FlatOut!
Image default
Carros Antigos

Este Mercedes-Benz 300SL “Gullwing” está há quase 60 anos abandonados sob uma bananeira em Cuba


Se você conhece um mínimo da história cubana, sabe que antes da revolução de Fidel Castro e seus compañeros a ilha caribenha era o resort de verão dos americanos ricos. Com cassinos, praias tropicais, boates e hoteis de luxo, Cuba era o lugar para se curtir os prazeres da vida nos anos 1950. Pela ilha eram comuns os Cadillacs, Lincolns e carros de luxo de todo o mundo. Mas então veio a revolução castrista e a desapropriação de imóveis e estatização de empresas e o consequente fim da riqueza na ilha.

Até o fim de 1960 o governo cubano havia desapropriado ou estatizado cerca de US$ 25 bilhões. No mesmo ano, os EUA como responderam às desapropriações com um embargo comercial que, ao que tudo indica, será encerrado nos próximos meses. Sem dinheiro e sem a possibilidade de se importar componentes, os carros que simbolizavam o status dos americanos e cubanos ricos ficaram abandonados à própria sorte. Desde então hojhares de fãs de carros e colecionadores ricos vêm especulando que tipo de tesouros automotivos se escondem na ilha socialista.

Agora… sendo um lugar para ricos de todo o mundo nos anos 1950, é de se esperar que alguns carros que hoje são verdadeiras preciosidades circulado por lá quando novos. Imagine que tipo de carro os ricos — aquela elite proprietária de cassinos e resorts — compravam em 1955 e você terá uma boa ideia do que rodava pelas ruas de La Habana antes de Fidel Castro aparecer. Entre esses carros estavam os Mercedes-Benz 300 SL, um dos esportivos mais raros e desejados já fabricados. Como sabemos disso? Não é nenhum palpite sobre probabilidade: é que nada menos do que três exemplares do modelo foram encontrados na ilha por turistas/arqueólogos automotivos nos últimos anos.

O mais recente caso foi o do fotógrafo Piotr Degler, que foi à ilha fotografar o panorama automotivo para um calendário de 2015 quando começou a ouvir rumores sobre um certo Mercedes raríssimo abandonado. Ele rodou mais de 3.000 km pela ilha caribenha e fez mais de 25.000 fotos de tudo o que havia de interessante sobre quatro rodas à sua frente, mas nada de encontrar o carro. Nos últimos dias da viagem, ele finalmente encontrou o decrépito 300 SL Gullwing abandonado à própria sorte debaixo de uma bananeira, encostado em uma pilha de entulho de concreto.

A história ganhou o mundo nesta semana e Piotr aproveitou para divulgar seu calendário, mas pesquisando mais a fundo, descobrimos que ele não foi o verdadeiro descobridor do carro. E que aquele também não é o único 300 SL bandonado em Cuba. Acredite: há outro modelo na ilha, um conversível meio restaurado com motor de Corvette e lanternas de… Fusca!

Esse 300SL fotografado por Piotr é o mesmo carro encontrado pelo espanhol Miguel Llorente, um produtor de vídeo e autor do blog “This European Life”. Em 2012 Miguel foi a Cuba atraído pela lenda do Gullwing abandonado contada por Jeremy Clarkson em seu programa de 1996, Motorworld. Ele pesquisou sobre a história do carro e da própria ilha e concluiu que o carro poderia estar escondido em qualquer lugar de Havana, Matanzas ou Palma Soriano, que eram os lugares mais ricos de Cuba antes da revolução de 1959. Ele acabou encontrando o carro em Havana, o primeiro lugar onde começou a procurar.

Miguel2

Claro, o roteiro não foi assim fácil, mas no fim ele acabou encontrando não apenas os dois Gullwing na oficina de um cara chamado Marcos, que disputa corridas no Malecon com um antigo Crown Vic montado com peças Ford Racing contrabandeadas dos EUA! Os dois Mercedes estavam caindo aos pedaços, mas também não estavam à venda — talvez Marcos esteja esperando os carros valorizarem ainda mais. Só que eles não eram as únicas raridades que o mecânico/preparador/piloto tinha em seu quintal. Havia ainda um Abarth Zagato 750 de 1959, uma das raríssimas unidades com a carroceria assinada pelo Z — e que estava à venda assim como um também raríssimo Chrysler Ghia “Thomas Special” 1953.

Abarth2

Infelizmente, o estado dos carros é extremamente crítico — tanto do Mercedes Gullwing quanto do Abarth e do Chrysler — e uma restauração completa ao seu estado original certamente custaria muito mais que o valor comercial dos modelos. Por isso, eles continuaram lá, no mesmo lugar até hoje, esperando novos turistas aparecerem, o que parece ter sido o caso de Piotr, o fotógrafo do calendário. O 300SL Roadster aparentemente foi restaurado à moda cubana, com chapas de metal adaptadas, algum motor bizarro e, claro, lanternas de Fusca. É um triste fim para ele, mas menos triste do que o fim de seu irmão fechado.

a mercedes 300sl2

Foram feitos apenas 1.800 300SL Gullwing e cerca de 1.300 300SL Roadsters. O valor de cada um deles atualmente gira em torno de R$ 1,2 milhões a R$ 2,5 milhões, enquanto o roadster vai de R$800.000 a R$ 1,6 milhão. O caso do Abarth é mais crítico ainda: além de estar enferrujado, seu valor máximo não passaria dos R$ 400.000 — caso fosse um achado digno de ir direto para um museu.

Se depois de tudo isso você ainda sonha em encontrar algo assim raro pela ilha, é bom saber que as possibilidades são praticamente nulas, uma vez que Jeremy Clarkson — e mais tarde Michael E. Ware, com a série Automobiles Lost and Found de 2008 — , já expôs boa parte das raridades de Cuba a metade da população mundial, por isso é bem provável que colecionadores mais ambiciosos e ricos que você já tenham dado um jeito de tirar essas raridadades de lá. Decepcionante, não? Mas poderia ser pior: os caras que deixaram esses carros por lá, nunca quiseram realmente fazer isso.

[ Fotos: Hagerty Cars That Matter, This European Life, Piotr Degler (abertura) ] 

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora