A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Carros Antigos Projetos Gringos

A investida russa continua: isto é um Lada Laika de drift com motor V8 BMW

Dizem por aí que, para quem quer fazer drift mas não quer um Chevrolet Chevette, uma alternativa é o Lada Laika. O modelo russo chegou ao Brasil em 1990, junto com o SUV Niva, e também fez sucesso por seu preço baixo — ainda que a rede de concessionárias fosse pequena e o projeto, datado da década de 1960 (o Laika tem como base o Fiat 124, lançado em 1966). Mas ele é um sedã de tração traseira que custa pouco e, por isso, dá para entender de onde vem sua fama.

A real é que, na prática, a gente nunca viu um Lada Laika de drift (ao menos não pessoalmente). Talvez isto aconteça porque eles não são tão comuns quanto o Chevette, que não é consagrado à toa. Mas, de vez em quando, os gringos nos mostram que é bem possível fazer um Lada bacanudo para escorregar de lado pelo asfalto. Como o dono deste Lada 2107 (um dos vários nomes pelos quais o Laika é chamado no Leste Europeu), que colocou um V8 BMW debaixo do capô. Sim, um russo com coração alemão!

lada-v8-bmw (13)

A gente falou que este carro é a nova investida dos russos por causa daquele Niva com motor 2JZ de Toyota Supra, mas a verdade é que ele foi feito por um polonês. De qualquer forma, a Polônia e a Rússia são geograficamente próximas o bastante para não perdermos a piada…

Mas vamos ao carro: ele foi feito por um cara que mora em Gdansk, uma das maiores cidades da Polônia, o que explica o fato de ele ter colocado o V8 de um BMW Série 7 E32 no cofre do sedã russo — por lá, estes BMW grandalhões e luxuosos dos anos 1980 e 1990 são comuns e baratos, e é comuns que os entusiastas os comprem para aproveitar os componentes mecânicos em seus projetos malucos.

lada-v8-bmw (14)

O E32 é a segunda geração do BMW Série 7, lançada em 1986 e, na versão 730i V8, equipada com um V8 (é mesmo?) de três litros, 218 cv e 29,5 mkgf de torque. A transmissão é manual, de cinco marchas, vinda do mesmo Bimmer doador.

Parece pouca potência, mas não esqueça que estamos falando de um carro bem mais leve do que o original — enquanto o topo de linha da BMW pesa pelo menos 1.720 kg, o humilde Lada mal chega a 1.000 kg. É o bastante para se mover com desenvoltura, como mostra o vídeo abaixo:

O conjunto mecânico, porém, não foi a única herança alemã que este Lada recebeu: a suspensão agora tem o arranjo dianteiro de um BMW Série 3 E36 na dianteira, e o conjunto multilink do Série 5 E39 na traseira — com amortecedores ajustáveis KW Competition nos quatro cantos.

lada-v8-bmw (11)

O carro ainda recebeu um sistema de escape dimensionado feito em inox (com duas ponteiras nada discretas na traseira) e uma customização visual bem interessante, que mistura influências militares (especialmente na cor) com elementos estéticos do JDM, como os para-lamas alargados e as rodas; e até alguns detalhes tipicamente americanos, como a persiana no vidro traseiro.

lada-v8-bmw (7)

Já o interior, bem, é o interior de um carro de drift: vários componentes desnecessários, como revestimentos de porta, carpete e acabamentos do painel, foram removidos. O cluster de instrumentos do Série 7 foi adaptado no painel, que agora tem elementos de fibra de carbono, e os bancos são do tipo concha. Há uma gaiola de proteção integral e o porta-malas abriga um tanque de combustível selado.

 

lada-v8-bmw (6) lada-v8-bmw (2)

É um projeto simples, mas muito bacana exatamente por isto — a gente realmente gostaria de ver algo parecido aqui no Brasil — e nem precisa ser um V8 alemão no cofre do Lada. Quem vai ter os colhões, camaradas?

Matérias relacionadas

Esta picape Plymouth com motor radial de 12,4 litros queria ser um avião, mas é uma obra de arte

Dalmo Hernandes

Tesouros sobre rodas: os achados mais incríveis do mundo automotivo – Parte 2

Dalmo Hernandes

Backfire! Quando os esportivos cospem fogo em alta velocidade

Dalmo Hernandes