A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos Zero a 300

Um Chevrolet Omega GLS 2.2 do último ano, todo original, bem cuidado e à venda

Se você conhece a fama da primeira geração do Chevrolet Omega vendida no Brasil, sabe que ela pode ser resumida em apenas uma palavra: absoluto. Quando foi lançado por aqui, em 1992, o Omega já era experiente lá fora – o Opel Omega, que lhe deu origem, foi lançado em 1986 –, mas isto não o impediu de se tornar o lrro mais avançado produzido em solo brasileiro na época. Especialmente em relação ao Chevrolet Opala, seu antecessor, que já estava na ativa desde 1968 e merecia um descanso.

Agora, por mais que o Omega realmente desejado seja o que tem motor de seis cilindros, de três litros ou de 4,1 litros, a versão de quatro cilindros também tem seu valor. Embora seja menos potente e tenha menos equipamentos, ainda se move com desenvoltura suficiente e traz as características que todo mundo curte no Omega: boa dinâmica, tração traseira e muita elegância e presença, além do acabamento excelente e do design que já virou clássico. E, se você quer um Omega e não se importa que ele tenha dois cilindros a menos, pode ser que este exemplar anunciado no GT40.com.br te agrade bastante.

img_73900_4_a39c8459-7445-48b1-a1ca-66fe2f873148

Trata-se de um Chevrolet Omega GLS 2.2 1998, último ano de fabricação do Omega brasileiro antes da chegada da geração seguinte, importada da Austrália –  na verdade, um Holden Commodore com outros emblemas e um motor V6 de 3,8 litros e 200 cv. No caso deste exemplar, o quatro-cilindros de 2,2 litros com comando simples no cabeçote entrega 116 cv a 5.200 rpm, e 20,1 mkgf de torque a 2.800 rpm. É acoplado a uma caixa manual de cinco marchas.

WhatsApp Image 2017-08-19 at 14.12.53

Por mais que o projeto já tivesse doze anos em 98, quando este carro foi fabricado, o Omega ainda oferecia itens que raramente eram vistos por aqui: a suspensão traseira independente, com braços arrastados e barra estabilizadora, célula de segurança e um cuidado acima da média com a aerodinâmica, com vidros rentes à carroceria e dianteira baixa, em forma de cunha.

WhatsApp Image 2017-08-19 at 14.13.01

O carro pertence a Rodrigo Mora, tem 77.200 km rodados e está todo original. O carro foi tirado zero-quilômetro pelo jornalista Fernando Calmon (que completa 50 anos de carreira nesta segunda, aliás) poucos meses antes do fim da produção do modelo, e vendido a Rodrigo há cerca de cinco anos.

É possível encontrar exemplares do Omega GLS com quase tantos equipamentos quanto um Omega CD, e no caso deste carro há até mesmo detalhes em madeira no interior, computador de bordo, rádio com CD player original Chevrolet (fucionando perfeitamente), vidros elétricos com função um-toque, revestimento interno aveludado, ar-condicionado e direção assistida. Lhe faltam apenas itens como disqueteira, couro nos bancos e teto solar.

img_73896_4_a39c8459-7445-48b1-a1ca-66fe2f873148

Mora conta que o carro, comprado há alguns anos, é muito bem cuidado e só usado ocasionalmente. Ele também diz que a manutenção preventiva é feita regularmente, destacando a troca dos pneus, pastilhas dianteiras e embreagem, realizada recentemente. Fluidos e filtros são trocados como manda o manual, e não há alteração das características originais do carro. Nem mesmo as rodas: Mora diz que é frequente dizerem que estas são as rodas do Omega CD, as famosas Powertech, mas explica: em 1998, o Omega CD ganhou novas rodas, e as Powertech foram adotadas no Omega GLS.

WhatsApp Image 2017-08-19 at 14.13.14 WhatsApp Image 2017-08-19 at 14.12.50

O dono também diz que o carro tem dois detalhes a serem acertados: o cilindro do ar-condicionado, que precisa ser substituído, e a máquina do vidro elétrico dianteiro esquerdo, que não está funcionando. No mais, o carro parece muito conservado por fora e por dentro.

Se você se interessou, pode clicar aqui para acessar o anúncio e pegar todos os detalhes com o proprietário!

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Sete coisas que meu Gol 85 me ensinou sobre ter um carro velho

Dalmo Hernandes

Alfa Romeo 4C Spider sem disfarces, VW cria aplicativo de telemetria para track days, Lamborghini Aventador em edição especial e mais!

Leonardo Contesini

Um cara salvou este VW Golf Harlequin do ferro-velho e agora está cruzando seu país com ele

Dalmo Hernandes