A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Muscle car alemão: este Mercedes-Benz CLK430 Sport está à venda!

Motor V8 na dianteira, carroceria cupê, visual robusto, tração traseira: é a receita dos muscle cars americanos. Mas isto jamais impediu fabricantes de automóveis de outros países de criarem sua próprias interpretações. A Mercedes-Benz, por exemplo, de tempos em tempos cria memoráveis muscle cars alemães. Um deles é o CLK430 da geração W208, cupê fabricado entre 1997 e 2003 que era movido por um memorável V8 de 4,3 litros – naquela época, os nomes dos carros da Mercedes refletiam o deslocamento do motor. Bons tempos.

Óbvio que não estamos falando isto por coincidência: o nosso Achado meio Perdido de hoje é justamente um CLK430 Sport, anunciado no GT40. Vamos dar uma conferida nele agora.

O Mercedes-Benz CLK foi lançado no fim dos anos 90 para ficar posicionado abaixo do CL e do SL, ambos baseados no Classe S da época. O CLK era feito com base na primeira geração do Classe C, a W202, que estreou em 1994. Apesar disto sua identidade visual era completamente diferente: enquanto o Classe C ainda tinha linhas predominantemente retas, acenando para os modelos dos anos 80, o CLK apostava nas formas mais sinuosas e nos faróis redondos duplos que a Mercedes adotaria em massa na primeira metade dos anos 2000. Alguns componentes estéticos vinham diretamente do Classe E da época (W210), mostrando que mesmo a Mercedes não hesitava em usar componentes “de prateleira” para ampliar sua linha de forma rápida e econômica. E o CLK custava mais caro e era mais refinado que o Classe E, mesmo sendo feito sobre o Classe C.

img_159048_4_af6ff2cb-6fa9-427e-b703-13ca1d08bf7f

De início, em 1997, apenas duas versões estavam disponíveis: CLK200, com um motor 2.0 16v de 136 cv, e CLK230 Kompressor, com uma versão de 2,3 litros e supercharger deste mesmo motor para entregar 197 cv. No ano seguinte veio o CLK320, com um V6 de 3,2 litros e 224 cv e capacidade para ir de zero a 100 km/h em 7,4 segundos enquanto a velocidade máxima ficava em 240 km/h.

Foi em 1999 que o primeiro modelo com motor V8, o CLK430, foi apresentado. O chamado M113 foi produzido entre 1998 e 2007 e tinha bloco de alumínio, comando simples no cabeçote com três válvulas por cilindro (duas de admissão, uma de escape, 24 no total), injeção multiponto sequencial, bielas forjadas e duas velas por cilindro.

 

img_159076_4_af6ff2cb-6fa9-427e-b703-13ca1d08bf7f

O cupê dispunha de 279 cv a 5.750 rpm e 40,8 mkgf de torque a relativamente baixas 3.000 rpm. Com o câmbio automático de cinco marchas (único oferecido para o modelo na época) o cupê era capaz de ir de zero a 100 km/h em seis segundos cravados, enquanto a velocidade máxima era limitada eletronicamente a 250 km/h. Ele só foi superado no ano seguinte pela versão CLK55 AMG, que tinha um V8 5,4 litros e 347 cv e ia de zero a 100 km/h em 5,4 segundos. E, claro, pelo CLK GTR, mas este era um especial de homologação feito para as 24 Horas de Le Mans que de CLK só tinha a grade, os faróis e as lanternas – fora isto, era um protótipo de corrida com motor central-traseiro convertido para as ruas.

O carro à venda no GT40 pertence a Sinoê Maia, de São Paulo/SP. Ele diz que o carro está completamente original de fábrica, incluindo pintura, interior, acabamentos e mecânica.

img_159052_4_af6ff2cb-6fa9-427e-b703-13ca1d08bf7f img_159056_4_af6ff2cb-6fa9-427e-b703-13ca1d08bf7f

Ele ressalta que se trata da versão Sport, que trazia instrumentação no painel com fundo branco e acabamento de fibra de carbono no painel de no console central. O pacote também inclui as rodas do CLK55 – as AMG Monoblock, de 17×7,5” na frente e 17×8,5” atrás.

Sinoê diz que seu carro está em condições absolutamente impecáveis, começando pelo número relativamente baixo marcado no hodômetro – cerca de 75.600 km, algo que poderá ser confirmado pelo scanner Stardiagnose da Mercedes. A manutenção preventiva está em dia, com 16 velas novas, fluidos e filtros trocados, suspensão e freios em ordem. Ele observa também que o carro passou recentemente por um polimento e higienização do interior, incluindo o sistema de ar-condicionado.

img_159064_4_af6ff2cb-6fa9-427e-b703-13ca1d08bf7f

O carro de fato aparenta excelente estado de conservação, por dentro, por fora e debaixo do capô. O proprietário diz que o Mercedes está equipado com DVD, módulo de potência e subwoofer que podem ser negociados à parte.

Ficou interessado? Nesse caso você já sabe o que fazer: clique aqui e acesse o anúncio para pegar os contatos do dono.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

PRF suspende uso de radares móveis, McLaren 600LT empata com 720S em Nür, os preços do Corvette e mais!

Um Calibra impecável, dois cupês BMW dos anos 90, um raro Duster turbodiesel e as novidades do GT40!

Leonardo Contesini

Wendell Scott: a dura história do primeiro piloto afro-americano a vencer uma corrida da Nascar

Dalmo Hernandes