A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
FlatOut

FlatOut Brasil completa dois anos acelerando de pé cravado – muito obrigado!

Um Shelby Cobra 427, pneus slick, Ilha de Man, tempestade severa, viseira embaçada – mas acima disso tudo, o ímpeto de acelerar contra todas as dificuldades, com determinação, vontade, raciocínio e, bem, um pouco de instinto. É assim que eu descreveria este ano para vocês, caros leitores: 2015 não foi bom para ninguém no Brasil e não há razão para ter sido diferente para a gente. Se florear sucesso e otimismo seria um exercício de hipocrisia, por outro lado o bom piloto dá um jeito para se adaptar à mudanças e continuar acelerando forte. É o que fazemos o tempo todo. Postergamos projetos grandiosos, como foi nossa viagem para Nürburgring em 2014, seguramos a expansão da equipe, e torcemos o cabo do acelerador!

Para mim, contudo, a metáfora que melhor descreve quem nós somos e o que fazemos não tem a ver com carros. Você deve conhecer aquele restaurante pequeno, mas caprichoso e sofisticado e, acima de tudo, orgânico: feito por pessoas que vivem aquilo com intensidade, cujo amor ao que é feito transparece nos poros dos tijolos, no veio da madeira das mesas, na escolha dos ingredientes, no preparo dos pratos, no atendimento camarada. Dentro da cozinha, que possui apenas três chefs na produção, o ritmo é alucinante e muitas vezes insalubre, conciliando antagonismos quase impossíveis: preparar pratos – experiências gastronômicas – em ritmo industrial, mas sem nunca deixar baixar a inspiração, o tesão, o carinho. Houve uma minúscula e apaixonada equipe de Fórmula 1 que sempre teve este espírito.

minarditeam

Claro, há dias em que nem tudo sai perfeito, mas se há algo que dá a liga a este restaurante são os frequentadores – é a eles que devemos tudo. Não são emergentes, não são alienados, são apenas amantes de uma experiência gastronômica diferenciada. Coinesseurs sempre visitam, e os mais exaltados acabam eventualmente climatizando e entrando no espírito da casa. Há muitos visitantes famosos e de carreira longeva, mas discretos, preferem ficar no anonimato, nas mesinhas reservadas do fundo. Percebendo esta popularidade, uma grande e tradicional cadeia de fast food, com nome forte na indústria mas decadente entre os (ex) frequentadores, tentou esvaziar a nossa cozinha, propondo levar todos à escondida. Sem sucesso na empreitada, restou emular a receita artificialmente. É a diferença entre só falar sobre e viver intensamente. Nós somos verdadeiros entusiastas, como vocês – 1,7 milhão de vocês, todo mês. E é esta a nossa causa.

Como os leitores mais antigos sabem (se você está por fora, leia aqui nossa história), o independente FlatOut nasceu da morte do Jalopnik Brasil, que era de uma empresa de mídia. Foi uma experiência amarga por um lado, mas por outro nos incendiou o espírito para conseguirmos superar todas as dificuldades e, mais do que isso, de prepararmos a casa para suportar todo tipo de terremoto e tempestade. Neste caso, a inspiração foi Colin Chapman: fazer a estrutura a mais leve possível. Apenas tiramos fora a parte da fragilidade de seus carros!

chapman

Por isso, mesmo com toda essa situação crítica do País (nosso termômetro é o Crowdfunding: hoje ele está em 40% da meta básica), nós seguimos no jogo, acelerando de pé cravado. Sim, tem dias em que a situação política e econômica do Brasil tenta tirar nossa inspiração e houve meses em que ficamos preocupados. Mas algumas coisas estão introjetadas na nossa alma. E se tem uma coisa em que nos especializamos foi nos adaptarmos e nos reinventarmos.

Gostaria de agradecer à equipe do FlatOut pela dedicação. Ao Dan, por tirar vinho de pedra nestes tempos difíceis da economia, e ao Leo e ao Dalmo, pelo trabalho quase religioso e por surpreender a cada texto de encher os olhos. Ocasionalmente leio alguns textos antigos do Jalopnik e fico orgulhoso com a evolução, nada menos que monstruosa – top driver stuff.

focus-loeffler

E, em nome da equipe, agradeço especialmente a vocês, caros amigos leitores. O apoio de vocês, seja nos comentários escritos ou ao vivo, é nossa principal motivação, o nosso combustível: com vocês, nos sentimos acelerando em casa e nos inspiramos para sempre baixar o tempo, um milésimo que seja. Isso sem falar no nível de conhecimento espantoso de vocês (que surpreende inclusive nossos anunciantes), na maturidade e no respeito que se manifesta em assuntos como posts patrocinados, na paciência pelas ocasionais derrapadas e no grau de participação – são poucos os sites que possuem mais de 1.000 comentários publicados por dia (isso sem contar nossa fanpage no Facebook).

Isso sem falar nos voluntários: moderadores, participantes do Project Cars e autores, como o Alexandre Garcia, Rodrigo Passos, Carlos Eduardo de Almeida, Thiago Zaiden, Jonas Seelig, Marcelo Allracing e Hugo Torres! Muito obrigado!

Em nome da equipe também gostaria de agradecer a todas as empresas que acreditam e investem em publicidade no FlatOut para manter a máquina rodando à toda: nossos tradicionalíssimos parceiros do AutoZ, Mitsubishi, Subaru, Ford, Mercedes-Benz AMG, Toyota, Yokohama, Dot Pneus, Garage Store, America Parts, Gama 4×4, Avantgarde, Displatec, BTM Performance Revo, Motorpeças, F1 Autocenter, Rokim Automotive, Icon Design, LR Service, Car Coating. Aos leitores, gostaríamos de dizer que um outro parceiro antigo do FlatOut, uma marca bem tradicional, está para voltar como patrocinador de uma seção do site. Torçam por nós!

 

E pro ano que vem…

O desenvolvimento da versão mobile do site acabou consumindo a maior parte do foco do TI neste segundo semestre, o que acabou atrasando algumas coisas. No topo disso, faremos a migração do site para um outro servidor: o atual (Pagely) está excessivamente caro e têm mostrado limitações tanto em estabilidade e velocidade, quanto em relação a determinados tipos de acessos de backend que serão necessários para algumas funções que iremos implementar já no começo do ano que vem. É culpa do Pagely que vocês ocasionalmente topam com o layout desktop ao acessá-lo pelo celular, por exemplo.

 

Vocês se lembram que falamos algumas vezes do App do FlatOut, correto? Bem, assim que a migração for finalizada ele será concluído e entrará em fase de testes. Do que ele se trata? Sabe todos aqueles eventos (track days, encontros semanais, eventos anuais) que você perdeu porque não ficou sabendo? Ele resolverá este problema. E não se preocupe pelo fato de o App ser disponibilizado inicialmente apenas para iOS: suas funções estarão presentes no site! Desta forma nós cumpriremos um passo adiante em nossa razão de ser: unir todos os entusiastas de todo o Brasil. Se tudo der certo, nós seremos o grande hub de todos os eventos do País, ajudando tanto os entusiastas quanto quem dá o sangue e o suor organizando eventos.

O passo seguinte ao app é um dos mais esperados por vocês (e por nós também): a loja do FlatOut. Agradeço a vocês pela paciência de monge com o atraso de quase um ano que tivemos com ela. Em paralelo a isso, o site passará por um sutil redesign, que manterá o mesmo layout, mas ganhará um pouco mais de área útil e ficará com a programação bem mais leve. E, bem, tem mais algumas coisinhas que temos na cartola, mas por razões estratégicas vamos mantê-las por enquanto entre nous. Mas vocês irão curtir bastante!

mcrae

Meus amigos, creio que isso seja tudo nesta mensagem. Que vocês e suas famílias tenham um ótimo fim de ano, descansem bastante, recuperem as energias e nunca percam a fé em vocês mesmos e a determinação para ir sempre além. Muito obrigado pelo companheirismo de vocês nesta jornada. Como todos no País, já sabemos que 2016 não será fácil. Mas na dúvida, seguimos acelerando à toda.

 

Matérias relacionadas

Empresas PME: novidades, lançamentos e descontos aos leitores do FlatOut!

Juliano Barata

FlatOut Brasil completa um ano de vida: conheça a nossa história – sem filtros

Juliano Barata

Adesivo do FlatOut Midnight: nos ajude a escolher o melhor formato (bônus: galeria de fotos de leitores!)

Juliano Barata