A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Jeep Renegade e Compass híbridos chegam neste ano, Carlos Ghosn se defende das acusações japonesas, Toyota lança componentes para o Supra Mk IV e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Carlos Ghosn se defende das acusações em declaração à imprensa

Depois de pouco mais de uma semana desde sua fuga do Japão, Carlos Ghosn realizou um pronunciamento à imprensa em Beirute, no Líbano. Na coletiva de mais de duas horas e meia Ghosn explicou sua versão das acusações do governo japonês, reiterando sua inocência e denunciando um suposto complô de executivos japoneses contra ele.

Acusado pela Nissan por supostas fraudes financeiras, Ghosn foi detido, pagou uma fiança milionária, e foi mantido sob vigilância em sua casa, porém impedido de deixar o país e de receber visitas de amigos e parentes. Segundo Ghosn, o complô foi armado quando a Nissan perdeu desempenho no início de 2017 e os executivos da fabricante japonesa entenderam que, para reduzir a influência da Renault na aliança com a Nissan, precisariam “se livrar” de Ghosn.

Ele foi acusado de ter usado irregularmente dinheiro da fabricante em benefício próprio, e apresentou documentos para embasar sua versão. Segundo ele, os japoneses o incriminaram por não ter declarado valores que ele ainda iria receber, o que é ilegal no Japão, porém uma infração fiscal menor em outros países.

Na entrevista Ghosn também reforçou que fugiu do Japão devido ao sistema jurídico local, que trata a presunção de inocência de forma “diferente” do ocidente, impede o interrogado de ser acompanhado por um advogado ou de receber orientações durante a investigação — daí o isolamento do suspeito. Ghosn não deu detalhes sobre sua fuga, pois isso traria problemas a quem o ajudou, mas reforçou que saiu tranquilamente de sua casa e que as autoridades japonesas sabiam que ele estava saindo de casa.

Agora, refugiado no Líbano, país do qual é cidadão (além do Brasil e da França), ele foi ouvido nesta última quarta-feira (8) em Beirute, que o convocou após a emissão de uma alerta vermelho da Interpol por parte do Japão. Ele teve que prestar esclarecimentos à justiça libanesa, que solicitou ao Japão o dossiê judicial de Ghosn, que agora também está proibido de deixar o Líbano.

Ghosn disse que espera um julgamento imparcial e que respeite seus direitos fundamentais como a presunção de inocência. Segundo ele, no Japão a taxa de condenação é superior a 99% e ele fugiu porque sabia que seria condenado pelo sistema local sem chance de se defender. (Leo Contesini)

 

Jeep confirma Renegade e Compass híbridos para o Brasil

Quase um ano depois de apresentar protótipos do Renegade e do Compass híbridos no Salão de Genebra,  a Jeep apresentou nesta terça (7) as versões de série da dupla de SUVs durante a CES em Las Vegas. Eles serão equipados com o novo motor Firefly 1.3 turbo de 180 cv que traciona as rodas dianteiras, enquanto na traseira há um motor elétrico de 60 cv. A potência combinada total é de 240 cv. Há também uma versão do Renegade com motor a combustão de 130 cv e potência combinada de 190 cv.

Esses são os primeiros modelos da linha 4xe da Jeep, anunciada na semana passada, e a fabricante já confirmou durante a CES que o Renegade e o Compass híbridos virão para o Brasil, mesmo sendo produzidos em Melfi, na Itália. Como sua modelos híbridos, eles serão isentos de imposto de importação e receberão redução no IPI.

Tanto o Renegade quanto o Compass são híbridos tipo plug-in, portanto podem ter as baterias carregadas na tomada para rodar apenas com propulsão elétrica. A autonomia no modo elétrico é de 50 km e a velocidade máxima fica limitada a 130 km/h. O tanque de gasolina foi reduzido de 48 litros para 39 litros, o volume do porta-malas sofreu redução de 15 litros. Essas mudanças foram necessárias para poder acomodar as baterias.

A FCA prevê que o Renegade e o Compass 4xe cheguem com preço abaixo de R$ 200.000. Apesar da novidade, o Renegade não será o primeiro SUV compacto híbrido do Brasil — o Lexus UX 250h chegou antes em 2019 e custa a partir de R$ 173.490. O Compass concorrerá com o Toyota RAV4 Hybrid que parte de R$176.990. Os híbridos da Jeep se diferenciam desses concorrentes japoneses por serem do tipo plug-in e podem rodar apenas com o motor elétrico se o motorista quiser. (Eduardo Rodrigues)

 

BMW anuncia que não irá participar do Salão do Automóvel em São Paulo

A BMW anunciou que não irá participar do Salão Internacional do Automóvel de 2020, em São Paulo. Segundo o fabricante, estão avaliando a presença em eventos do tipo e está “explorando novas plataformas e formatos alternativos”. A BMW diz que em 2020 vai “reforçar o engajamento com mais experiências individualizadas e ofertar mais test-drives”. A divisão de motos da BMW já havia anunciado em 2019 a retirada do Salão Duas Rodas.

A saída de fabricantes de salões pelo mundo é um fenômeno que cresceu durante a última década, no Salão de São Paulo de 2018 a PSA, a Volvo, a Land Rover e a Jaguar optaram por não participar. A Mercedes-Benz, Audi e a BMW não participaram do Salão de Detroit de 2019, um dos mais importantes do mundo, e a Volvo anunciou globalmente que o fabricante não participará mais desses eventos.

Os fabricantes justificam as decisões dizendo que o público mudou e está mais engajado em redes sociais. No exterior os fabricantes buscam cada vez mais promover seus carros através de influenciadores, que nem sempre são do ramo automobilístico mas são populares. Outa mudança na última década foi a maior presença de fabricantes automotivos em eventos de tecnologia, como a CES onde aconteceu o lançamento da linha híbrida da Jeep.

Os salões automotivos viraram relíquias do passado para os fabricantes, que cada vez mais buscam se associar com tecnologia e fugir da antiga imagem dos carros associados a objetos mecânicos — o que é compreensível do ponto de vista comercial. O Salão de São Paulo está confirmado para o período entre os dias 12 e 23 de novembro e será realizado no São Paulo Expo. (Eduardo Rodrigues)

 

Volkswagen Amarok com motor V6 mais potente será lançada em breve

Como já se tornou regra, é possível prever lançamentos nacionais observando o que acontece na Argentina. A bola da vez é a nova Amarok com motor V6, apresentada nesta semana aos hermanos. Com o sobrenome Black Style, a picape média ganhou um bom aumento de potência no motor turbodiesel de três litros, que foi de 224 cv para 258 cv.

A picape começará a ser vendida na Argentina em março de 2020, e tudo indica que sua estreia no Brasil não deve demorar muito mais. Com a importância cada vez maior do segmento das picapes médias, a Volks não quer ficar atrás da Toyota Hilux, cuja versão GR Sport, equipada com um V6 a gasolina de 234 cv, tem lançamento marcado para fevereiro. Pelo visto, a Volkswagen não quer que os japoneses tenham a picape média mais potente do mercado por muito tempo.

A chegada da nova Amarok ainda não foi confirmada oficialmente, mas é bem provável, considerando que a Volks planeja uma onda de grandes lançamentos para 2020, incluindo os esportivos Polo e Virtus GTS, os SUVs Nivus e Tarek e, possivelmente, até mesmo os Golf Mk8 GTI e GTE como modelos de nicho. (Dalmo Hernandes)

 

Toyota vai fabricar peças para os Supra A70 e A80

Mais uma fabricante decidiu voltar a fabricar peças para seus clássicos. Depois da Nissan, que desde 2017 produz peças para os Skyline GT-R R32, R33 e R34; e da Mazda, que voltou a fabricar peças para o MX-5 Miata de primeira geração; a Toyota anunciou nesta semana que vai produzir componentes para os Supra de terceira e quarta geração – A70 e A80, para quem curte códigos – através de sua divisão GR Heritage Parts.

Eles não disseram exatamente quais peças vão ser feitas – isto vai depender da demanda do público. Mas tudo é possível: segundo a Toyota, já está disponível um formulário para que os proprietários digam quais são as peças de que precisam. Os componentes que tiverem mais demanda serão colocados de volta na linha de produção. Ou seja: se a gente se organizar, talvez eles voltem a fabricar todas as peças. E aí, vamos poder montar nossos Supra Mk3 e Mk4 em casa.

Ok, esta última parte provavelmente não vai acontecer. (Dalmo Hernandes)

Cullinan aumenta vendas da Rolls-Royce em 25%

Como esperado, um SUV ajudou a aumentar as vendas da Rolls-Royce em 2019, levando os números a um patamar recorde na história da fabricante. Pela primeira vez em seus 116 anos a Rolls-Royce atingiu a marca de 5.000 unidades, chegando aos 5.125 exemplares vendidos em um ano. O mais surpreendente é que destes 5.125 carros, 40% eram o SUV Cullinan — o que corresponde a pouco mais de 2.000 carros.

Além disso, o SUV trouxe novos clientes à marca. Clientes que não se interessavam pelo Phantom ou pelo Ghost e suas variações, aparentemente esperavam apenas um SUV da Rolls-Royce para começar a olhar para a marca.

A Rolls-Royce não detalhou quais foram os mercados que mais compraram seus carros, mas como se trata de um SUV opulento e caríssimo, é seguro afirmar que há mais Cullinan no Oriente Médio e na China que em qualquer outra região do planeta. (Leo Contesini)

Matérias relacionadas

Pedágios mais caros em rodovias federais, Golf SportWagen desembarca no Brasil, Shelby GT350 na pista, um Peugeot de 500 cv e mais!

Leonardo Contesini

Porsche Cayman GT4 poderá usar flat-6 do GT3, Ferrari 360 é destruída em acidente em SP, traficantes usavam Fusion para enviar maconha aos EUA e mais!

Leonardo Contesini

Giocattolo Group B: fibra de carbono, Kevlar e um V8 de 300 cv atrás dos bancos

Dalmo Hernandes