A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Um Honda Civic VTi com motor 2.0 e 200 cv pode ser seu novo hot hatch

A quinta geração do Honda Civic anda bastante requisitada pelos entusiastas nos últimos tempos: seu preço (ainda) não inflacionou em direção à estratosfera, seu visual resistiu muito bem à passagem dos anos e seu comportamento dinâmico continua sendo exemplar para um tração-dianteira. Nesta onda, nosso Achado meio Perdido de hoje é um Civic VTi EG (o código para hatchback desta geração), o que já é bem bacana. O detalhe: ele recebeu um bloco B20 e agora, além de deslocar dois litros, entrega nada menos que 198 cv nas rodas!

Como você deve saber, o Honda Civic VTi original era movido pelo icônico motor B16, uma pequena maravilha de 1,6 litro com comando variável VTEC e injeção multiponto, capaz de chegar aos 160 cv a 7.600 rpm e 15,2 mkgf de torque a 7.500 rpm. O VTEC atuava às 5.600 rpm, a faixa vermelha do conta-giros começava às 8.000 rpm e o corte de giro vinha às 8.500 rpm. Original, o VTi era capaz de chegar aos 100 km/h em 7,3 segundos, com máxima de 212 km/h. Um verdadeiro foguetinho.

img_20652_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb

Achar um Honda Civic VTi original no Brasil tem se tornado uma tarefa cada vez mais difícil, mas vira e mexe surgem algumas opções interessantes entre os preparados e modificados. É o caso deste exemplar de 1995 anunciado no GT40.com.br (dica: procure por “JDM” na ferramenta de busca!): muito bem cuidado, inteiro e equipado com um motor B20 vindo de um Honda CR-V de primeira geração, importado da Flórida. O carro pertence a Gabriel Bittencourt, de Florianópolis, Santa Catarina.

img_20616_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb img_20660_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb

Na verdade, o bloco é que veio do motor B20, enquanto o cabeçote permanece o do B16A3, original do Civic VTi 1995. Diversos componentes de preparação aftermarket foram instalados. Segue a lista:

  • Comandos Buddy Club Stage IV (importados do Japão)
  • Molas, pratos e travas Supertech (aprovados para até 11.000 rpm)
  • Parafusos ARP 2000
  • Pistões 85 mm YCP Type R Cast com anéis Hasting e taxa de compressão com taxa 13,0:1
  • Junda do cabeçote Golden Eagle
  • Flauta de combustível Golden Eagle
  • Coletor de admissão Edelbrock
  • Borboleta Skunk2
  • Cabeçote com com fluxo retrabalhado
  • Correia dentada, Bomba d’água e bomba de óleo B18C (Honda Integra Type R)
  • Bronzinas e encosto ACL Race
  • Injetores 80 lbs. Siemens Deka de alta impedância
  • Data logger Pro Tune PR440 Drag

O motor fica sobre calços de PU, roda sempre com gasolina Premium e, de acordo com testes em dinamômetro, entrega exatamente 198 cv nas rodas. O câmbio é original do B16, com sincronizadores MFactory, e leva a força para as roda dianteira através de um diferencial Quaife de deslizamento limitado.

img_20640_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb img_20656_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb

A suspensão do carro também foi preparada, usando amortecedores reguláveis e molas H&R (com ajuste de cambagem), e um kit completo de buchas Energy Suspension. As rodas são réplicas das Volk CE38N de 15×7 polegadas (cada uma pesa 5,5 kg, de acordo com Gabriel), e calçadas com pneus Toyo R888 novos. Abrigados por elas estão discos de freio frisados com linhas Aeroquip. Há ainda, alguns componentes não instalados, mas que acompanham o Civic, como os braços inferiores de alumínio com buchas de PU na suspensão traseira.

O interior do carro é quase totalmente original, com exceção de um jogo de tapetes personalizados, pedaleiras Mugen e uma barra anti-torção interna na traseira (e outra no cofre do motor). A bateria foi substituída pela usada no Honda Fit, mais leve e compacta.

img_20628_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb

O carro era preto quando novo, mas o dono anterior mandou pintá-lo na mesma tonalidade de azul da Ford Ranger, Azul Aurora. Gabriel, que comprou o carro praticamente pronto no início do ano e, desde então manteve todos os seus sistemas em ordem. Ele conta que rodou pouco com o carro, participando de eventos e encontros de Honda aos fins de semana, e que decidiu vender o carro pois estuda em outra cidade e, por isto, não tem tempo para curtir o VTi B20 como se deve.

img_20632_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb img_20644_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb img_20648_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb

O valor pedido por Gabriel é de R$ 40.000. É bastante dinheiro para um Honda Civic VTi original, porém é preciso levar em consideração que este é um carro com engine swap usando um motor preparado por completo. Qualquer troca de motor, por mais que seja realizada entre unidades da mesma fabricante ou mesmo da mesma família, é um trabalho complexo e dispendioso, como detalhamos neste post. Fazer com que tudo funcione direito, de forma eficiente e confiável, não sai barato. Além disso, o atual patamar de preços para o Civic VTi varia entre de R$ 25.000 a R$ 30.000.

img_20620_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb img_20624_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb img_20664_4_ddb881a2-e045-43d0-b260-aa9e9f902feb

Se você se interessou pelo Civic VTi do Gabriel, acesse o anúncio no GT40.com.br para pegar seus contatos!

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

É uma pena que a Audi nunca tenha feito este belíssimo A8 Coupé

Dalmo Hernandes

Opala “SS” V8 350, um Civic Si preparado e pouco rodado, uma rara Caravan 4.1/S Álcool e as novidades do GT40!

Dalmo Hernandes

Kawasaki Z1300: a moto com seis cilindros e 130 cv que assombrou o mundo nos anos 80

Dalmo Hernandes