A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Por que Akira é uma obra essencial para todo entusiasta

O ano de 2020 começou com a ameaça de uma Terceira Guerra Mundial que, dias depois, desapareceu. Mal sabíamos que, semanas depois, uma pandemia global causaria uma crise sem precedentes no mundo moderno, levando as pessoas a ficarem presas em suas casas e a uma redução drástica nas atividades econômicas. O mundo simplesmente parou. Em tempos assim, é praticamente impossível não ter pensamentos apocalípticos. O que aconteceria caso a sociedade entrasse em colapso? É uma ideia assustadora mas, ao mesmo tempo, fascinante. Não é à toa que existem incontáveis obras artísticas que exploram a noção de um futuro pós-apocalíptico, no qual geralmente uns poucos têm acesso às maravilhas tecnológicas enquanto a maior parte da população precisa recorrer a seus instintos mais primitivos para sobreviver. É em um futuro distópico como este que se passa Akira, a obra de Katsuhiro Otomo que foi publicada em mangá entre 1984 e 1993 – um total de 120 capítulos divididos em seis volumes. Ak

Matérias relacionadas

Civic Shuttle 4WD: quando a Honda fez uma perua com tração nas quatro rodas (e ajudou a inventar os crossovers)

Dalmo Hernandes

Lada VFTS: quando o Laika se tornou um carro de rali do Grupo B

Dalmo Hernandes

Loucura de verdade é um compacto VW Lupo com V8 de Audi A8!

Dalmo Hernandes