A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Lançamentos

Jatinho executivo: o novo Continental Supersports é o Bentley mais potente e rápido da história

O Continental GT sempre foi o membro descolado da família da Bentley. Ele nunca deixou de ser um carro de altíssimo luxo mas, ao mesmo tempo, é o mais esportivo dos grand tourers britânicos. E a fabricante britânica administrada por alemães acaba de revelar sua mais nova versão – que também é a mais rápida de todas: o Bentley Continental Supersports.

Na verdade, é mais do que isto: o Continental Supersports é o Bentley mais potente da história, e o mais rápido automóvel da história da marca em aceleração e velocidade final.

A Bentley também diz que ele é o carro de quatro lugares mais veloz do mundo, mas não é tão simples.

O mais veloz do mundo… por 1 km/h

bentley_continental_supersports

THE WORLD’S FASTEST FOUR-SEAT CAR. São palavras da própria Bentley, mas este tópico merece uma análise mais detalhada. O Continental Supersports tem um motor W12 biturbo de seis litros e 710 cv, mais 103,7 mkgf de torque, e com isto é capaz de chegar aos 100 km/h em 3,5 segundos, com velocidade máxima de 336 km/h. Para chegar até os 96 km/h, o Bentley leva 3,4 segundos. Estes dados são todos oficiais de fábrica.

Só que há outro carro que também tem quatro lugares e praticamente empata com ele, tanto em aceleração quanto em velocidade final. E não é nenhum desconhecido: é a Ferrari GTC4Lusso, sucessora da FF, dotada de um motor V12 naturalmente aspirado de 6,3 litros e 690 cv, e também é um grand tourer de quatro lugares.

 

Os dados oficiais da Ferrari dizem que a GTC4Lusso é capaz de acelerar até os 100 km/h em 3,4 segundos, com velocidade máxima de 335 km/h. Ou seja: o Bentley é o quatro-lugares mais veloz do mundo, sim. Por 1 km/h. A Ferrari, contudo, ainda ganha em aceleração… por 0,1 segundo. Que briga, hein?!

bentley_continental_supersports_1

Na língua inglesa, estas nuances são resolvidas com semântica: para dizer que um carro é o melhor em aceleração, usa-se quickest (que pode ser traduzido como “o mais rápido” ou “o mais ágil”). Quando se está falando de velocidade final, usa-se fastest (ou “o mais veloz”). Traduzindo: o Bentley é mais veloz, mas a Ferrari ainda é mais rápida.

E tem mais: com uma diferença tão pequena nas fichas técnicas, o cenário pode mudar quando surgirem os primeiros testes no mundo real. Estamos torcendo por um comparativo entre os dois!

 

Detalhes, detalhes…

bentley_continental_supersports_2

Esta disputa acirrada não torna o Continental Supersports menos impressionante – na verdade, é bem o contrário. Basta lembrar que seus 710 cv a 6.000 rpm e 103,7 mkgf entre 2.050 e 4.500 rpm de torque significam que ele tem 67 cv e 18 mkgf de torque a mais que o carro que anteriormente era o Bentley mais potente do planeta, o Continental Speed. Além disso, o Supersports é bem mais pesado que a GTC4Lusso: são 2.280 kg contra 1.920 kg em ordem de marcha.

Para isto, a Bentley adotou turbocompressores maiores, colocou um sistema de arrefecimento mais eficiente e realizou várias modificações no motor W12 (que, lembrando, é basicamente fruto da união de dois motores VR6), que ainda tem comando duplo variável nos cabeçotes e 48 válvulas. A taxa de compressão é de 9,0:1.

bentley_continental_supersports_4

Os turbocompressores giram a até 2.500 rotações por segundo e atingem temperaturas superiores a 1.000°C. O motor aspira até 500 litros de ar por segundo, e mais de 3.800 litros de ar passam pelo radiador por segundo quando o Continental Supersports está a 336 km/h.

O Continental Supersports também é um carro gigantesco: são 4,8 m de comprimento, 2,23 m de largura e entre-eixos de 2,75 m. As rodas são de 21 polegadas, calçadas com pneus Pirelli de medidas 275/35, são forjadas e abrigam freios de carbono-cerâmica. Os discos dianteiros têm 420 mm de diâmetro e são mordidos por pinças de oito pistões, já os traseiros têm discos de 345 mm e pinças de um pistão. O sistema de vetorização de torque automática aplica os freios nas rodas da parte interna das curvas, melhorando a agilidade.

A transmissão é automática de oito marchas, produzida pela ZF, e leva a força para as quatro rodas. A distribuição padrão é de 40/60 (dianteira/traseira), mas pode variar entre 15/85 e 65/35 dependendo da situação. A suspensão, com braços sobrepostos na dianteira e arranjo multilink na traseira, tem amortecedores ajustáveis e ativos, que mudam a carga e a altura de forma automática de acordo com a situação.

bentley_continental_supersports_10

O interior é tipicamente Bentley, com acabamento melhor do que praticamente qualquer coisa com quatro rodas e um volante. A forração em couro tricolor com costura matelassê é exclusiva do Supersports, bem como a bela textura da fibra de carbono no painel. Mas como estamos falando de um Bentley, você também pode customizar praticamente todos os acabamentos internos e externos.

Carbon Fibre Veneer bentley_continental_supersports_11

Do lado de fora, o carro traz um kit aerodinâmico de fibra de carbono exclusivo, com novo splitter frontal e saias laterais maiores. Os faróis e lanternas são escurecidos, e há adesivos opcionais para quem quiser deixar bem claro que seu Continental é um Supersports. Embora isto seja meio desnecessário.

Matérias relacionadas

Como o “Modo Valet” protege o seu carro de manobristas mal-intencionados

Dalmo Hernandes

Ferrari lança as novas 488 Challenge e SP275 RW Competizione

Leonardo Contesini

Aceleramos: Camaro Sunrise SS (conversível) a 200 km/h na pista da Chevrolet

Juliano Barata