A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Projetos Gringos

Esta é a única Ferrari 430 Scuderia com câmbio manual do mundo – e ela é espetacular

A última Ferrari a sair da fábrica com câmbio manual foi uma California, em 2010. O a caixa manual era opcional – de série a Ferrari California vinha com uma transmissão de dupla embreagem e sete marchas. Apenas três pessoas encomendaram seus exemplares com câmbio manual.

Ainda não é assinante do FlatOut? Considere fazê-lo: além de nos ajudar a manter o site e o nosso canal funcionando, você terá acesso a uma série de matérias exclusivas para assinantes – como conteúdos técnicoshistórias de carros e pilotosavaliações e muito mais!

 

FLATOUTER

Plano de assinatura com todos os benefícios: acesso livre a todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site, download de materiais exclusivos, participação em sorteios e no grupo secreto no Facebook (fique próximo de nossa equipe!), além de veiculação de até 7 carros no FlatOuters e até 3 anúncios no site GT40, bem como descontos em oficinas e lojas parceiras*!

R$20,00 / mês

*Benefícios sujeitos ao único e exclusivo critério do FlatOut, bem como a eventual disponibilidade do parceiro. Todo e qualquer benefício poderá ser alterado ou extinto, sem que seja necessário qualquer aviso prévio.

CLÁSSICO

Plano de assinatura na medida para quem quer acessar livremente todas as edições da revista digital do FlatOut e demais matérias do site1, além de veiculação de até 3 carros no FlatOuters e um anúncio no site GT402.

De R$14,90

por R$9,90 / mês

1Não há convite para participar do grupo secreto do FlatOut nem há descontos em oficinas ou lojas parceiras.
2A quantidade de carros veiculados poderá ser alterada a qualquer momento pelo FlatOut, ao seu único e exclusivo critério.

Bem antes disto, já na década de 1990, com a F355, a fabricante começou a oferecer o câmbio eletro-hidráulico “F1”, de seis marchas, com a embreagem acionada automaticamente e as trocas realizadas por aletas. Os modelos seguintes, como a 360 Modena e a F430, até que na 458 Italia o câmbio manual foi abolido de vez.

No caso da F430, que foi fabricada entre 2004 e 2009, apenas uma pequena parcela foi equipada com três pedais – e estes carros, atualmente, custam até 30% a mais que suas contrapartes com câmbio F1 no mercado de usados. É por isto que uma companhia chamada European Auto Group – que, apesar do nome, fica no Texas – está ganhando notoriedade por converter exemplares automatizados da F430 para transmissão manual. Sua última criação, porém, é ainda mais interessante: trata-se da única 430 Scuderia com câmbio manual que existe no mundo.

A 430 Scuderia era a versão mais leve e potente da F430, apresentada em 2007. Com menos itens de conforto e acabamento mais simples – trocando, por exemplo, os os revestimentos de couro e Alcantara por fibra de carbono nua – a 430 Scuderia pesava 1.429 kg, contra 1.517 kg da F430 comum. Já o motor V8 de 4,3 litros passava de 490 cv para 510 cv, às mesmas 8.500 rpm. E o câmbio, bem… ao contrário da F430, a Scuderia só veio com câmbio automatizado. Não se sabe quantos exemplares da Scud foram feitos – estimativas variam entre 1.500 e 3.000 entre 2007 e 2009 – mas é certo que nenhum deles tinha três pedais.

E o mesmo vale para o exemplar fabricado em 2008 que foi convertido pela EAG. O carro começou sua vida com a caixa automatizada F1 de seis marchas. Mas agora, nas mãos dos texanos, tornou-se a única 430 Scuderia com câmbio manual que existe no mundo. E isto não deverá mudar tão cedo, se depender deles.

Para realizar suas conversões, a EAG utiliza a maior quantidade possível de componentes originais Ferrari, comprados diretamente com a fabricante – o trambulador, a alavanca de câmbio, a grelha e a caixa de pedais. Entre as poucas partes que tiveram de ser feitas sob medida está a moldura da alavanca, necessária porque o console central da 430 Scuderia é mais baixo. Na F430, por outro lado, é virtualmente impossível distinguir um carro convertido de um carro que veio de fábrica com o câmbio manual – todas as peças usadas são originais Ferrari, e a única maneira de identificar a “farsa” é conferindo o número do chassi.

A parte mais complexa do serviço é reprogramar a ECU do carro. Não é só conectá-la a um computador e digitar códigos (algo que já é complexo por si só): é preciso também trocar alguns pinos de lugar, e qualquer erro milimétrico pode levar à perda daquela placa. E uma peça de reposição não é barata.

No caso da 430 Scuderia, a missão fica ainda mais complicada porque, além do software responsável por gerenciar o câmbio, há também instruções para o sistema de ignição que servem, especificamente, para fazer a conexão entre o motor V8 e a transmissão eletro-hidráulica. De acordo com a EAG, o maior desafio é reprogramar a ECU para “entender” as trocas manuais, permitindo que o carro rode sem qualquer prejuízo ao desempenho – e só eles conseguem realizar esta proeza, por enquanto.

Quem já teve a oportunidade de testar a 430 Scuderia manual, como Matt Farah, do canal The Smoking Tire, diz que o carro simplesmente se transforma. Não em desempenho, mas em envolvimento: o motor naturalmente aspirado parece ter sido feito pra operar com três pedais: a entrega de força é linear até o ponto mais alto da curva de potência, a partir do qual é possível esticar em sexta marcha até as 8.500 rpm, chegando aos 319 km/h.

O tempo de zero a 100 km/h, originalmente de 3,6 segundos, talvez fique um pouco mais alto sem as aletas atrás do volante, mas o que se perde em aceleração, se ganha na experiência como um todo.

A EAG continua oferecendo a conversão para a F430 comum, e garante que o preço é mais atraente do que o valor extra pago por um exemplar manual de fábrica. Isto porque, embora ainda seja complexo, o serviço na F430 não inclui a reprogramação do ponto de ignição. Além disso, eles querem manter a exclusividade do carro por mais algum tempo – o que é perfeitamente compreensível.

Agora, não precisa se desesperar: a única 430 Scuderia manual que existe no mundo está à venda por módicos US$ 289.900 – quase R$ 1,15 milhão em conversão direta. Para se ter ideia, uma 430 Scuderia all-stock geralmente custa menos de US$ 200.000 (R$ 790.000, aproximadamente).

 

Matérias relacionadas

Acredite: o Pagani Zonda mais antigo de todos tem um milhão de quilômetros rodados!

Dalmo Hernandes

Freio UFO: a origem dos estranhos freio a disco anulares do Audi V8

Emory Allrad: um Porsche 356 restomod com tração integral e 200 cv

Dalmo Hernandes