A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Fiat irá se separar da Ferrari, Brasil importa etanol devido à crise, um Mustang com motor de ouro e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Fiat irá se separar da Ferrari depois de 45 anos

Marchionne-gela-Montezemolo

A Fiat anunciou na manhã de ontem que planeja separar a Ferrari do grupo Fiat-Chrysler Automobiles em uma oferta pública de ações. Isso significa, na prática, que a Ferrari se tornará uma empresa independente do grupo. Mas não há motivo para se preocupar em relação ao futuro da marca. Ao menos não por enquanto.

A separação será feita a partir de uma oferta pública de 10% das ações da Ferrari, enquanto os outros 90% serão distribuídos entre os acionistas da FCA, dentre os quais estão a família Agnelli, que controla 30% das ações do grupo. Além disso, Piero Ferrari, o filho de Enzo e herdeiro da marca, possui outros 10% das ações da Ferrari.

Trata-se, na verdade, de uma manobra de mercado do grupo FCA. Segundo Sergio Marchionne, o CEO do grupo, a intenção é “assegurar a posição financeira da empresa maior”, o que significa, na prática, mais dinheiro na mão. A separação da Ferrari sinaliza independência aos investidores (a FCA não precisará investir o dinheiro deles no aumento de produção da Ferrari, anunciado há alguns meses) e também significa que os resultados da Ferrari não interferem nas ações da FCA — o que acaba sendo interessante para investidores nos dois casos.

 

O simples anúncio da separação da Ferrari, por exemplo, aumentou as ações da FCA em 18%, algo positivo diante dos planos do grupo de investir US$ 60 bilhões nos próximos anos.

 

Brasil irá importar 600 milhões de litros de etanol devido à crise no setor sucroalcooleiro

completao

O Brasil terá que dobrar a importação de etanol na safra 2014/2015 para contornar a crise no setor sucroalcooleiro causada, entre outros fatores, pela seca na região Sudeste. O volume importado, segundo a consultoria Datagro, será de aproximadamente 600 milhões de litros de etanol — em sua maioria vindo dos EUA.

No ano passado as importações chegaram a 310 milhões de litros mesmo com uma atividade econômica maior no país. Neste ano, houve uma redução geral na economia que reduziu o consumo de etanol no Brasil.

 

Ford e Galpin Motorsports preparam Mustang com motor de ouro

Ford-Mustang-SEMA-002

A Ford e a Galpin Motorsports irão levar ao SEMA Show uma versão do novo Mustang 2015 preparada em parceria pelas empresas. Ele terá um motor sobrealimentado e apliques dourados, mas não estamos falando do EcoBoost e muito menos de técnicas de pintura.

Na verdade o motor será o V8 5.0, que irá desenvolver 735 cv com a ajuda de um compressor Whipple banhado a ouro, que ficará exposto através de uma janela no capô, como o antigo Corvette ZR1. A pintura preta também terá pigmentos dourados no efeito metálico, assim como as rodas, saias laterais, pinças de freio e emblemas. Por dentro os bancos Recaro também tem a combinação eternizada pelos Lotus de F1 e apliques de camurça.

 

AMG continuará fabricando motores V12

mercedes-benz-amg-sl-r129-engine

Em tempos de downsizing muitas fabricantes estão deixando de produzir seus maiores motores do passado, mas este não parece ser o caso da Mercedes AMG. O chefe da divisão esportiva, Tobias Moers, confirmou que o motor V12 de seis litros não será abandonado, mas receberá a ajuda de algum tipo de sistema elétrico para formar um powertrain híbrido.

Esta foi a solução para garantir o desempenho os modelos mais pesados e maiores da divisão, como o SL65, o S65 e o G65 AMG. Moers conta que eles até poderiam usar o novo M278 V8 — que equipa o AMG GT — em uma versão com quatro cilindros a mais, mas a baixa demanda não justificaria o investimento.

 

BMW revela X5 e X6 em versão M

2016-bmw-x5m-07

A BMW revelou a segunda geração dos SUV X5 M e X6 M nesta semana. Os modelos mantém o mesmo V8 biturbo de 4,4 litros da versão anterior, mas a potência subiu de 562 cv para 575 cv. O torque por sua vez, aumentou — foi de 69 mkgf para 76,3 mkgf —, mas ficou menos acessível. Antes ele era disponível entre 1.500 e 5.650 rpm, mas agora ele chega somente aos 2.200 rpm e segue em seu limite até os 5.000 rpm.

2016-bmw-x5m-12-1

O câmbio que irá lidar com esses números é o novo Steptronic de oito marchas da BMW M, que leva a força para o sistema xDrive de tração integral. Com ele a força pode ser distribuída totalmente tanto para o eixo traseiro, quanto para o dianteiro. Para manter os super-SUV com as rodas no chão, a suspensão usa braços triangulares duplos na dianteira e sistema auto-nivelante a ar na traseira, amortecedores de três modos e pneus enormes de 325 mm na traseira e 285 na dianteira.

2016-bmw-x5m-26-1

Matérias relacionadas

A nova Fiat Strada sem disfarces, Volkswagen Nivus nas ruas, Mercedes EQC no Brasil e mais!

Polo e Virtus GTS apresentados em versão final, nova picape da Fiat e Golf R MK8 são flagrados, recall da GM e mais!

Juliano Barata, Dalmo Hernandes e Eduardo Rodrigues

As rodas aftermarket favoritas dos leitores do FlatOut – parte 2

Dalmo Hernandes