A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Notícias

Koenigsegg apresenta na China os primeiros motores sem comando de válvulas

Você deve lembrar de quando falamos que no futuro o motor de seu carro não usará comandos de válvulas. Se não lembra, ele está neste link. Pois bem… o futuro chegou. E os primeiros carros a abandonar as boas e velhas árvores de cames são… chineses!

Sim. A FreeValve AB apresentou no Salão de Pequim, em parceria com os chineses da Qoros, os primeiros motores a adotar a tecnologia de atuadores pneumáticos eletro-hidráulicos (PHEA) de controle de válvulas. Batizados Qamfree, eles irão equipar os modelos da marca premium chinesa nos próximos anos, começando pelo hatchback Qoros 3.

IMG_2334

Como explicamos anteriormente, a tecnologia PHEA da Freevalve permite um maior controle das válvulas admissão e exaustão dos motores resultando em melhor eficiência em termos de potência e consumo, e também menos emissões  nocivas. Além disso, por não usar comandos tradicionais, o cabeçote do motor pode ser mais compacto e também mais leve, o que ajuda a reduzir o peso e o centro de gravidade.

Segundo a FreeValve AB (que funciona dentro da Koenigsegg, mas não é a Koenigsegg), no motor 1.6 turbo da marca chinesa o sistema resultou em 47% mais potência, 45% mais torque e consumo 15% menor que na versão deste mesmo powertrain equipada com comandos convencionais. O motor Qamfree produz 230 cv e 32,5 mkgf.

Nós já explicamos detalhadamente como o sistema funciona, mas desta vez a FreeValve produziu um vídeo explicativo. Em vez de balancins e árvores de cames agora há atuadores pneumáticos-eletro-hidráulicos no comando das válvulas. Com eles, cada válvula pode ser controlada individualmente e pode ter qualquer tipo de variação em sua abertura e fechamento, incluindo o fechamento completo para desativação de cilindros.

[vimeo id=”145498720″ width=”620″ height=”350″]

Ao eliminar as árvores, o sistema também dispensa o uso de polias e correias/correntes de sincronização, o que reduz a carga sobre o virabrequim e também o espaço ocupado pelo motor no cofre. Sendo mais radical, o motor pode dispensar até mesmo a borboleta do acelerador. A simples adoção do PHEA reduziu o peso do motor Qamfree 1.6 turbo em 20 kg.

Apesar do anúncio, o motor Qamfree ainda precisa passar por alguns testes antes de ser colocado em produção. A próxima etapa envolve a avaliação do motor em grandes frotas, mas o motor já está muito perto de ganhar o mercado.

qoros-qamfree-engine-2

O controle eletrônico de válvulas não é exatamente uma novidade: a BMW já tinha algo semelhante em seu sistema Valvetronic, que era capaz de controlar a marcha lenta do motor com a variação da abertura das válvulas. Além da BMW, os carros de F1 já usavam molas pneumáticas no trem de válvulas para evitar a flutuação em altas rotações e minimizar os riscos de quebra de motor.

O sistema da FreeValve, contudo, é o primeiro a controlar cada válvula individualmente de forma tão abrangente. Segundo Christian von Koenigsegg, a estreia do motor Qamfree poderá ser algo tão marcante quanto a transição do carburador para a injeção eletrônica.

 

Matérias relacionadas

Mercedes-AMG está preparando um super sedã de quatro portas com mais de 600 cv

Leonardo Contesini

Esta mulher quebrou o para-brisa de um carro estacionado sob o sol para salvar um bebê trancado

Dalmo Hernandes

Autódromo de Goiânia está fechado por falta de verba para manutenção

Leonardo Contesini