A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

Idlers Games: a maior celebração da cultura automotiva japonesa nas pistas

Parece que os japoneses gostam de guardar o que têm de melhor para si — ao menos no mundo automotivo. É só lembrar dos modelos que têm versões apimentadas exclusivas para o mercado doméstico (Japanese Domestic Market, ou JDM), dos kei cars (a gente adora kei cars) e dos vários encontros e eventos gigantescos que acontecem por lá e reúnem milhares de entusiastas de todos os estilos todos os anos.

Se você é um entusiasta, há grandes chances de já ter visto fotos e vídeos do Idlers Games, organizado por uma associação chamada Idlers-CLUB. O Idlers Games é um destes eventos. Na verdade, trata-se de uma série de eventos de pista que acontecem várias vezes por ano nos circuitos mais importantes do Japão — Tsukuba, Motegi e Fuji são alguns exemplos — e reunem centenas de equipes amadoras para track days e corridas de endurance de 12 horas de duração.

idlers-tsukuba-14-27-800x533

Ah, tem outra coisa, também: a RAUH-Welt Begriff, do eremita Akira Nakai, ficou famosa nos últimos anos justamente por sua participação nos Idlers Games — até porque ninguém passa incólume pelas criações exuberantes de Nakai-San, não é mesmo?

E isto é tudo o que sabemos sobre o Idlers. Sério. O site do Idlers-CLUB é todo em japonês e as traduções automáticas não fazem muito sentido. Não há um lugar fora do Japão onde se pode saber quando o Idlers surgiu, desde quando o clube organiza os eventos ou qual é a ideologia por trás de tudo. Por outro lado, não faltam fotos e vídeos feitos por quem compareceu aos eventos nos últimos três anos (2012, 2013 e 2014) e aproveitou para documentar tudo. As edições anteriores? Boa sorte.

[vimeo id=”47085901″ width=”620″ height=”350″]

Não deixa de ser admirável — em tempos onde os olhos da internet ultrapassam quaisquer expectativas criadas por quem leu 1984 de George Orwell. É praticamente impossível manter segredo, ou mesmo uma aura de mistério, sobre um evento tão grande. Quer dizer, o Idlers não é exatamente uma sociedade secreta, e os track days e corrida realizados pelo clube são uma verdadeira e gigantesca celebração à cultura automotiva japonesa mas, a não ser que você saiba japonês ou tenha algum tipo de janela de acesso a esta cultura, boa parte do universo dos Idlers Games é simplesmente inacessível ao mundo ocidental.

idlers-tsukuba-14-42-800x533

Sobram as fotos e vídeos — algo que, convenhamos, não nos incomoda nem um pouco. Os caras do Speedhunters, por exemplo, que dedicam boa parte de seu conteúdo à cena automotiva do Japão, já visitaram e participaram do Idlers Games algumas vezes, e as galerias fotográficas que eles já publicaram são um verdadeiro deleite…

idlers-tsukuba-14-02-800x533

… deixando claro que a diversidade é a palavra de ordem no Japão. Quem vive por lá sabe que eles são muito bons em acolher diversas marcas e estilos diferentes. Modificados ou originais, Porsche convivem em harmonia com Alfa Romeo e representantes legítimos da fauna local — só para citar alguns.

idlers-tsukuba-14-05-800x533

Quase toda cobertura sobre o Idlers dá destaque à RWB — e com razão. Os Porsche customizados por Nakai-San sempre comparecem em peso, e o próprio Akira divide seu tempo entre cuidar de seu carro e dedicar alguns minutos de atenção a cada um de seus clientes pessoalmente, algo que só é possível em um local onde o clima de competição é igual para todos.

[vimeo id=”26891150″ width=”620″ height=”350″]

 

Este é um post visual. Não saber muito mais sobre o Idler Games talvez seja uma coisa boa — podemos apreciar melhor o visual e os sons dos carros e, tentar, mesmo a milhares de quilômetros de distância, sentir um pouco do que é estar lá.

[vimeo id=”48853907″ width=”620″ height=”350″]

idlers-tsukuba-14-19-800x533

[ Fotos: Speedhunters, 7Tune.com, Nori Yaro]

Matérias relacionadas

O carro de dez segundos: a história (e a receita) do verdadeiro Toyota Supra de “Velozes e Furiosos”

Dalmo Hernandes

Pseudônimos cromáticos: as cores de carros que não têm nome de cor

Leonardo Contesini

A impressionante coleção de carros do baterista do Pink Floyd, Nick Mason

Dalmo Hernandes