A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Técnica

BMW terá rodas de fibra de carbono em até dois anos

Você já viu fibra de carbono no interior dos BMW e também em partes da carroceria dos esportivos da marca, mas agora, eles querem ir além: o compósito também será usado para fazer rodas. Isso mesmo: rodas de fibra de carbono. E não pense que isso é apenas uma ideia conceitual — os bávaros pretendem colocá-las no mercado nos próximos 24 meses.

A ideia de fazer rodas de fibra de carbono não é nova. A Rotobox produz modelos para motos, e várias bikes de competição também são equipadas com esse tipo de roda. No ramo automotivo, a Koenigsegg já faz peças inteiras do material desde 2012 para equipar o Agera R (abaixo), mas na BMW a ideia surgiu de uma forma diferente. Depois de desenvolver novas técnicas de industrialização de fibra de carbono para a nova série i de carros elétricos, a marca encarregou engenheiro Franz Stockenmaier de encontrar novos usos para elas.

Entre as novidades estão um cardã feito em peça única para o SUV X5, um volante feito integralmente com o compósito (a maioria usa estrutura metálica revestida com a fibra) e, claro, as rodas de fibra de carbono.

Na verdade, a BMW desenvolveu dois tipos de roda de fibra de carbono. Um deles é totalmente feito com o material e é 35% mais leve que uma equivalente de alumínio forjado. O outro tipo é um híbrido com aro de fibra e miolo de liga metálica leve, que proporciona uma redução de 25% no peso em comparação com um modelo convencional. Além da redução do peso, Storkenmaier também mencionou que as rodas são bem resistentes a quebras e mais fáceis de reparar em caso de riscos.

2013-Koenigsegg-Agera-R-carbon-wheels

Depois de anos reservada a modelos de alto luxo e supercarros, a BMW finalmente conseguiu uma forma de baratear o custo da aplicação do material, usando os restos da fibra de carbono da produção da Série i. Ao misturar o material bruto com certos tipos de plástico industrial, é possível moldá-lo como peças plásticas comuns (algo que a Ford também vinha pesquisando), o que reduz o tempo de moldagem e cura, mas mantém as características desejadas da fibra de carbono, como leveza e resistência.

 

Tanto as rodas quanto o volante ainda precisam da aprovação da União Europeia, mas assim mesmo planeja lançar as rodas até 2016. A ideia de reduzir o peso das rodas do carro é muito atraente, mas a marca não falou muito sobre a maleabilidade do material — se ele resiste a deformações ou não. O que vocês acham de ter fibra de carbono nas rodas do seu carro em um futuro próximo?

 

Matérias relacionadas

Como o Ariel Fan Car Aero-P resgatou uma tecnologia proibida dos anos 60 para gerar downforce

Juliano Barata

Como funcionam os anéis sincronizadores do câmbio?

Leonardo Contesini

Que segredos possui este Astra GSi para fazer curvas como um superesportivo?

Juliano Barata