A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Carros Antigos Projetos Gringos

Na Holanda dos anos 1970, a polícia andava de Porsche 911 – e este aqui está à venda!

Quando se pensa em carros de polícia bacanas, logo vêm à mente as viaturas de Dubai, que vão de BMW M5 a Bugatti Veyron, ou os clássicos Police Interceptor americanos. Mas que tal algo mais clássico, como um Porsche 911 de primeira geração, por exemplo? Pois era exatamente este o caso da polícia rodoviária holandesa, que na década de 1970 usava o 911 Targa para patrulhar as vias expressas do país. Trabalho ruim, este, hein?

OK, o Porsche 911 não era o único carro que a chamada Rijkspolitie, a Polícia Nacional holandesa, utilizava em suas patrulhas. Eles também tinham sedãs mais comuns, furgões e utilitários. E, na verdade, o Nine-Eleven era usado apenas por uma divisão rodoviária especial criada em 1962, Algemene Verkeers Dienst, ou AVD (Departamento Geral de Tráfego).

911-policia (4)

“Então eles usavam o 911 para perseguir rachadores e criminosos em fuga? Animal!” Bem, talvez isto acontecesse de vez em quando, mas a razão era outra. Em seu primeiro ano de atuação, a AVD encomendou à Porsche alguns exemplares do Porsche 356, adotando o 911 Targa alguns anos depois. Os carros sem teto eram usados para oferecer maior visibilidade aos agentes, além de permitir que um dos policiais ficasse em pé dentro do carro e dar instruções a outros motoristas.

Não é de se estranhar, vindo de uma organização policial que mantém ursos de pelúcia em cada uma de suas viaturas, caso precisem atender a uma ocorrência com uma criança (é sério).

E é claro que eles poderiam usar outros conversíveis, mas talvez gostassem mais do 911 — tanto que o esportivo alemão continuou sendo usado pela AVD até 1993, tornando-se um símbolo da polícia rodoviária holandesa.

Os carros, naturalmente, eram modificados para uso pela polícia. O sistema elétrico recebia fios extras para a instalação de equipamentos de comunicação, um alto-falante era posicionado sob a tampa do motor e um giroflex azul era instalado na coluna central. Os carros também recebiam faróis auxiliares, luz de neblina na traseira e dois retrovisores extras — um interno e um externo, do lado do passageiro (o 911 não vinha de série equipado com um).

911-policia (6) 911-policia (5)

No lugar do banco traseiro havia uma caixa de madeira com vários equipamentos utilizados pelos policiais: um par de algemas, luzes de emergência, etilômetro, uma câmera fotográfica, marcadores brancos (como aqueles usados para demarcar a cena de um crime) e uma placa de “PARE”. Também encontravam-se ali dentro triângulos de sinalização, extintor de incêndio, itens de primeiros socorros, algumas lâmpadas extras, chave de roda e folhetos educativos.

foto antiga

O carro em questão foi entregue à AVD em novembro de 1974 e, como todo Porsche 911 de polícia, era branco com interior de couro preto. A “Certidão de Nascimento” (que é como a Porsche chama o documento que acompanha todo carro que sai da linha de montagem) diz também que o carro tinha um flat-6 de 2,7 litros e 150 cv, e que foi equipado com o espelho retrovisor opcional do lado do passageiro, barras estabilizadoras dianteira e traseira (de 20 mm e 18 mm, respectivamente), faróis auxiliares amarelos e luz de neblina. Quando era usado pela polícia, o Porsche 911 era chamado pelo código “Alex 12.85”.

911-policia (2)

Não se sabe quanto tempo durou sua carreira a serviço da lei, mas o fato é que, depois de aposentado, o carro teve todos os seus acessórios removidos foi vendido a um civil. Não há registros a respeito do que aconteceu com o carro desde então (não publicamente, ao menos). No entanto, em 2015, “Alex 12.85” passou por uma restauração completa, que incluiu não apenas a recuperação mecânica, mas também seu retorno às especificações policiais usando componentes NOS (new old stock).

911-policia (7) 911-policia (3)

Entre 1962 e 1993, cerca de 500 Porsche 911 foram comprados pela Polícia Nacional da Holanda, sendo que apenas umas poucas dezenas sobrevivem até hoje, aposentadas. E apenas cinco exemplares foram entregues em 1974, fazendo de “Alex 12.85” um carro bastante raro. No próximo dia 9 de outubro ele será leiloado pela Bonhams durante o evento “The Zoute Sale”, em Bruxelas, na Bélgica. A casa de leilões espera arrecadar algo entre € 95-145 mil, ou cerca de R$ 430-650 mil em conversão direta.

Matérias relacionadas

Galpão? Que nada! Estes clássicos foram encontrados esquecidos em um velho castelo

Leonardo Contesini

Este Ford Mustang 1965 tem tração integral original de fábrica

Dalmo Hernandes

WOW! Um legítimo Camaro Yenko S/C à venda!

Dalmo Hernandes