A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Achados meio perdidos

Uma VW Parati S 1.6 restaurada, pronta, e à venda

Para alguns entusiastas, a experiência de ter um carro antigo começa antes mesmo da compra. Quem foi mordido pelo bichinho da ferrugem só vê graça em um projeto se fizer tudo desde o começo – da busca pela base perfeita até a conclusão do projeto. Levantar um carro, vê-lo tomar forma pouco a pouco e, finalmente, dirigi-lo pela primeira vez. Ter a sensação de que todo o trabalho feito, todo o tempo investido, todo o dinheiro gasto, valeu a pena.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até três carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Mas nem todo entusiasta tem essa vontade – alguns preferem algo já pronto, só para comprar, cuidar e curtir. E tudo bem: um bom serviço de restauração pode facilmente igualar-se ao preço do carro, e não é raro que fique até mais caro. Ah, e não pense que a recuperação do valor gasto está garantida na venda. Pode acontecer, mas não conte com isso.

Então, se você quer um carro antigo pronto, já restaurado e tranquilo nas visitas à oficina, nosso Achado meio Perdido da semana pode ser uma boa: esta Parati S 1986, com motor 1.6, restaurada com capricho e pronta para passear com a família no fim de semana. Afinal, são 530 litros de porta-malas e uma área plana bem generosa. Cabe tudo.

 

A Parati, para quem não lembra, foi lançada em junho de 1982 – foi o segundo derivado do Gol a chegar ao mercado, um ano depois do Voyage e dois anos depois do próprio hatchback. Inicialmente vinha com o motor 1.5 de 65 cv do Passat, o precursor do famoso AP, com comando no cabeçote, duas válvulas por cilindro e 78 cv. O motor 1.6 foi adotado logo, em 1982, e permaneceria por oito anos sob o capô da perua – só em 1990, quando produzia saudáveis 90 cv, foi substituído pelo AE-1600 de 76 cv. O novo motor era um Ford CHT rebatizado e, a despeito da robustez e da economia, não agradou pelo desempenho inferior.

O exemplar anunciado no GT40 é uma Parati 1.6 S, versão mais simples que apareceu pouco tempo depois do lançamento, juntando-se à intermediária S e à de topo GLS. É equipada com o motor motor AP-600, que estreou em agosto de 1985 e desenvolvia saudáveis 90 cv e 12,9 kgfm de torque na versão a álcool, caso desse exemplar.

Segundo o anunciante, Bird Clemente Jr., a Parati foi restaurada por completo. Está com ótima estrutura, recebeu pintura nova na cor de fábrica Vermelho Capri, e traz o interior com acabamento em excelentes condições, bem como os revestimentos dos bancos e portas no padrão original. Não há nada faltando ou quebrado, e toda a instrumentação funciona a contento.

O mesmo vale para a mecânica, que é toda original – incluindo o câmbio de cinco marchas, novidade para a Parati na época, que ajudava na economia de combustível em rodovia. A elétrica foi completamente revisada, e os pneus Firestone são novos.

O carro traz alguns itens que não estavam presentes na versão S, mas sim na LS – o spoiler frontal, o retrovisor no lado do carona e os faróis auxiliares Cibié, por exemplo. Esse tipo de modificação era comum na época: as pessoas compravam versões básicas e, com o tempo, as incrementavam com equipamentos das variantes mais completas.

Este é um carro pronto – como todo antigo, merece uma revisão caprichada pós-compra, claro, mas a parte mais difícil já foi feita. O preço, claro, condiz com o estado de conservação geral (que garantiu a placa de coleção, inclusive). Se você ficou interessado e quer saber mais, basta clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do vendedor.


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Um Fiesta 1.6 “Zetec-S” preparado, customizado com bom gosto e à venda

Dalmo Hernandes

Leilão de clássicos no Rio Grande do Sul arrecada mais de R$ 1 milhão, veja os destaques

Dalmo Hernandes

Este Cadillac Sedan De Ville 1961 é um belo colecionável – e está à venda

Dalmo Hernandes