A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

A volta do Toyota Celica, Ford Mustang pode se tornar elétrico em 2028, o último Lotus com motor a combustão e mais

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco!

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Toyota registra nome “Celica” e nos enche de esperanças

 

Uma opinião compartilhada por toda equipe editorial do FlatOut: o Supra de quatro cilindros deveria se chamar Celica. E parece que a Toyota andou ouvindo nossos papos, porque o nome foi registrado recentemente pela fabricante nos Estados Unidos. É o bastante para deixar qualquer entusiasta empolgado, ainda mais levando em conta os recentes acertos da Toyota em relação aos esportivos.

O registro foi feito sob a categoria “automóveis e componentes estruturais”. Está certo que o mero registro não significa que a Toyota está planejando uma nova geração do Celica – até porque o nome não vem acompanhado do sufixo “GR”, ao contrário do que acontece com o GR Supra e o GR Yaris, e possivelmente o futuro GR 86. Ou seja: em vez de um novo projeto da Gazoo Racing, trata-se provavelmente de um registro preventivo.

Por outro lado, é tentador imaginar um Toyota Celica no século 21, mesmo que se trate apenas de uma variante de um modelo já existente. Nunca é demais torcer e sonhar.

 

Ford Mustang pode adotar powertrain elétrico em 2028

In other news, a Ford pode estar a caminho de tomar outra decisão questionável – ao menos do ponto de vista entusiasta, embora faça sentido neste momento da indústria: rumores recentes dizem que a próxima geração do Mustang será adiada para 2028, quando o modelo atual terá completado 13 anos de idade.

Esportivos longevos não são novidade alguma (o Nissan GT-R, por exemplo, foi lançado em 2007) mas, no caso do Mustang, o adiamento pode ser sinal de que a Ford está preparando uma mudança radical: a adoção de um powertrain exclusivamente elétrico no pony car – o que exigiria o desenvolvimento de uma plataforma totalmente nova e uma janela de tempo maior para acertar suas características dinâmicas.

Os boatos vêm de um podcast chamado Autoline (nada a ver com nossos parceiros), que em seu último episódio cita informações da agência AutoForecast Solutions, especializada em consultoria para a indústria automobilística. Segundo a empresa, a Ford precisará reformular a linha de produção do Mustang em Flat Rock, Michigan, para poder produzir o cupê – o que também contribuiria para o atraso em sua chegada.

Evidentemente, não são citados os nomes daqueles que forneceram esta informação, e é claro que a Ford também não comenta nada. Contudo, é importante frisar que estes boatos contradizem as informações mais recentes, que dizem que a próxima geração do Mustang deve chegar ainda em 2023, e que deve manter o motor V8 como principal opção de powertrain.

 

Lotus anuncia seu último modelo com motor a combustão

A Lotus deve apresentar neste ano aquele que provavelmente será seu último modelo a combustão, considerando as recentes mudanças de filosofia demonstradas pela tradicional fabricante britânica. Segundo o Automotive News Europe, a informação foi confirmada por “uma fonte que conhece os planos”.

Embora os detalhes técnicos do carro ainda sejam desconhecidos, a publicação conversou com o CEO da Lotus, Phil Popham, e ele confirmou que o novo modelo será oferecido em uma faixa de preços bastante ampla, começando em £ 55.000 (cerca de R$ 406.000 na cotação atual) e chegando aos £ 105.000 (R$ 776.000) na versão de topo.

Por conta disto, acredita-se que o modelo substituirá, de uma só vez, os clássicos Elise, Exige e Evora na linha da Lotus. Ao oferecer um único modelo com diferentes configurações de equipamento e powertrain, a Lotus conseguirá otimizar a produção, conter custos e satisfazer uma fatia grande de seu público.

 

Chevrolet Cruze LTZ volta para brigar com o Corolla GR-S

 

A Chevrolet anunciou a linha 2021 do Cruze – e, com ela, traz de volta a versão intermediária LTZ. Desta vez, porém, ela traz alguns elementos visuais distintos que, segundo a fabricante, visam uma estética mais esportiva. A ideia, aparentemente, e tentar a sorte contra o recém-apresentado Corolla GR-S, oferecendo um pacote razoavelmente generoso de equipamento e o mesmo conjunto mecânico das demais versões.

O para-choque é similar ao que já é usado no Cruze hatch, o que por si só já confere um caráter mais jovial ao visual do sedã LTZ – porém, de forma ainda mais discreta que no Corolla GR-S. O carro também traz rodas de liga leve de 17 polegadas, lanternas de LED, câmera de ré e central multimídia MyLink com Wi-Fi. Já o motor continua sendo o 1.4 turbo com injeção direta, 153 cv e 24,5 kgfm, sempre ligado ao câmbio automático de seis marchas da família.

A Chevrolet ainda não revelou os preços da linha 2021 do Cruze, mas não deve demorar muito mais para fazê-lo.

 

Land Rover Discovery Sport ganha novo motor a diesel no Brasil

Outra novidade para o mercado brasileiro é a versão a diesel do Land Rover Discovery Sport, recém-anunciada na linha 2021. A versão D200 conta com um motor turbodiesel de dois litros com 199 cv e 43 kgfm de torque – estes, presentes já às 1.750 rpm – ligado a uma caixa automática de nove marchas.

Todos os níveis de acabamaneto (S, SE e R-Dynamic SE) poderão vir com o motor a diesel como alternativa ao motor 2.0 turbo flex de 250 cv e 27,5 kgfm, que também usa o mesmo câmbio.

Os preços partem de R$ 280.950 pelo Discovery Sport S D200 de cinco lugares, e de R$ 289.650 pela carroceria de sete lugares. A Land Rover ainda não divulgou quanto custam as demais variantes.

 

Mercedes-Benz SLS AMG vendeu dois exemplares zero-quilômetro em 2020

Antecessor do Mercedes-AMG GT, o SLS AMG saiu de linha em 2015. Mas isto não impediu o supercarro – que já é um clássico com seu motor V8 naturalmente aspirado de 6,2 litros e 570 cv – de emplacar dois exemplares zero-quilômetro no ano passado.

Os dois carros foram vendidos nos Estados Unidos, e provavelmente foram comprados por clientes de bom gosto. O SLS AMG foi lançado em setembro de 2011 e descontinuado em 2015 – não foi divulgado o ano de fabricação dos exemplares, mas isto significa que eles ficaram algo entre cinco e nove anos no showroom da concessionária esperando por compradores. E, como diz o ditado, “quem espera sempre alcança”, não é?

Matérias relacionadas

O remake de “C’était un rendez-vous”, o novo Evoque de 7 lugares, Playstation BR deixa vazar Gran Turismo 7 e mais!

O novo Mustang Bullitt em ação, Volvo começa venda do XC40 no Brasil, Citroën terá novo sedã de luxo e mais!

Leonardo Contesini

Cinema sobre rodas: a história dos drive-ins

Dalmo Hernandes