FlatOut!
Image default
História Zero a 300

Quando o Mustang quase virou um cupê japonês de tração dianteira


A sexta geração, lançada em 2015, foi elogiada mundialmente por suas qualidades dinâmicas e, por mais que o visual possa ser considerado "moderno demais para o Mustang", é fato que o pony car vem sendo bem sucedido nas vendas e dando origem a alguns projetos bem interessantes – e a Ford ainda teve a ousadia de dar ao atual Mustang um arranjo de suspensão dianteira independente e um motor quatro-cilindros turbo para, aos poucos, aposentar o V6. No fundo, porém, o Ford Mustang continua sendo um bom e velho cupê esportivo americano, com motor V8 na dianteira, tração traseira, visual agressivo e ótima relação custo/potência. O Mustang se reinventou, mas ainda é um Mustang. Você consegue imaginar a Ford sem ele? Pois foi quase isto o que aconteceu no início dos anos 1980, quando a Ford decidiu substituir o Mustang de terceira geração – a mesma do Mustang com motor de Viper que mostramos outro dia. Àquela altura, a Ford já havia transformado o Mustang Fox em um carro mais intere