A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Duelo do Dia

Porsche Carrera GT e Ford GT à venda, mas você só pode escolher um – qual vai ser?

Você nem precisa ser um dos leitores mais antigos do FlatOut para conhecer a brincadeira: encontramos dois carros bacanas à venda e te obrigamos a escolher um só — sem se preocupar com o preço, pois dinheiro de faz-de-conta é infinito

Normalmente os carros têm que ter alguma relação. Hoje temos um Ford GT e um Porsche Carrera GT e, logo de cara, vemos que ambos têm seus nomes em comum. Mas não é só isto: ambos foram fabricados em 2005, ambos estão impecáveis, ambos foram os halo cars de suas fabricantes, e ambos têm motor central traseiro. As diferenças, contudo, estão nos detalhes. E, é claro, não tem choro: você só pode escolher um, então pense bem! Por sorte, vamos falar um pouco mais de cada um dos candidatos à sua preferência agora!

 

Ford GT

AM16_r165_001

Olhe bem para este carro e tente não admirar o que a Ford fez ao trazer as formas do clássico GT40, vencedor de Le Mans na década de 1960 (já contamos esta história, com direito a parte 1 e parte 2), para a década de 2000 praticamente sem alterações. Ainda que, é claro, os elementos modernos sejam evidentes (como os faróis e lanternas, rodas e pneus e detalhes de acabamento), a essência do bólido clássico está toda ali.

AM16_r165_002

Curiosidade: você deve saber que o Ford GT40 tinha este nome por causa de sua altura de 40 polegadas (1,01 metro). O GT é um pouco mais alto, com 43 polegadas (1,09), mas a Ford não iria chamar o carro de GT43, não é mesmo? Quer dizer, pensando bem, seria bacana… mas a gente está divagando. O fato é que, em proporções, o GT é praticamente idêntico ao GT40.

AM16_r165_011 AM16_r165_012

Como você já deve saber, o Ford GT foi idealizado em 2002, como parte das comemorações pelo centenário da companhia. Em 2005, a versão de produção estava pronta — e era a representação perfeita do que deveria ser um supercarro americano.

AM16_r165_003

A começar pelo motor: o V8 de 5,4 litros tinha projeto baseado no motor da Ford F-150 SVT Lightning, porém com bloco revisado e cabeçotes projetados a partir daqueles encontrados no Mustang SVT Cobra-R. Com um compressor mecânico do tipo twin-screw, comandos de válvulas com maior levante e cárter seco, como nos carros de corrida, o V8 ronca bonito demais e entrega 558 cv a 6.500 rpm, com 69,1 mkgf de torque a 3.750 rpm.

O câmbio é manual de seis marchas, exclusivamente, e o interior todo remete ao desenho do GT40 original — com destaque para o cluster de instrumentos, com o enorme velocímetro à direita, voltado para o piloto, como no carro de corrida. As portas não abrem para cima, e sim da forma tradicional, mas levam consigo boa parte do teto a fim de facilitar a entrada.

AM16_r165_004

 

Uma vez acelerando, você será capaz de chegar aos 100 km/h em 3,8 segundos, com máxima de 331 km/h. Além disso, a estrutura excepcionalmente rígida e leve (o Ford GT pesa 1.520 kg em ordem de marcha), aliada à suspensão do por braços sobrepostos, garantem que a dinâmica não fique atrás do desempenho em linha reta.

O Ford GT em questão será leiloado pela RM Sotheby’s no dia 12 de Março. Ele só teve dois donos durante toda sua vida, e rodou apenas 297 milhas (477 km) nestes 11 anos. Estima-se que o valor de arremate fique entre US$ 320 mil e 380 mil, ou algo entre R$ 1,26 e 1,5 milhão em conversão direta. Mas talvez você queira dar uma olhada na nossa outra opção…

Porsche Carrera GT

AM16_r160_025

O Porsche Carrera GT é nada menos que o antecessor do todo poderoso 918 Spyder. E, apesar de a gente curtir bastante toda a tecnologia hipercarro híbrido de Stuttgart, fica difícil resistir ao apelo old school do Carrera GT, com seu V10 aspirado na traseira e câmbio manual.

AM16_r160_026

Temos certeza que muitos leitores acabaram de se decidir, mas a gente vai continuar falando. O Carrera GT, idealizado em 2000, é fruto de um projeto de carro de corrida que não deu certo — ele seria o sucessor do Porsche 911 GT1, que venceu as 24 Horas de Le Mans de 1998. No entanto, depois de uma mudança no regulamento por parte da FIA (sempre ela…), o programa foi abortado.

AM16_r160_011 AM16_r160_012

Normalmente isto acabaria em mais um carro incrível que jamais se tornaria realidade. Mas sabe por que isto não aconteceu? Porque, na época, a Porsche havia acabado de lançar o Cayenne, que vendeu muito bem. Com isto, havia dinheiro em caixa. Por que não, então, transformar aquele protótipo de corrida em um supercarro para as ruas.

AM16_r160_003

A ideia inicial era usar um flat-six turbinado, mas no fim das contas a Porsche preferiu utilizar um motor V10 que havia sido desenvolvido secretamente para a Fórmula 1 em 1992. O ronco que sai pelo sistema de escape de inox é hipnotizante.

E o mesmo pode ser dito de seu desempenho — que é bem semelhante ao do Ford GT, diga-se. São 5,7 litros, 613 cv a 8.000 rpm (yeah!) e 60,2 mkgf de torque a 5.750 rpm. O câmbio também é manual de seis marchas, com embreagem de carbono-cerâmica e alavanca com pomo de madeira. É bacana ver como o visual do Carrera GT é atual (o 918 Spyder é uma clara evolução dele) mas que, em filosofia, ele é um carro bem old school. Oficialmente, o conjunto mecânico leva o Carrera GT até os 100 km/h em 3,9 segundos, com máxima de 330 km/h. Ele pesa 1.380 kg.

AM16_r160_004

Assim como o GT da Ford, carro está muitíssimo bem conservado — só teve um dono, que rodou apenas 1.905 km (1.184 milhas) com ele e sempre fez questão de mantê-lo impecável. O valor estimado para arremate pela RM Sotheby’s, também em Amelia Island, é de algo entre US$ 750 mil e US$ 850 mil, o que dá algo entre R$ 2,96 e 3 milhões.

Mas e aí, qual dos dois você levaria para casa? O Ford GT é consideravelmente mais barato e tem quilometragem mais baixa. No entanto, não é tão raro quanto o Porsche, com pouco mais de 4.000 unidades fabricadas entre 2005 e 2007. Em contrapartida, o Carrera GT teve 1.270 unidades produzidas e rodou um pouco mais — porém, pode sair por mais que o dobro do valor do supercarro americano. Não vamos opinar: esta batata quente fica com você. Aos comentários!

Matérias relacionadas

Criador do McLaren F1 acha que os hipercarros híbridos estão indo na direção errada

Leonardo Contesini

Este Corvette C1 1958 com um V8 LS1 de 350 cv é nosso novo restomod favorito

Dalmo Hernandes

Como foram escolhidos e montados os carros do primeiro “Velozes e Furiosos”?

Dalmo Hernandes