A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Chevrolet Corvair: um raro e pouco rodado exemplar de 1962 à venda no Brasil

Carroceria cupê, motor boxer de seis cilindros na traseira, arrefecimento a ar… mas não é o Porsche 911. É o Chevrolet Corvair, fruto de uma verdadeira vontade de inovar por parte da General Motors, e o único carro produzido em série projetado e fabricado nos EUA a utilizar esta configuração mecânica. E não é um carro muito comum de encontrar no Brasil – o que torna este exemplar anunciado no GT40 um verdadeiro Achado Meio Perdido.

O Corvair foi lançado em 1959, e foi o primeiro carro compacto da Chevrolet. Por mais que tenha sido vendido com diferentes configurações de carroceria, como sedã de quatro portas, perua, furgão e picape, sua versão mais conhecida é o cupê. O nome Corvair é um trocadilho com CorvetteBel Air, e não por acaso: Ed Cole, engenheiro da Chevrolet responsável pelo Corvette, lançado em 1952, foi o responsável pelo projeto.

CV12

O motor era um flat-six com comando no bloco, deslocamento de 2,3 litros e um turbocompressor, capaz de entregar 81 cv na versão comum e 96 cv na versão Super Turbo 6. Era uma potência relativamente baixa, e o turbo estava lá para ajudar o motor a economizar combustível, mas em compensação o Corvair era quase todo feito de alumínio. Havia duas opções de câmbio: um manual de três marchas ou automático Powerglide de duas marchas.

O Corvair era feito sobre a plataforma Z-body da Chevrolet, criada especialmente para o modelo. Graças ao motor boxer na traseira, o carro tinha centro de gravidade baixo e podia ter uma carroceria mais esbelta e elegante. A distribuição de peso mais traseira contribuía até mesmo a eficiência dos freios, pois o carro sofria menos os efeitos da inércia sob desaceleração.

CV8

Por outro lado, a massa concentrada sobre o eixo traseiro, aliado à suspensão por braços oscilantes, fazia com que o comportamento dinâmico do carro nas curvas não fosse muito estável – o Corvair era famoso pelas traseiradas. Nada disto havia afetado as vendas nos primeiros anos, com mais de 200.000 unidades emplacadas por ano. Então, em 1965, veio o livro Unsafe at Any Speed (“Perigoso em Qualquer Velocidade”), de Ralph Nader, advogado e ativista americano que considerava arriscado guiar o Corvair, que acabara de chegar a sua segunda geração, pelo risco de perda do controle causado pelo desenho da suspensão traseira. Em 1966, a Chevrolet mudou a suspensão traseira para um sistema independente, mas não adiantou: após a publicação do livro, as vendas do Corvair caíram pela metade. O carro acabou tendo a produção encerrada em 1969.

CV24

Um substituto na categoria veio apenas em 1981, quando o Chevrolet Cavalier (versão americana do nosso Monza, com visual distinto) foi lançado. Ele era bem mais comum, como bem sabemos, usando um quatro-cilindros em linha transversal e tração dianteira.

O Corvair à venda no GT40 está na Vintage Garage, em Curitiba/PR. O carro é de um cliente, e está aos cuidados de Bird Clemente Jr.

Trata-se de um Corvair Monza 1962. Naquele ano, o Corvair já tinha motor de 2,4 litros e 98 cv, além com uma curva de torque mais generosa. A versão Monza tinha bancos individuais na dianteira e câmbio de quatro marchas com alavanca no assoalho, além de um acabamento mais refinado.

CV28 CV27

Bird conta que o carro está com seu segundo dono, que o comprou em 1978 e mandou restaurá-lo nos padrões originais há cerca de dois anos. A restauração foi completa – a pintura foi refeita, o  interior recebeu novos revestimentos e a mecânica foi revisada por completo. Desde então o carro passou a maior parte do tempo parado, mas levou uma vida razoavelmente ativa, com pouco mais de 78.000 km rodados originais.

CV18

 

O anunciante é direto e diz que o carro está “impecável”, sem detalhes a resolver. O Corvair é mantido em ordem, com procedência comprovada, e de acordo com Bird está com toda a documentação em ordem.

Se ficou interessado, é só clicar aqui para acessar o anúncio e pegar os contatos do vendedor, que pode esclarecer quaisquer dúvidas.

inbanner-fim-post


“Achados Meio Perdidos” é o quadro do FlatOut! no qual selecionamos e comentamos anúncios do GT40.com.br de carros interessantes ao público gearhead, como veículos antigos, preparados, exclusivos e excêntricos. Não se trata de publieditorial. Não nos responsabilizamos pelas informações publicadas nos anúncios nem pelas negociações decorrentes – todos os detalhes devem ser apurados atenciosamente com o anunciante!

Matérias relacionadas

Afinal, por que o Honda Civic Type R tem três saídas de escape?

Dalmo Hernandes

Pocket turbo-rocket: Up GTi com 1.0 TSi de 115 cv vai a Frankfurt quase pronto para as ruas

Dalmo Hernandes

Toyota Supra ganha mais potência e motor 2.0, o Pagani mais potente já feito, “Kombi” elétrica chega em dois anos e mais!