A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Pag Nick: este raro clássico brasileiro com motor de Gol GTi pode ser seu!

Já viu quanto está custando um Volkswagen Gol GTi – o modelo lançado em 1988, com “i” minúsculo? Não precisa procurar muito para achar exemplares em estado apenas razoável na casa dos R$ 20 mil, enquanto os melhores já estão encostando nos R$ 50 mil.

Se o seu sonho sempre foi um Gol GTi, isto significa que ele está um pouco mais distante do que há alguns anos. No entanto, o nosso Achado meio Perdido de hoje pode ser uma boa alternativa, especialmente (mas não apenas) por causa do preço: este PAG Nick, que tem praticamente o mesmo conjunto mecânico do célebre Volkswagen quadrado, está em ótimo estado e custa praticamente metade de um GTi.

12717899_1262269417120111_4472987927831255356_n

Como você deve saber, a Dacon foi uma famosa concessionária paulista que criava kits de modificação para os Volkswagen desde a década de 1960. Os modelos customizados pela Dacon recebiam visual inspirado nos VW europeus e americanos, além de acessórios e equipamentos que ajudaram a dar forma ao tuning de época brasileiro (como já comentamos neste post).

Em 1988, Paulo Goulart, fundador da Dacon, criou a Projects d’Avant Garde (“projetos de vanguarda”), ou simplesmente PAG. A ideia era aproveitar a experiência adquirida modificando carros para criar seus próprios modelos. O primeiro deles foi o PAG Nick, uma minicarro de dois lugares com interior luxuoso, motor potente e estilo bastante ousado.

12728902_1262269340453452_4402212849270851083_n

Quer dizer, há quem realmente não engula o visual dos fora-de-série brasileiros, mas não dá para negar que o Nick tem personalidade. A carroceria projetada por Anísio Campos aproveitava as portas e parte da estrutura da Volkswagen Saveiro, porém tinha a dianteira e a traseira encurtadas. A caçamba era fechada e se transformava em um porta-malas, e duas alças atrás da coluna “B” davam a impressão de se tratar de um hatchback.

Dacon Nick 1280

 

Foto: Paulo Keller

As lanternas eram do VW Quantum. O capô dianteiro recebia um “calombo” para acomodar a tampa de válvulas do motor – o VW AP de 1,6 litro e 81 cv.

14523265_1453711877975863_7912156350917369616_n

Em 1989, a PAG decidiu ampliar a linha oferecendo uma versão maior do Nick, agora um legítimo hatchback que usava o VW Voyage GLS como base. Agora, o Nick podia ter dois ou quatro lugares (nos modelos de dois lugares, os vidros laterais traseiros são menores, tornando-se um carro mais prático. No entanto, a maior e mais bem-vinda mudança foi a adoção do motor de dois litros com injeção eletrônica e 121 cv usado no Santana e no Gol GTi. Na prática, dá para dizer que o Nick era um hot hatch. E ele custava caro: segundo consta, o equivalente a quase mais de R$ 70 mil em valores atuais.

14495357_1453711841309200_4856186110887816460_n

Naturalmente, era um carro de nicho: a ideia original era fabricar 50 unidades por mês. No entanto, o alto preço acabou reduzindo este número a algo entre 150 e 200 unidades produzidas (ainda há discordâncias a respeito deste dado) até 1991. Para piorar, em 1990 as importações foram reabertas pelo governo Collor e, de repente, um carro exclusivo e muito mais caro feito no Brasil não fazia mais sentido: os importados custavam ainda mais, mas eram mais avançados, mais potentes, mais modernos e melhor equipados.

Com isto, ver um exemplar bem cuidado do Nick à venda é algo bastante raro. O carro em questão, branco, fabricado em 1989, está anunciado pelo nosso colega Mário Cezar Buzian, do Traga o Guincho, e está ótimo estado.

12729133_1262269487120104_5110387612235037061_n

Buzian diz que o carro pertence a um amigo, e está cuidando da venda. Segundo ele, o carro tem 111.000 km rodados, o que não é uma quilometragem exatamente baixa mas, em um “Volkswagen” de quase trinta anos, isto não é tão alarmante – afinal, trata-se de um conjunto mecânico para lá de conhecido, e de fácil manutenção. Mais preocupante seria a disponibilidade de componentes externos, como os vidros laterais e as peças de fibra de vidro da carroceria, mas estes estão em bom estado. A pintura ainda é original e, pelas fotos, está livre de maiores imperfeições.

12715626_1262267447120308_2694357515275230793_n

O mesmo pode ser dito do interior, que também é original (incluindo o revestimento de couro dos bancos) e traz ar-condicionado, vidros e travas elétricos, tudo funcionando. Detalhe para a plaqueta no painel, assinada pelo projetista Anísio Campos.

Considerando a raridade do modelo e sua íntima ligação com os Volkswagen da época, talvez estejamos diante de um negócio bem interessante: o valor pedido pelo Nick é de R$ 24.900, o que nos parece bem razoável para um colecionável neste estado.

Ficou interessado? Pode entrar em contato com Buzian pelo email [email protected], ou ligar para (51) 9258-7332.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! na qual selecionamos e comentamos anúncios de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial, tampouco de uma reportagem aprofundada. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios – todos os detalhes devem ser apurados com o anunciante.

Matérias relacionadas

Este Chevrolet Corsa 1.8 16v é um monstrinho dos track days – e pode ser seu!

Dalmo Hernandes

Tá difícil achar um Alfa Romeo 164 bem cuidado? Esta pode ser sua chance

Dalmo Hernandes

Este Ford Ka com motor 2.0 de 220 cv tem história nas pistas – e pode ser seu

Dalmo Hernandes