A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

BMW M8 Gran Coupé, os novos Mercedes E63S AMG, Chery Arrizo 6 chega neste mês e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

BMW M8 Gran Coupé é lançado no Brasil

A BMW anunciou ontem (17) a chegada de seu novo flagship ao mercado brasileiro: o M8 Gran Coupé. Apenas nove unidades serão importadas da Alemanha, com as vendas começando em agosto.

Segundo Rodrigo Andrade, o gerente nacional de vendas da BMW do Brasil, o BMW M8 será vendido em quantidade limitadíssima justamente pelo fator exclusividade. “Estamos trazendo nove unidades da série especial First Edition para atender aos fãs da BMW que desejam modelos de coleção”, diz.

O BMW M8 Gran Coupé First Edition tem exatamente o mesmo conjunto do modelo normal – ou seja, um V8 biturbo de 4,4 litros com 625 cv e 76,4 kgfm de torque, ligado a uma caixa automática ZF de oito marchas que leva a força para as quatro rodas. É o mesmo powertrain do M5 Competition, e no M8 Gran Coupé é suficiente para ir de zero a 100 km/h em 3,2 segundos, de zero a 200 km/h em 10,6 segundos, e chegar à velocidade máxima de 250 km/h (ou 305 km/h com o M Driver’s Package). Ainda não foi confirmado se as nove unidades contarão com este opcional.

 

A diferença do First Edition fica pelo acabamento especial – pintura verde metálico “Aurora Diamant”, detalhes na cor bronze, plaqueta numerada (1 de 400)  no interior revestido de couro marrom e creme.

O preço ainda não foi revelado, mas considerando que o Série 8 M850i xDrive parte R$ 882.000, não é implausível que o M8 passe de R$ 1 milhão. (Dalmo Hernandes)

 

Mercedes-AMG usará turbo eletrificado da F1 em carros de rua

Já faz algum tempo que a Mercedes-AMG vem avisando que irá eletrificar toda a sua linha em um futuro próximo. O processo começou com os modelos 53, que usam como base o atual seis-em-linha M256, que trabalha sempre combinado ao motor gerador de 48 volts, que substitui o motor de partida e ainda auxilia na propulsão, fornecendo energia cinética ao virabrequim.

Agora, o próximo passo na eletrificação dos esportivos de Affalterbach será a adoção de um turbocompressor elétrico semelhante ao usado pelos carros da Fórmula 1, anunciado nesta semana pela AMG. Nele a turbina continua movida pelo fluxo dos gases de escape, mas seu eixo agora é ligado a um motor elétrico que mantém a rotação da turbina na velocidade ideal durante frenagens e quando o acelerador é aliviado (cutoff), eliminando o turbo lag quando a aceleração é retomada.

A AMG não divulgou qual será o primeiro modelo a usar esse turbo, mas tudo indica — pela lógica da segmentação — que o carro escolhido para a primazia será o próximo AMG GT 73 ou o AMG GT Black Series, por serem os modelos de topo. (Leo Contesini)

 

Mercedes-AMG renova E63S Sedan e Wagon

Além do turbo elétrico a Mercedes-AMG também anunciou a linha 2021 do E63S Sedan e Wagon. Os dois modelos ainda estão na mesma geração, mas ganharam uma nova dianteira com faróis de LED, para-choques e grade Panamericana reestilizados.

As lanternas traseiras também foram modificadas no sedã, ficando mais estreitas e anguladas. Na perua as lanternas mantiveram o formato do modelo anterior, porém com um rearranjo interno para acompanhar a reestilização do sedã. Por dentro, ele mudou pouco; as novidades se concentram na atualização do sistema MBUX e no volante, que agora tem botões sensíveis ao toque com feedback.

O motor continua o mesmo, também. O bom e velho V8 4.0 biturbo de 610 cv e 86,5 kgfm combinado ao câmbio AMG Speedshift de nove marchas e embreagem dupla, ligado às quatro rodas pelo sistema 4Matic+, que permite até 100 % do torque distribuído para o eixo traseiro. Com esse conjunto o sedã vai de zero a 100 km/h em 3,3 segundos, enquanto a perua leva 0,1 segundo a mais.

O novo modelo também mantém a suspensão inalterada. Trata-se do mesmo AMG Ride Control+, com molas pneumáticas com câmaras múltiplas e amortecedores ajustáveis com três pré-ajustes — Comfort, Sport e Sport+. Os freios continuam com discos de 391 mm na dianteira e 360 mm na traseira, ambos beliscados por pinças de seis pistões na dianteira e quatro na traseira. Opcionalmente é possível instalar discos de Carbono Cerâmica da AMG. (Leo Contesini)

 

Triumph Tiger 900 é lançada em duas versões e parte de R$ 58.000

Conforme anunciado há poucos dias, a Triumph Tiger 900 chega ao Brasil. A fabricante britânica traz sua trail em duas versões: GT Pro, que custa R$ 57.990, e Rally Pro, que sai por R$ 59.990. Ambas são as topo de linha para as configurações “de estrada” e “de trilha” da Tiger 900.

Ambas as motos são movidas pelo novo motor tricilíndrico de 888 cm³. Conforme dito anteriormente, a potência segue a mesma, 95 cv. Mas agora ela aparece mais cedo – às 8.750 rpm, e não a 9.500 rpm como na Tiger 800. Já o torque aumentou de 8,01 kgfm a 8.050 rpm para 8,84 kgfm a 7.250 rpm.

O que diferencia as duas motos é a proposta – a GT Pro tem uma pegada mais voltada a viagens em estradas pavimentadas, e por isso tem rodas de liga leve (sendo que dianteira tem 19 polegadas), suspensão Marzocchi (garfo dianteiro invertido de 45 mm na dianteira, monoshock na traseira) com curso de 177 mm na frente e 186 mm atrás. Já a Rally Pro tem suspensão Showa com curso de 238 mm na frente e 228 mm atrás, além de rodas raiadas (21 polegadas na dianteira). Ambas trazem ajustes de compressão e retorno, rigidez da suspensão e pré-carga, mas na GT Pro estes ajustes são eletrônicos e na Rally Pro, manuais.

A Triumph diz que os preços anunciados são promocionais, válidos para o lote de 70 unidades que já está no Brasil. A partir de 1º de julho o estoque será renovado e os preços vão subir um pouco. Além disso, espera-se que nos próximos meses a Tiger 900 ganhe opções mais em conta. (Dalmo Hernandes)

 

Chery Arrizo 6 chega neste mês para enfrentar Civic e Corolla

A Chery anunciou ontem (17) a data de lançamento do sedã Arrizo 6: 24 de junho, em uma live direto da fábrica em Jacareí (SP). Será uma estreia importante para a marca chinesa, representada no Brasil pelo Grupo CAOA: o Arrizo 6 tem a missão de encarar o Honda Civic, o Toyota Corolla e o Chevrolet Cruze.

Para isto, é possível que a estratégia da Chery seja trazer o carro em uma única versão, com lista de equipamentos recheada – e, espera-se, preço agressivo. A versão chinesa vem de série com seis airbags, câmera de 360°, sensor de estacionamento e cruise control adaptativo.  Mas ainda não se fala nisso: a Chery está investindo na imagem do Arrizo 6, mostrando alguns de seus atrativos como faróis e lanternas de LED, central multimídia com tela de 9 polegadas e o console central, com a tela sensível ao toque que controla o sistema de ar-condicionado.

Acredita-se que o Arrizo 6 utilizará o mesmo conjunto mecânico do Arrizo 5 – ou seja, um motor 1.5 turbo de 150 cv, mais uma caixa CVT que simula nove marchas.

O Arrizo 6 terá uma missão dura pela frente, e precisará investir em custo-benefício. O Corolla de entrada, o GLi, tem motor 2.0 de 177 cv. E vem com uma boa seleção de equipamentos, com sete airbags, central multimídia de 8 polegadas, controles de tração e estabilidade, ar-condicionado (analógico) e hill-holder são de série por R$ 105.990. O Civic, por sua vez, parte de R$ 99.200 na versão LX, com motor 2.0 de 150 cv. Ele tem seis airbags, cruise control, ar-condicionado automático digital, central multimídia de sete polegadas e sistema de monitoramento de pressão dos pneus. (Dalmo Hernandes)

Matérias relacionadas

A nova temporada de Top Gear, Fittipaldi no pódio, um novo McLaren, o custo de reparação do Up! e mais!

Leonardo Contesini

Um motor e cinco equipes: a trajetória frustrada da Lamborghini na Fórmula 1

Dalmo Hernandes

Os games de corrida mais legais de 128 bits – Parte final

Dalmo Hernandes