport, mas desde o início a divisão esportiva da Daimler tinha uma abordagem diferente das outras duas: ela não usava cupês leves e ágeis e joviais. Era exatamente o oposto. Seu primeiro carro de corridas era um sedã de luxo sisudo. Seu segundo carro de corridas foi um sedã maior ainda, com um motor V8 de quase sete litros vindo da limousine favorita dos ditadores e das estrelas do rock e do cinema, pareado a um câmbio automático de quatro marchas. Que tipo de maluco faz isso? Mas, como o tempo se encarregou de mostrar, havia razão naquela loucura. Ao transformar um Classe S em um carro de corridas, a AMG foi uma das pioneiras a combinar luxuosidade e esportividade em um mesmo carro. E foi essa a tônica de seus carros desde então — especialmente nos anos 1970 e 1980, quando os upgrades de luxo podiam ser feitos independentemente dos upgrades mecânicos. Sim: era possível fazer um esporti

Matérias relacionadas

Motorhead Hillclimb: a beleza brutal de uma das maiores subidas de montanha do Japão

Dalmo Hernandes

O ronco do novo BMW M8 em Nürburgring, Renault Megane R.S. sem disfarces, AMG GT3 ganha edição especial de 50 anos e mais!

Leonardo Contesini

Fraude em carteiras de motorista em SP, Mercedes-AMG C63 aparece em versão cupê, Shelby Daytona terá 50 novas unidades e mais!

Leonardo Contesini