A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Automobilismo História

Os 125 anos da Mercedes no automobilismo | Parte 2

Depois que a Segunda Guerra terminou e o mundo começou a se ajeitar, a Mercedes-Benz finalmente começou a ensaiar sua volta às pistas. Na época, havia duas opções de grande visibilidade internacional: a recém-criada Fórmula 1, que finalmente organizou os Grandes Prêmios em um campeonato mundial, e as corridas de estrada, que mais tarde formariam o calendário do Mundial de Carros Esporte (WSC). Por questões de custo, a Mercedes-Benz escolheu as corridas de estrada e, para disputá-las, desenvolveu um novo modelo usando o maior número possível de peças de prateleira. Ironicamente, essa redução de custos deu origem a um dos esportivos mais icônicos da história.   W194 e o nascimento das portas asa-de-gaivota Como seus últimos carros de corrida datavam da década de 1930, ela precisaria de um novo modelo para se adequar às regras da época e aos novos tempos. Ela precisava se virar com o que tinha, e o que ela tinha de melhor era o motor M188 do recém-lançado 300S (W188)

Matérias relacionadas

Sim: nós temos (e tivemos) circuitos de rua no Brasil

Leonardo Contesini

O que os pilotos de Fórmula 1 realmente veem durante uma corrida? E como eles conseguem ser tão rápidos?

Dalmo Hernandes

Adeus, EJ20: uma coletânea matadora do boxer de dois litros da Subaru

Dalmo Hernandes