A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Mercedes apresenta o A35 AMG de 306 cv, Ferrari confirma sucessora da LaFerrari e seus planos até 2022, McLaren Senna estará no Salão do Automóvel e mais!

Este é o Zero a 300, nossa rica mistura das principais notícias automotivas (ou não) do Brasil e de todo o mundo, caro car lover. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere com a gente!

 

Mercedes-AMG apresenta seu novo modelo de entrada, o A35 AMG

6965cbed-mercedes-amg-a35-4matic-18

Depois dos teasers e de um “vazamento” de imagens oficiais a Mercedes-AMG revelou seu novo modelo de entrada, o Mercedes-AMG A35. Ele será posicionado abaixo do A45 e é a resposta da AMG ao Audi S3 e ao BMW M140i — além de concorrer indiretamente com o Civic Type R, Golf R e Renault Megane RS.  

41c796e7-mercedes-amg-a35-4matic-26

Na linha da Classe A, o novo A35 AMG será posicionado entre o A250 4Matic e o futuro A45 AMG. Por isso ele também é equipado com o motor 2.0 turbo (M260) porém em uma variação de 306 cv, preenchendo a imensa lacuna de potência que havia entre o A250 (224 cv) e o A45 (385 cv). Apesar de ser o AMG menos potente dos últimos 20 anos, como comentei ontem, ele tem somente 4 cv a menos que o primeiro Classe C com motor V8, o C43 de 310 cv de 1998. Isso significa que o hot hatch pode acelerar de zero a 100 km/h em 4,7 segundos e seguir até os 250 km/h limitados eletronicamente. 

66c17941-mercedes-amg-a35-4matic-8

Contrariando a regra dos modelos de entrada da AMG, este A35 tem o mesmo câmbio de sete marchas e embreagem dupla do A45 AMG, conectando o motor às quatro rodas pelo sistema 4Matic, aqui recalibrado para a finalidade esportiva do hatch. Além disso, ele também tem reforços estruturais para aumentar a rigidez à torção na dianteira. 

619b6093-mercedes-amg-a35-4matic-16

A suspensão também é da AMG, e usa componentes de alumínio e uma manga de eixo dianteira compartilhada com o futuro A45 AMG. Opcionalmente os clientes poderão equipá-lo com o sistema de suspensão adaptativa de três modos. A caixa de direção também foi modificada pela AMG com uma relação mais direta. O sistema de freios usa pinças de quatro pistões e discos de 350 mm na dianteira, e pinças de um pistão e discos de 330 mm na traseira. As rodas têm 18 polegadas. 

Esteticamente o A35 tem um discreto splitter frontal, grade exclusiva (porém não o modelo Panamericana dos demais AMG), para-choques traseiro com difusor e um spoiler no teto. No lado de dentro, o volante AMG tem a base plana, bancos com revestimento couro, quadro de instrumentos com programação exclusiva da AMG e, claro, o sistema multimídia compondo a tela dupla que se tornou o padrão dos Mercedes. 

O modelo fará sua estreia mundial no Salão de Paris, em 2 de outubro, e começa a ser vendido no final do mês. Ao Brasil, ele deve chegar somente em 2019. 

 

Ferrari confirma sucessora da LaFerrari e divulga seus planos para os próximos quatro anos

97886775-ferrari-teaser-e1537285808340

 

Como falamos mais cedo no post do lançamento das novas Ferrari Monza SP1 e SP2, a Ferrari organizou nesta semana seu evento anual para divulgação de resultados financeiros e planos para os próximos anos. É esta segunda parte que nos interessa, pois é quando os futuros lançamentos e sua estratégia de mercado são antecipados de forma oficial pela marca.

A primeira mudança, já esperada, é a hibridização dos modelos da marca. A Ferrari diz que até 2022 60% de sua linha terá um powertrain híbrido e que estes modelos serão mais prazerosos de dirigir enquanto reduzem as emissões de CO2. 

Outra mudança na marca é que ela irá adotar quatro segmentos de veículos, algo como a McLaren já faz com suas séries (Sport, Super e Ultimate). Sport, Gran Turismo, Special Series e Icona são as subdivisões da Ferrari. 

d05e4416-ferrari-capital-markets-day-3-768x428

A linha Sport será composta pelos atuais modelos de motor central-traseiro, com desempenho voltado para as pistas. A Ferrari diz que podemos esperar uma dupla de modelos de motor central-traseiro, ambos híbridos até 2021. Um destes modelos certamente irá receber o powertrain híbrido que vimos em testes nesta semana e outro deverá ser a nova Ferrari Dino, que vem sendo especulada há alguns anos. Evidência disso é que a marca confirmou que terá um motor V6 de 400 cv, que parece ideal para o novo modelo.

b1c666da-ferrari-capital-markets-day-13-768x419

A linha Gran Turismo será voltada ao conforto, como um GT deve ser. A Ferrari diz que os modelos combinarão estilo, elegância e emoção ao dirigir. Entre os modelos deste segmento estão a 811 Superfast, a GTC4Lusso e, futuramente, seu crossover Purosangue, que já chegará com o powertrain híbrido. Haverá ainda um novo modelo com foco na elegânica e design inspirado pelas Ferrari GT dos anos 1950 e 1960. 

518b61fa-ferrari-capital-markets-day-7-768x425

A Special Series irá incluir os modelos especiais produzidos em série limitada. Eles terão “visual extremo” e serão “mais potentes que os carros nos quais são baseados”. Aparentemente é aqui que se encaixará a sucessora da LaFerrari e versões mais radicais de modelos de série, como foi a 599 GTO, por exemplo. Sobre a sucessora da LaFerrari, aliás, já foi confirmada pela marca, porém a única menção sobre o projeto dizia que ela será híbrida e terá aceleração mais rápida que a LaFerrari. O mínimo que se espera de qualquer nova geração. 

d63451cf-ferrari-capital-markets-day-15-768x425

No topo estará a linha Icona, que terá “Ferraris icônicas reinterpretadas com materiais inovadores e tecnologias que são o estado-da-arte”. Ou seja: modelos inspirados no passado baseados em plataformas modernas, caso das Monza SP1 e SP2. 

Além destas quatro séries, a Ferrari também anunciou que irá abrir um estúdio de personalização em Nova York, batizado Tailor Made, e também irá aumentar a rede de concessionárias. O que também irá aumentar, segundo a própria Ferrari, é o preço médio de venda dos carros, mas não com a elevação dos preços dos carros, e sim pelo aumento da linha de produtos, que terá opções mais “premium”. A Ferrari espera lançar mais 15 novos modelos entre 2019 e 2022.

 

Royal Enfield lança modelo com inspiração na clássica Flying Flea da Segunda Guerra no Brasil

unnamed

A Royal Enfield lançou nesta semana a edição limitada Pegasus no Brasil. O modelo é baseado na Classic 500 e é inspirado nas Royal Enfield Flying Flea, usadas pelo exército britânico durante a Segunda Guerra Mundial. Elas eram equipadas com suporte de para-quedas e lançadas dos aviões cargueiros do Royal Army. 

Serão feitas apenas 1.000 unidades da moto, das quais 60 serão oferecidas no Brasil por R$ 25.000. Todas elas são verdes com o banco marrom ou marrom com o banco preto, e têm temática militar, como numeração de veículo no tanque, o emblema “Made like a gun, e o pégaso da divisão de paraquedistas do Royal Army (daí seu nome) enquanto escape, rodas, pedal de partida e moldura do farol são pintados de preto fosco. 

royal-enfield-pegasus-01

Por ser um modelo limitado, os interessados na moto deverão fazer uma reserva no site oficial da Royal Enfield no Brasil a partir desta quarta-feira (19). 

 

McLaren Senna será exposto no Salão do Automóvel

McLarenSenna

A McLaren anunciou nesta semana que trará ao Salão do Automóvel uma unidade do seu mais recente supercarro, o Senna. O modelo já deu as caras por aqui na inauguração da primeira concessionária da marca no Brasil, em São Paulo, mas foi exibido somente a convidados e visitantes da loja.

90MC_D007 Hiroshi_Kaneko

No Salão, ele será exposto pela primeira vez ao público brasileiro, e estará ao lado de uma unidade do MP4/5 #27 usado por Senna no GP da Itália de 1990. O exemplar do Senna que será exposto no Salão é uma das 500 unidades que serão produzidas — e já estão todas vendidas. Três delas foram compradas por clientes brasileiros por cerca de R$ 8 milhões cada, e devem chegar ao Brasil somente em 2019.

 

Toyota confirma acidente com airbag “explosivo” da Takata no Brasil

2014-toyota-corolla-steering-wheeljpg

Depois do acidente envolvendo um Honda com os airbags defeituosos na Bahia, a Toyota agora confirmou que um de seus modelos envolvidos no mega-recall de airbags da Takata também sofreu um acidente semelhante, no qual fragmentos do componente foram lançados contra os ocupantes. 

A apuração é do portal G1, que noticiou o primeiro caso na semana passada. Logo após, a Honda confirmou que houve outros 28 acidentes envolvendo veículos com o aribag defeituoso, no qual fragmentos do deflagrador foram lançados. Com este novo caso da Toyota, são 30 acidentes com os airbags “mortais” da fornecedora japonesa.

De acordo com a Toyota, o acidente ocorreu com um Corolla 2002 que não foi submetido à substituição do componente, e, felizmente, não causou lesões nos ocupantes. 

Matérias relacionadas

Nürburgring vai substituir Interlagos no WEC, ronco falso do Mustang pode tocar notas musicais, os 35 anos do Mercedes Classe G e mais!

Leonardo Contesini

Fiat inicia produção do motor 1.3 turbo GSE no Brasil, versão de produção do novo Honda Civic vaza na China, Jeep Grand Wagoneer é revelado e mais

Dalmo Hernandes

Range Rover SV Autobiography no Brasil por mais de R$ 1 milhão, Stock Car na Operação Lava Jato, Grand Cherokee Hellcat sem disfarces e mais!

Leonardo Contesini