A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos GT40 Classificados Zero a 300

Um Dodge Dart De Luxo muito íntegro e com motor V8 Magnum de 230 cv à venda

Uma das opções para quem quer comprar um antigo nacional com motor V8 são os modelos da Dodge. O Dart, lançado no Brasil em 1969, foi a base para todos os outros modelos que tivemos – com exceção do pequeno Polara, claro. No mais, Charger, Magnum, Le Baron e Gran Sedan são todos baseados no Dart, e sempre equipados com o confiável motor V8 318 (5,2 litros) de pelo menos 190 cv, variando conforme a versão.

O Dodge Dart é o mais comum e, por esta razão, também é a variante mais acessível atualmente. O nosso Achado meio Perdido de hoje, um Dodge Dart De Luxo 1972 que está anunciado no GT40, é um bom exemplo.

A versão De Luxo era uma das mais comuns, podendo ser encontrada como sedã de quatro portas ou cupê de duas portas. No entanto, o Dart vem de uma época na qual as fabricantes costumavam realizar modificações anuais no visual dos carros. Sendo assim, a versão fabricada em 1972 tem características que não se vê em exemplares de outros anos, como o desenho exclusivo da grade dianteira e as lanternas traseiras tripartidas.

WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.55

O carro anunciado no GT40 pertence a João Henrique Leme, de Assis/SP. Como todo Dodge V8 brasileiro, este carro veio de fábrica equipado com o V8 318 (5,2 litros) LA de de 198 cv brutos, ou cerca de 140 cv líquidos. No entanto, em algum momento de sua vida, o Dart recebeu o V8 Magnum 5.2, usado no Jeep Grand Cherokee a partir de 1993. O deslocamento é o mesmo, assim como o desenho básico do bloco.

WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.51 (1)

No entanto, os cabeçotes usados no Magnum têm fluxo muito superior e, com isto, a potência é bem maior: enquanto o Dodge Dart tinha à sua disposição 198 cv a 4.100 rpm e 41,5 mkgf de torque a 2.400 rpm, em números brutos; o motor V8 Magnum 5.2 tem potência líquida de 230 cv a 4.100 rpm e 41,8 mkgf de torque a 3.000 rpm. Ao considerar os 140 cv líquidos do motor original do Dart, a vantagem técnica fica evidente. Há alguns dojeiros mais radicais que não curtem o swap, preferindo a aura old school e a robustez do quase indestrutível 318 LA. O câmbio continua sendo manual de três marchas, com alavanca na coluna.

WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.42 (1) WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.47 (1)

O Dart é um exemplar na cor Azul Náutico de plaqueta, mas já recebeu um banho de tinta, e o vinil do teto (nem todo Dart De Luxo tem teto de vinil) é novo. No entanto, não se trata de um carro restaurado – ele possui marcas adquirida em seus 46 anos de estrada, mas João garante que a estrutura do carro está muito íntegra e a carroceria, bem alinhada. Os itens de acabamento são orginais e aparentam ótimo estado de conservação. Há algumas modificações, como o capô do Charger R/T, e as rodas Magnum 500 com pneus BF Goodrich de medidas 205/70/14 na dianteira e 255/60/15 na traseira.

WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.48WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.47 WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.50 (1)

Do lado de dentro a situação se repete: o interior está muito conservado, com acabamento em bom estado e volante do Dodge Charger R/T 1971, com aro de madeira, raríssimo. Os revestimentos dos bancos, teto também estão bastante apresentáveis. E o ar-condicionado está gelando bastante – João garante que chega a embaçar os vidros.

WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.59 (1)

WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.56 WhatsApp Image 2018-02-01 at 20.24.45

Dito isto, João afirma que há alguns pontos de corrosão no Dart, mas garante que não é nada fora do comum – na época, o tratamento anti-corrosão usado pela Dodge não era dos melhores, e não é incomum encontrar carros com boa estrutura, porém alguns pontos de ferrugem em locais como o pé dos para-lamas, a caixa de ar ou o pé da coluna “C”. Discorremos a respeito em no nosso guia de compra para o Dodge Charger R/T, e podemos adiantar que na maioria dos casos, o reparo da funilaria não é dos mais complicados – é indispensável encontrar um bom profissional, obviamente.

 

No mais, nos parece um Dart bastante inteiro, e o preço pedido por João é no mínimo interessante. Ele diz que não aceita trocas, mas que pode considerar contra-propostas. Se você curtiu o carro e quer saber mais, é só clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do proprietário.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Os novos Ford Bronco e Bronco Sport, Mercedes Black Series terá 730 cv e virabrequim plano, Mini GP por R$ 300.000 e mais!

Leonardo Contesini

Lola F1R: o “carro de Fórmula 1 para as ruas” não é um carro de Fórmula 1

Dalmo Hernandes

Os recordes de Nürburgring: afinal, quais são os carros mais rápidos do Inferno Verde agora?

Dalmo Hernandes