A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Notícias

De volta ao espaço: como funciona a SpaceX Dragon 2

O último final de semana foi marcado por um acontecimento histórico em meio à crise em precedentes pela qual estamos passando: o lançamento da Dragon 2, primeira espaçonave tripulada de uma empresa privada a chegar à Estação Espacial Internacional (ISS) na órbita terrestre. Ela pertence à SpaceX, companhia fundada em 2002 por Elon Musk com o objetivo final de viabilizar a colonização de Marte em um futuro não muito distante. Ainda estamos longe – afinal, são 54,6 milhões de quilômetros de distância entre nós e o Planeta Vermelho. Mas toda longa jornada precisa de um início.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Além de ser o primeiro voo particular tripulado para a órbita terrestre, a missão da Dragon 2 é a primeira espaçonave tripulada lançada pelos Estados Unidos em nove anos, desde a aposentadoria do ônibus espacial Space Shuttle em 2011. De lá para cá, a evolução na tecnologia espacial foi gigantesca – ainda mais considerando que o ônibus espacial realizou sua primeira missão tripulada em 1981, sendo reconstruído e aperfeiçoado a cada nova missão pelas três décadas seguintes. A importância do ônibus espacial é tremenda – ele foi utilizado no lançamento de telescópios, incluindo o Hubble; de inúmeros satélites orbitais e sondas interplanetárias; e também na construção e manutenção da própria ISS. Mas a Dragon 2 é um veículo espacial menor, mais moderno e mais eficiente.

 

 

A nave

A Dragon 2 é a sucessora da espaçonave Dragon 1, que fez seu primeiro voo orbital em dezembro de 2010. A Dragon 1 é uma nave de carga, capaz de transportar até 6.000 toneladas para a Estação Espacial, e mais de 3,3 toneladas de carga volta para a Terra, sendo a única espaçonave em serviço atualmente que é capaz de retornar ao planeta trazendo equipamentos e amostras. O projeto da Dragon 2 é uma evolução da Dragon 1 adaptado para o transporte de astronautas – até sete pessoas, embora as missões da NASA sejam limitadas a quatro pessoas por questões de segurança e utilização de recursos.

Assim como a Dragon 1, a Dragon 2 é foi concebida para ser lançada ao espaço à bordo do foguete Falcon 9, também operado pela SpaceX e movido por um motor Merlin 1D, que queima RP-1 (querosene refinada) e oxigênio líquido. Com impulso de 1,71 milhões de lb.f (o que dá aproximadamente 236.000 kgfm de torque, usando uma conversão simples), o Falcon 9 tem capacidade para levantar até 22.800 kg de carga.

Isto é bem mais do que pesa a Dragon 2, que tem peso seco (sem fluidos, carga ou ocupantes) de 9.525 kg. Embora seja levada para o espaço pelo Falcon 9, a cápsula possui seus próprios motores – quatro pares de motores SpaceX SuperDraco, redundantes para o caso de alguma falha. Eles são capazes de operar por meses depois de abastecidos com uma mistura de metil-hidrazina e tetróxido de nitrogênio, e geram juntos um impulso de 71 kN (o equivalente a 2.212 kgfm).

Além de serem utilizados na aterrissagem da Dragon 2, conferindo à nave a capacidade de pousar com a mesma precisão de um helicóptero, eles também permitem que ela se desloque a pelo menos 500 metros por segundo para afastar-se do foguete em caso de emergência, como uma explosão iminente. A câmara de combustão dos motores é feita de Inconel (superliga com base em níquel, cromo e ferro) impresso em 3D. É graças a estes motores que a Dragon 2 pode pousar em qualquer lugar no planeta, sem a necessidade de contar com um mergulho no oceano – e com a possibilidade de ser reutilizada.

A capsula em si é revestida com um escudo de calor feito de PICA-X (Phenol Impregnated Carbon Ablator), que é basicamente fibra de carbono com resina de fenol e formaldeído – um material cujo custo de produção é dez vezes menor que o utilizado nas missões anteriores da NASA e igualmente eficaz. Por fora, a Dragon 2 tem o formato de um cilindro com um cone no topo – e este cone é capaz de acoplar-se imediatamente à Estação Espacial Internacional de forma autônoma.

 

Por dentro

É claro que, apesar das capacidades autônomas, a SpaceX Dragon 2 tem como grande diferencial o fato de ter uma tripulação. Esta vai acomodada de forma relativamente confortável em um cockpit com bancos de fibra de carbono revestidos com Alcantara e um quadro de instrumentos digital com telas sensíveis ao toque que mostram a situação da espaçonave em tempo real.

Além disso, quatro janelas permitem que os tripulantes observem a paisagem especial diretamente. A temperatura ambiente é mantida entre 18°C e 26°C e, segundo a SpaceX, pode ser controlada pelos astronautas com a mesma facilidade de um termostato doméstico.

Curiosamente, porém, não foram divulgadas informações sobre a forma como os astronautas Bob Behnken e Doug Hurley vão “ao banheiro” na Dragon 2 – um dos representantes da companhia disse que fica “perto do topo da cápsula”, mas sempre que algum veículo da imprensa questiona a respeito, o entrevistado se esquiva ativamente da pergunta.

 

A missão

Chamada Demo-2, a missão tem como figuras centrais os astronautas Douglas Hurley e Robert Behnken, dois dos membros mais experientes da equipe de astronautas da NASA. Hurley tem 53 anos de idade e já passou 28 dias e 11 horas no espaço. Behnken tem 49 anos e já passou 29 dias e 12 horas em órbita, incluindo 37 horas de caminhada espacial – ou seja, livre no espaço, fora de um veículo ou da estação.

Em 30 de maio (último sábado), o dia Centro Espacial Kennedy, no Cabo Canaveral, Flórida, começou às 9h da manhã (horário local) – foi quando os astronautas acordaram e começaram a se preparar para o lançamento. Eles passaram por um briefing às 12h55 e, vinte minutos depois, chegaram ao Pad 39A, de onde o Falcon 9 faria sua decolagem. Esta aconteceu às 15h22, exatamente horário programado com semanas de antecedência. A chegada à Estação Espacial Internacional aconteceu após 19 horas de voo, com o acoplamento acontecendo às 10h16 da manhã do dia 31 de maio.

O objetivo agora é retornar à Terra – embora ainda não tenha ficado claro quando isto vai acontecer. É fato que a Dragon 2 tem a capacidade de permanecer até 210 dias no espaço, e em breve saberemos quando Hurley e Behnken irão retornar. Quando isto ocorrer, eles provavelmente pousarão em algum lugar da costa da Flórida, onde aguardarão a chegada de uma embarcação para buscá-los.

A missão é o último passo para que a Dragon 2 seja homologada para missões de longa duração na Estação Espacial Internacional, abrindo caminho para jornadas mais além – como o programa Artemis, que começará em 2024 com o retorno da humanidade à Lua. Marte virá depois, se tudo correr bem.

Matérias relacionadas

Porsche B32: uma Kombi com o flat-6 de 231 cv do 911 Carrera – original de fábrica!

Dalmo Hernandes

[Galeria] X-Treme Classics World: veja como foi o encontro multicultural no Shopping D, em SP!

Juliano Barata

Os vídeos onboard mais espetaculares de todos os tempos

Dalmo Hernandes