A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Notícias

Mercedes AMG GT R e Golf GTI Clubsport S quebram novos recordes em Nürburgring

Estamos a menos de 25 dias do ano que vem, mas 2016 não para de nos surpreender. Nesta semana, quando o ano automotivo já parecia estar desacelerando para as festas de fim de ano, Mercedes e Volkswagen decidiram quebrar novos recordes em Nürburgring Nordschleife.

Em maio deste ano o Golf GTI Clubsport S foi ao Inferno Verde com pneus slick para tentar destronar o Honda Civic Type R que, na época, era o carro de tração dianteira mais rápido no Nordschleife. Os alemães foram, viram e venceram: o Golf cravou 7:49,21 ao longo dos 20.600 metros do Traçado Norte.

golf_gti_clubsport_s_6096

No final de outubro, contudo, o clima estava mais propício para estabelecer recordes e a Volkswagen voltou a Nürburg com o GTI Clubsport S, desta vez com pneus sulcados, e superou seu próprio recorde, com uma volta de 7:47,19 — uma redução de 2,02 segundos, que mostra como a temperatura do asfalto influencia o desempenho dos carros.

A marca publicou nesta última quarta-feira (7) o vídeo completo, com cronômetro, acelerômetro, relógio e velocímetro sobrepostos para referência.

O GTI Clubsport S tem 310 cv e 38,7 mkgf de torque (estes, já disponíveis a 1.700 rpm), que são sufucientes para levá-lo aos 100 km/h em 5,8 segundos — 0,7 segundo mais veloz que o GTI comum de 220 cv. O único câmbio disponível é o manual de seis marchas. A carroceria de duas portas ajuda a economizar peso, para o que também contribuem a remoção do banco traseiro e do ar-condicionado.

O outro recorde foi estabelecido pelo Mercedes-AMG GT R, a versão mais radical do esportivo (ao menos até agora), com motor V8 4.0 biturbo de 585 cv e 71,2 mkgf, câmbio de embreagem dupla de sete marchas e 90kg a menos que o AMG GT S. A volta foi feita com o carro em sua especificação original de fábrica, que usa apêndices aerodinâmicos para aumentar a downforce/reduzir a sustentação e também usa um sistema de esterçamento das rodas traseiras, que tornam o carro mais ágil nas curvas.

D304477-770x472

Com o novo esportivo, a Mercedes redimiu o AMG GT S, que completou a volta com modestos 7:35 em um teste conduzido pela revista Autoweek no início deste ano, ficando atrás do Porsche 911 que estavam na mira da AMG durante o desenvolvimento do esportivo.

Em testes conduzidos pela revista Sport Auto, o 911 Turbo S fez a volta em 7:35, o GT3 em 7:32 e o GT3 RS em 7:28.   Com o Mercedes-AMG GT R a revista completou a volta em impressionantes 7:10,92 — uma diferença abissal de 24 segundos para o 911 Turbo S e 17 segundos para o GT3 RS. Na verdade, o AMG GT R superou até mesmo o Porsche 918 Spyder testado pela revista em 2014, que conseguiu a marca de 7:13 como seu melhor tempo, embora o recorde oficial do hipercarro seja de 6:57, cravados pela própria fabricante em 2013.

De qualquer forma, o recorde do AMG GT R o coloca no quarto lugar geral entre os carros produzidos em série, ficando atrás apenas do Porsche 918 Spyder, do Lamborghini Aventador SV (6:59,73) e do Nissan GT-R Nismo (7:08,68). Note que todos os três modelos que estão à frente do Mercedes têm tração integral, o que significa que o AMG GT R agora é o carro de tração traseira mais rápido do Inferno Verde.

Matérias relacionadas

Este acidente com um Lamborghini Huracán a a 315 km/h é a coisa mais assustadora que você vai ver hoje

Dalmo Hernandes

Esse cara pegou 30 anos de cadeia por fazer um “test drive” de 3.500 km e duas semanas em um Porsche Panamera

Dalmo Hernandes

Aos poucos, diesel será banido das grandes metrópoles

Leonardo Contesini