FlatOut!
Image default
Car Culture Projetos Gringos Zero a 300

Este Chevrolet Opala Chateau foi roubado há 16 anos e agora foi devolvido a seu dono


Foto: Abilene Rodrigues

Em meio a tantas notícias ruins, tristes e desesperadoras, o mundo não deixa de nos presentear com coisas que aquecem nossos gelados corações. Há alguns dias, algo incrível aconteceu: um morador de Foz do Iguaçu/PR, que teve seu Chevrolet Opala 1979 furtado há dezesseis anos, recuperou o carro das mãos de um paraguaio, que veio para o Brasil só para entregar o clássico a seu devido proprietário.

O carro foi roubado no bairro Jardim Amazonas, em Foz do Iguaçu, em 2001, e teve a queixa registrada no dia 1º de setembro daquele ano – ou seja, faz exatamente 16 anos amanhã. Desde então, o Opala nunca mais foi visto por seu antigo dono — que agora é o atual de novo.

Jefter Rodrigues Sensato, que é mecânico, havia acabado de quitar o carro, que comprou parcelado de um amigo, e só teve tempo de correr atrás dele a pé e vê-lo dobrando uma esquina. Depois disso, nunca mais viu o Opala.

“Fiquei triste, claro, mas passou”, contou Jefter em uma entrevista para a rádio Cultura, de Foz do Iguaçu. “Era uma coisa que eu já tinha apagado da memória. Achei que o carro já tinha sido desmanchado, vendido em peças para outros carros. Na época eu até procurei por vários dias aqui em Foz do Iguaçu, mas depois desisti. Achei que o carro já havia sido desmontado”.

17755-b17c33dd9672f8d743d7f450742e66bd

Foto: Jornal Tribuna Popular

Não foi. Na verdade, apesar de desgastado pelo tempo, o carro ainda está bom e, segundo Jefter, talvez até aguente pegar a estrada de volta para onde mora atualmente, no Mato Grosso. Ele teve de viajar até Foz do Iguaçu para cuidar dos trâmites legais referentes à ocorrência do roubo e à transferência da documentação.

Segundo Jefter, o homem que até então estava com o carro, Robert Acosta, descobriu apenas recentemente que seu carro havia sido roubado no Brasil. Assim que soube, começou a procurar pistas na internet sobre o dono anterior. Jefter não sabe detalhes a respeito de como foi rastreado, mas diz que Robert entrou em contato com ele para arranjar a devolução.

17755-dceff7dbc98169d187740816257bdff2

Foto: Jornal Tribuna Popular

O mecânico diz que ofereceu-se para comprar o carro de volta – nada mais justo, afinal Robert comprou o carro sem saber de sua procedência e era o proprietário legal, com toda a documentação paraguaia em ordem. No entanto, o paraguaio recusou todas as propostas e disse que o carro simplesmente seria devolvido a quem pertencia originalmente. “O Robert é um rapaz de muito bom coração, grande caráter, e me disse nenhum dinheiro lhe faria tão feliz quanto me devolver o carro”. Os dois acabaram ficando amigos.

E a história não acaba por aí. Se você tem curte o Opala, provavelmente notou a cor vinho do cupê, e provavelmente se lembra que ele é um Opala 1979. Repare com mais atenção e você verá que os bancos dianteiros e os revestimentos de porta também são cor de vinho. Sim: trata-se de um raro Opala Chateau!

jefter3

Foto: Abilene Rodrigues

A série Chateau para o Opala e a Caravan na versão Comodoro teve entre 75 e 100 exemplares fabricados em 1978 e 1979, e a principal característica era o esquema monocromático vinho. Nos carros fabricados em 1978, o painel e o volante são pretos, e apenas carpetes e revestimentos dos bancos e portas são vinho. O interior todo vinho só veio em 1979 – caso do carro de Jefter, que é equipado com um quatro-cilindros de 2,5 litros, 98 cv e 19,8 mkgf de torque.

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora