A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Zero a 300

Separados no nascimento: cinco famílias de motores que se transformaram em rivais – diretas e indiretas

Entre os elementos que compõem a identidade de uma fabricante de automóveis estão os seus motores. Pense na Honda, e você lembrará de seus motores giradores e do "Vtec kick". O que seriam dos italianos sem a sonoridade de seus V6, V8 e V12? Como se identifica um Subaru de olhos fechados? A famosa robustez das marcas alemãs, vem da durabilidade de seus motores. Tudo isso talvez tenha sido verdade em um passado distante, anterior à globalização, em que as fabricantes mantinham suas características próprias e uma identidade nacional. Nos últimos 30 anos, contudo, as joint ventures resultaram em parcerias inusitadas entre rivais. Veja o câmbio de dez marchas do Mustang, por exemplo, que foi desenvolvido em parceria com a Chevrolet e também equipa o Camaro. Até aí tudo bem, porque um câmbio geralmente não afeta a "personalidade" de um carro — a menos que você esteja falando da Volkswagen no Brasil. Mas chegamos a situações em que a BMW usou m

Matérias relacionadas

De Tomaso Pantera: um esportivo italiano com motor de muscle car à venda no Brasil

Dalmo Hernandes

Um Monza SL/E bem conservado, um Subaru WRX de 500 cv, um Opala com 40.000 km rodados e as novidades do GT40

Dalmo Hernandes

Adeus, Miss Belvedere: o que aconteceu com o Plymouth enterrado há mais de 50 anos?

Dalmo Hernandes