A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Projetos Gringos Top

Estes carros incríveis foram feitos usando madeira

Nos primeiros anos do automóvel, lá no fim do século 19, um dos materiais mais comuns para se construir carros era a madeira — mais barata que o metal, era também mais acessível na hora de modelar e, se bem usada, garantia uma estrutura bastante resistente (para os padrões do fim dos anos 1880, claro). Hoje em dia, carros de madeira são exceção — produtos de nicho, exercícios de design e, às vezes, nem mesmo são carros, estando mais para réplicas decorativas em escala 1:1.

Sendo assim, decidimos separar alguns carros de madeira que fizeram história, outros que quase ninguém conhece, mas todos têm algo em comum: são incríveis. Vamos ver quais são eles?

 

Bugatti Veyron de madeira

Algumas obras de arte vêm dos lugares mais improváveis: este Bugatti Veyron de madeira que andou circulando pela web e redes sociais recentemente é uma delas. Quase perfeita, a réplica foi feita por uma pequena carpintaria na Indonésia. A notícia que corre é que ele custou 40 milhões de rúpias indonésias — uma fortuna, não? Na verdade, nem tanto — isto dá mais ou menos R$ 8.200.

wooden-cars (9)

O preço não foi confirmado — o que se sabe é que, segundo o dono da carpintaria, o Sr. Eko Lukistyanto, o Veyron de madeira foi feito com lascas de teca (um tipo de madeira usada em cercas, palanques e conveses de embarcações). O mais legal é que a fidelidade ao hipercarro foi seguida também no interior, que reproduz as formas exatas do cockpit do Veyron. Será que a Bugatti não se inspira e lança mais uma edição limitada? Quem sabe…

 

Speedball Special

ariel-52 (2)

Em 1956 a revista Mechanix Illustrated publicou um passo-a-passo para construir um pequeno esportivo parecido com o Lotus Seven, usando uma estrutura de madeira, motor e transmissão de moto e os outros componentes de, bem… o que quer que você conseguisse encontrar. Talvez eles só quisessem mostrar que era possível e não esperassem que alguém, de fato, levasse o tutorial a sério.

ariel-52 (1)

Pois, bem, pelo menos uma pessoa levou — um construtor de barcos que, em 1959, pegou o motor de uma moto Ariel Square Four 1952 (um quatro-cilindros de um litro com comando no bloco, arrefecimento a ar e 45 cv), seu câmbio de quatro marchas e componentes de suspensão de um Citroën para dar forma ao Speedball Special — o único de que se tem conhecimento no mundo. Pesando menos de 340 kg, ele consegue chegar aos 90 km/h com os 45 cv (lembrando que este é um carro da década de 1950).

Em 2008 o Speedball Special foi anunciado na Internet por US$ 29 mil (cerca de R$ 72 mil hoje em dia, sem impostos ou taxas) — um belo aumento considerando que o artigo original dizia que o carro podia ser construído com menos de US$ 500…

 

Splinter

 

wooden-cars (10)

Como já dissemos, a madeira era muito usada para construir os primeiros automóveis porque era barata e resistente para a época. Contudo, hoje em dia a madeira é um produto mais caro e raro, quase de luxo — o que ajuda a explicar o Splinter. Feito em 2008, tinha como objetivo provar que a madeira era um bom material para construir carros modernos, e não apenas réplicas de carruagens sem cavalos.

wooden-cars (11)

Para isto, ele contava com um V8 de 4,6 litros que, com dois compressores mecânicos, entregava mais de 600 cv — capazes de, supostamente, levar o esportivo de pouco mais de 1.100 kg aos 386 km/h. Contudo, o Splinter jamais saiu do lugar. Contudo, não tem como não ficar impressionado com um carro que tem até feixes de molas de madeira na suspensão!

Curiosidade: splinter, em inglês, quer dizer “farpa”. Ouch.

 

O Fusca de madeira

wooden-cars (1)

Este Fusca não é todo de madeira, mas talvez seja ainda mais impressionante: cada uma das “escamas” que cobrem a carroceria é uma lasca individual de madeira que foi colada manualmente: ao todo, são mais de 50 mil plaquinhas, que foram colocadas ali uma a uma. O trabalho é de um aposentado de 71 anos Momir Bojic, da Bósnia e Herzegovina, que também usou madeira dentro do carro — no painel, nos acabamentos e até na alavanca de câmbio e no volante, que são de madeira.

Bojic conta que sua única motivação para criar seu Fusca de madeira, que é uma atração de sua pequena cidade, foi ter duas grandes paixões: o Fusca e entalhar madeira. Não precisamos de mais motivos além deste, certo? Você pode ler mais sobre o carro aqui.

 

Morgan Three Wheeler

Como a gente iria se esquecer de um dos carros mais fodásticos da galáxia? O Morgan Three Wheeler, como seu nome diz, só tem três rodas — mas isto é só um detalhe. Virtualmente todo Morgan usa uma estrutura de freixo (madeira leve e resistente) usada para aumentar a rigidez do chassi de alumínio. O Aero 8 (o esportivo retrô com faróis estrábicos) é assim, e o Morgan Three Wheeler, também.

wooden-cars (12)

E o Three Wheeler é simplesmente mais descolado, com seu visual inspirado nos aviões antigos, motor de moto na dianteira e uma única roda traseira movida por uma corrente. Ele pesa só 525 kg, e o V-twin de dois litros (acoplado a uma transmissão manual de cinco velocidades da Mazda) de apenas 82 cv é mais que suficiente para garantir a diversão ao volante — de preferência com um capacete de couro e óculos para combinar com o visual.

 

Fuldamobil

wooden-cars (14)

Este microcarro alemão tinha uma carroceria feita de madeira coberta com uma camada de alumínio. A razão não sabemos — o que sabemos é que esta é só uma das características estranhas do Fuldamobil. Ao longo de 19 anos (entre 1950 e 1969), a madeira deu lugar a fibra de vidro que, depois, foi substituída por aço, mas isto não desclassifica estas pequenas bolhas de três rodas — o Fuldamobil continua na lista.

Agora, uma curiosidade: lembra quando perguntamos quais eram as teorias absurdas que os leitores tinham sobre carros quando eram crianças, e boa parte de vocês achava que o motor girava ao contrário quando se engatava a ré? Bem, com o Fuldamobil isto acontecia mesmo. Segundo o Jalopnik, para dar a ré, era só desligar o carro e girar a chave da ignição para o lado oposto ao de costume. O pequeno motor central-traseiro girava ao contrário e o carro andava de ré!

 

Marcos Xylon GT

marcos-xylon (4)

A Morgan não é a única fabricante de esportivos que usa madeira na construção de seus carros. Outra companhia, a britânica Marcos, construiu vários deles entre 1959 e 2007, quando foi extinta.

Um dos mais famosos foi o Xylon GT (pronuncia-se “záilon”) que, com seu perfil engraçado e para-brisa em quatro peças — características que lhe renderam o apelido de “patinho feio” — conseguiu um desempenho impressionante em provas regionais no Reino Unido — curiosamente, com nomes como o de Jackie Stewart, que ainda era um jovem de vinte-e-poucos anos em 1961, quando o Xylon foi lançado.

 

 

Tryane II

wooden-cars (8)

Outro carro de três rodas feito com madeira — desta vez, em toda a carroceria. O triciclo Tryane II, feito por um alemão chamado “Friend Wood” em 1989, chama a atenção pelo acabamento impecável da carroceria, e sua estrutura veio de um Citroën 2CV.

wooden-cars (7) wooden-cars (6)

Construído em madeira nobre (mogno africano) e moldado como o casco de um barco, o Tryane II levou cerca de 2.000 horas para ficar pronto e pesa apenas 410 kg — leve o suficiente para que seu boxer refrigerado a ar o leve aos 160 km/h enquanto faz entre 21 e 30 km por litro de combustível fóssil queimado.

 

Lagonda Rapide Tulipwood Tourer 1939

lagonda-rapide (1)

Não é só o nome do Lagonda Rapide Tulipwood Tourer 1939 que é pomposo: olha só para ele! Esta verdadeira obra de arte sobre rodas era feita de jacarandá-rosa e há uma boa razão para isso: a Lagonda queria que ele fosse leve, mas não existia ainda fibra de carbono e a fibra de vidro só foi usada pela primeira vez para construir carros em 1949.

lagonda-rapide (2)

A alternativa era usar lona — que, bem, provavelmente não era o material mais indicado para um enorme calhambeque (no melhor sentido possível) equipado com um V12 de 4,5 litros e 230 cv, não é?

 

 

Ferrari F50 de madeira

A Ferrari F50 teve a ingrata missão de substituir a F40 como topo-de-linha da Ferrari em 1995. Seu visual, curiosamente, tinha influência da antecessora, mas ao mesmo tempo era radicalmente diferente em sua execução. O motor V8 biturbo deu lugar a um V12 de 4,7 litros que, em essência, era o mesmo usado na Ferrari 641 de Fórmula 1 em 1990. Pensando em retrospecto, não dá para entender o desprezo de alguns entusiastas por ela. Será que faltou algo do tipo “andar na água”?

wood-f50

Brincadeira, é claro, mas existe uma Ferrari F50 aquática — e feita de madeira! Seu criador, o artista italiano Livio de Marchi, fez questão de replicar tudo em madeira, tanto do lado de fora quanto do lado de dentro. Sendo assim, rodas e pneus são de madeira (meramente decorativos) bem como o painel, o console central e até os bancos-concha. Livio de Marchi vive em Veneza então, de certa forma, é o único capaz de dirigir pelas ruas da cidade que, caso você por alguma razão não saiba (não estamos aqui para julgar!), são canais d’água.

 

Bonus track: o “carrrrrinho” do Marco Veio

Com construção minimalista e artesanal, usando a melhor madeira disponível no mercado, o Carrrrrinho 2014 da Marco Veio Motors é perfeito para quem não consegue ficar um dia sem tacar-lhe pau. Fibra de carbono foi cogitada para sua estrutura, mas tornaria o carro leve demais, o que seria injusto com a concorrência. (Bem lembrado, Raphael Zanetti!)

Matérias relacionadas

Como transformar o Chevrolet Cruze em um carro muito mais interessante? Coloque um V8 nele!

Dalmo Hernandes

A oficina secreta com as maiores preciosidades da Ford Europeia

Dalmo Hernandes

Os games de corrida mais legais da sexta geração de consoles, parte 1

Dalmo Hernandes