A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Vídeos YoutuBR

WRX STI no Velo Città, um Chevrolet Malibu de avô para neto, a primeira perua da Mercedes, vida a bordo de um motorhome e mais nos melhores vídeos da semana!

Bem-vindo ao YoutuBR, nossa seleção dos vídeos sobre carros que os canais favoritos dos entusiastas publicaram durante a semana — programação gearhead de primeira para o seu fim de semana, feita somente por canais brasileiros no Youtube. Sacou o trocadilho? Então se acomode, prepare as guloseimas e aperte o play. Aproveita, que é por conta da casa!

 

Acelerados: realizando o sonho de milhares de entusiastas, os caras do Acelerados levaram ao Velo Città nesta semana o Subaru WRX STI. A mais recente geração do esportivo criado dos ralis é movida por um flat-4 de 2,5 litros com turbo, 310 cv a 4.000 rpm e 40 mkgf de torque a 6.000 rpm. O câmbio é manual de seis marchas, e leva a tração para as quatro rodas. O diferencial central é autoblocante e capaz de variar a distribuição do torque entre os eixos em tempo real. Além disso, a configuração do motor boxer é boa para abaixar o centro de gravidade. O WRX STI é uma máquina de fazer curva.

Isto fica claro sempre que Rubinho ataca uma curva com vontade: o WRX muda de direção muito facilmente e com precisão exemplar. No entanto, Barrichello comenta que seu desempenho seria um pouco melhor caso a tração fosse mais concentrada atrás. Além disso, há um perceptível turbo lag antes da faixa das 4.000-5.000 rpm — o carro só mostra fôlego de verdade a partir daí. Dito isto, ainda é um carro muito veloz. Mas será o bastante para superar os 1:04,7 do Lancer Evo X? Ah, e os caras ainda levaram um WRX de segunda geração “blob eyes” todo preparado, com carroceria de fibra de carbono e 500 cv nas rodas, para tentar quebrar a barreira de um minuto no Velo Città. Mas isto vai ficar para a semana que vem…

Como se não bastasse, o Acelerados ainda foi dar um pulo no Concours d’Elegance Pebble Beach, que aconteceu no mês passado. Além de mostrar alguns carros que mereciam destaque (como o Porsche 911 de Steve McQueen e os conceitos que marcaram presença), Cássio Cortes conta um pouco sobre a história do Concours e bate um papinho com ninguém menos que Jay Leno.

 

Amigos por Carros: nesta semana, o ApC chegou ao último episódio de sua série de test drives na Itália. E o derradeiro supercarro a passar pelo canal é o Lamborghini Aventador LP700-4 Roadster, versão sem teto do supercarro italiano equipado com um V12 de 6,5 litros e exatos 700 cv. Além do ronco fantástico do motor, capaz de girar bem acima das 8.000 rpm, o Aventador é capaz de chegar aos 100 km/h em três segundos cravados, com máxima de 350 km/h — a céu aberto.

A força do motor é levada para as quatro rodas através da caixa automática E-Gear, de sete marchas. Apesar de não ter dupla embreagem, ela é . Na muito rápida e agressiva — especialmente no modo “Corsa”, voltado para as pistas. Mas será que é possível sentir a diferença mesmo nas ruas?

 

 

Inside Driver: o vídeo da semana no Inside Driver conta a bela história do paranaense Bernardo Heller, que herdou do avô, Udo Heller, a paixão pelos carros antigos. Seu xodó é um Chevrolet Malibu 1968 conversível, equipado com um motor V8 327 (5,3 litros) alimentado por um carburador Weber quadrijet de 750 cfm. A potência deve chegar perto dos 300 cv, e a transmissão é uma Powerglide automática de duas marchas.

Bernardo usa o carro sempre que pode — e isto inclui os dias de semana —, curtindo como se deve um legítimo muscle car americano. Ele diz que o carro não é perfeito e merece uma restauração completa, por ter um significado muito especial: foi com este carro que seu avô o ensinou os primeiros macetes na hora de comprar um carro antigo.

Udo Heller foi o fundador dos dois principais clubes de antigomobilismo do estado do Paraná — o CAAMP (Clube de Automóveis e Antiguidades Mecânicas do Paraná) e o Veteran Car Club. A Bernardo e seus familiares, Udo deixou, como legado, uma garagem com mais de 30 carros e uma paixão para a vida toda.

 

Bufalos TV: o trio do Bufalos TV passa muito tempo na estrada, documentando histórias, personagens e eventos pelo mundo todo. Sendo assim, dá para dizer que eles são meio nômades. Para cobrir o Concours d’Elegance Pebble Beach, eles alugaram um Motorhome e, como parte da série b.vlogs, decidiram mostrar como é a vida morando ao volante, trocando o conforto de um hotel pela liberdade de uma casa (mesmo que temporária) sobre rodas.

 

Garagem do Bellote: um verdadeiro clássico alemão é a estrela da semana na Garagem do Bellote. Trata-se de uma Mercedes-Benz 300TD W123, primeira perua fabricada pela Mercedes-Benz, em 1978. Na nomenclatura da época, “T” significava touring e “D”, que o carro era movido a diesel. Sim, uma perua Mercedes a diesel no Brasil!

O motor é um robusto cinco-em-linha de três litros turbodiesel, capaz de entregar 125 cv a 4.350 rpm e 25 mkgf de torque a 2.400 rpm. O câmbio é automático de quatro marchas — conjunto econômico e praticamente indestrutível. Para se ter uma ideia, esta perua já foi dirigida três ou quatro vezes até o Uruguai, e já rodou mais de 400.000 km no total.

 

Marcelo Tonella: depois do Chevette “tubarão”, Marcelo Tonella dá sequência aos clássicos da Chevrolet com um Opala Diplomata 1988 — quatro anos antes de o Opala sair de linha, em 1992. O motor é o seis-em-linha de 4,1 litros que, àquela altura, já havia passado por diversas modificações e entregava 121 cv a 3.800 rpm, com o torque máximo de 29 mkgf aparecendo já às 2.000 rpm. O câmbio era manual de quatro marchas.

O Diplomata era a versão topo-de-linha do Opala, com uma moldura que imitava lanternas de fora a fora na traseira, veludo no interior (um belo veludo, por sinal) e recursos como volante ajustável, ar-condicionado, faróis com temporizadores, vidros e travas elétricos (até na traseira). Ainda que seu sucessor, o Omega, fosse décadas mais moderno e ainda mais requintado, o Opala Diplomata marcou toda uma geração com sua elegância.

 

Hot Campinas: e o Chevrolet Corvette C7 Promod de Sidnei “Grandão” Frigo, equipado com motor Hemi biturbo de mais de nove litros e 4.000 cv, aparece novamente por aqui. Ao cumprir o quarto-de-milha (402 metros) em 5,85 segundos a 403 km/h, Sidnei fez a puxada classificatória mais rápida da história da categoria. E você vai saber como é a visão do piloto em uma monstruosidade destas.

 

Planeta Caminhão: nesta semana, o Planeta Caminhão apresenta os tradicionais road trains (trens de estrada) da Austrália. O país tem os veículos rodoviários regulamentados mais pesados do planeta — até 200 toneladas —, o que permite que os caminhões levem três ou quatro trailers pelas longas estradas do Outback australiano.

Usados principalmente para transporte de gado e combustível, os road trains possuem um registro especial no departamento de trânsito australiano. Alguns caminhões — como os usados em mineração — são tão longos e pesados que, além do motor dianteiro (que costuma ter 500 cv ou mais), há um motor adicional de 400 cv na última caçamba, acoplado a uma transmissão automática. No entanto, estes não costumam rodar pelas estradas.

 

 

Matérias relacionadas

Veja como este Citroën DS3 do WRC foi reparado em 30 minutos (!)

Dalmo Hernandes

Esportivos brasileiros dos anos 70, Porsche 911 Turbo S TechArt de 620 cv, Kombi AP 2.0 Turbo e mais nos melhores vídeos da semana!

Dalmo Hernandes

Santa ignorância: isto é um Ford Focus RS com motor Cosworth de 1.000 cv

Dalmo Hernandes