FlatOut!
Image default
Zero a 300

Nova VW Amarok estreia ainda neste ano, Alpina B8 é revelado com 621 cv, Salão do Automóvel não acontece antes de 2022 e mais


Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco!

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Nova geração Volkswagen Amarok será apresentada em 2021

A Volkswagen confirmou nesta semana que a nova geração da Amarok será revelada ainda em 2021. A picape média passará a ser feita sobre a mesma base da Ranger e será produzida pela Ford na África do Sul. É irresistível comparar a situação com a antiga (e fracassada) Autolatina, mas aqui não se trata de fusão. A Amarok by Ford é mais uma forma de conter custos no desenvolvimento de uma nova geração e de aproveitar a capacidade de produção da fábrica sul-africana para abastecer o mundo todo.

A Volkswagen aproveitou a ocasião para divulgar um novo rascunho da picape – desta vez, com proporções mais verossímeis que o monster truck da projeção anterior. Ficou mais fácil imaginar a versão de produção – e percebe-se que a identidade visual da Amarok será influenciada pelos outros utilitários da Volkswagen, com linhas mais horizontais e grade com barras iluminadas.

É de se imaginar que a picape a ser revelada ainda neste ano seja o conceito – a versão de produção, só deve aparecer em 2022, certamente terá estilo menos radical.

 

Alpina B8 é revelado com motor de 621 cv

Como de costume, todo bom BMW tem sua versão Alpina – e o Série 8 acaba de ganhar a sua. O Alpina B8 pode ser visto como o BMW M8 para quem não quer um BMW M8, e sim algo mais exclusivo e elegante, feito sobre o Série 8 Gran Coupé com carroceria de quatro portas. Porém com a mesma força, ou quem sabe até um pouquinho mais.

No caso do B8, o motor V8 biturbo de 4,4 litros é uma versão anabolizada do motor do M850i. Entrega 621 cv e 81,5 kgfm de torque – mais que os 600 cv e 76,4 kgfm do M8. É o bastante para que o Alpina B8 vá de zero a 100 km/h em 3,4 segundos, com velocidade máxima de 323 km/h.

O motor do Alpina B8 tem um sistema de arrefecimento cerca de 50% maior que o original BMW, mas a preparadora não diz quais foram as modificações feitas para ganhar mais potência – de todo modo, não deve ter sido muito mais que uma reprogramação na ECU, retrabalho de fluxo e outros ajustes menores. O câmbio automático de oito marchas foi reforçado e recalibrado para aproveitar melhor a força extra com menos desgaste.

Além do motor, a Alpina também fez mudanças na suspensão, que foi recalibrada em todos os modos de direção; no sistema de direção, a fim de melhorar as respostas; e nos freios, com pinças azuis de quatro pistões da Brembo e discos de 395 mm na frente e 398 mm atrás.

É claro que a Alpina daria ao B8 seus toques estáticos clássicos: suas famosas rodas de 20 raios, agora com 21 polegadas; e o emblema Alpina no para-choque dianteiro, desta vez feito com a ajuda de um túnel de vento para ter o mínimo efeito sobre a aerodinâmica.

Por dentro o destaque fica pelos revestimentos das portas com barras iluminadas, pelo design exclusivo nos gráficos do painel, e pelo acabamento de couro Merino nos bancos.

 

Salão do Automóvel de São Paulo não será realizado antes de 2022

Uma notícia triste, porém previsível: o Salão do Automóvel de São Paulo não deve acontecer neste ano. De acordo com a agência Auto Data, a Reed Exhibitions, organizadora do evento já está discutindo possibilidades para a edição de 2022, mas o futuro do Salão ainda é incerto.

Ainda segundo a agência, a Anfavea também não está otimista em relação ao Salão do Automóvel. Ainda havia a possibilidade de o evento acontecer em 2021, mas a falta de dinheiro em caixa e os problemas que a setor enfrenta com falta de componentes e concessionárias fechadas tornam inviável a realização do Salão neste momento.

Apesar de a pandemia agravar a situação, a crise que envolve o Salão do Automóvel é anterior ao vírus. No início de 2020, o evento foi cancelado porque a maior parte das fabricantes optou por não comparecer – ação justificada com o alto custo envolvido, que por sua vez não traz muito retorno.

 

 

Chevrolet Equinox agora é vendido em versão única

Enquanto aguarda uma reestilização que já está atrasada, o Chevrolet Equinox perde versões e será vendido em uma única configuração – a Premier 1.5 Turbo. No site da Chevrolet ainda constam as três versões oferecidas até o momento: LT 1.5 Turbo (R$ 150.740), Premier 1.5 Turbo (R$ 178.900) e Premier 2.0 Turbo (R$ 189.140). A Chevrolet diz que novo preço da versão 1.5 Turbo será divulgado em abril, mas os colegas do Mobiauto dizem que ela custará R$ 170.290.

Além da pouco comum redução no preço, a decisão da Chevrolet é curiosa por outra razão: a versão Premier Turbo 1.5 é a menos vendida – a variante com motor 2.0, o mesmo do Chevrolet Camaro nos EUA, foi a que fez mais sucesso no Brasil: de acordo com o site, ela respondeu por 77,8% dos emplacamentos do Equinox em 2020, com 3.745 exemplares. O Equinox Premier 1.5 Turbo, por sua vez, teve apenas 411 exemplares emplacados.

 

Toyota GR86 pode ficar potente que o Subaru BRZ

Enquanto a segunda geração do Subaru BRZ já foi revelada, a versão da Toyota – que deve se chamar GR86 – ainda vai demorar um pouco. Mas, pelo que dizem os japoneses do site Best Car Web, é por uma boa razão: o presidente da Toyota, Akio Toyoda, quer que ele seja mais potente e que sua dinâmica seja perceptivelmente diferente. Não duvidamos, já que o Sr. Toyota é notório entusiasta (e dono do único Toyota Century GR Sport em existência).

Acredita-se que o GR86 terá, portanto, um acerto diferente no motor boxer de 2,4 litros fornecido pela Subaru, e poderá entregar um pouco mais que os 230 cv e 25,3 kgfm de torque previstos para o BRZ.

O que nos faz colocar um grão de sal na notícia é o Supra, que na versão de quatro cilindros tem seus 258 cv. O GR 86 não pode chegar tão perto do Supra, então dificilmente sua potência passará dos 240 cv, caso ele realmente seja mais forte que o BRZ. Ajustes no chassi, porém, são perfeitamente possíveis e podem mesmo fazer a diferença entre os gêmeos.

 

Dodge Charger e Challenger ganham sistema anti-furto que o deixa com 3 cv

Com o V8 supercharged de pelo menos 700 cv debaixo do capô, a linha Hellcat da Dodge é uma das favoritas não apenas dos entusiastas, mas também dos ladrões de ocasião e manobristas esperando uma chance de dar aquela esticada clandestina.

Para coibir esse tipo de contravenção, a Dodge implementa ao Charger e ao Challenger com motor Hellcat um novo sistema anti-furto que funciona como uma chave de manobrista extremamente restritiva: o motorista define um código de quatro dígitos que deve ser inserido em uma tela no sistema multimídia do carro antes de sair. Caso o código não seja colocado corretamente, a potência do motor é limitada a 3 cv e o torque, a 3 kgfm. Com isto, das duas uma: ganha-se tempo para capturar o fugitivo, ou ele desiste da ideia.

O sistema, porém, é compatível com outras versões de Charger e Challenger, e não apenas as que têm motor Hellcat. Os proprietários só precisam ir até uma concessionária para a instalação do software atualizado – de graça.

 

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora