A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture

O Porsche 911 se tornou mesmo um esportivo enorme e pesado ao longo dos anos?

Você talvez tenha visto esta imagem comparando os Porsche 911 de primeira e última geração circulando nas redes sociais. Nós topamos com ela em alguns grupos de leitores do FlatOut e, logo de cara, notamos que havia algo errado com esta imagem.

Ela vem sendo usada para ilustrar como o Porsche 911 se tornou um monstro abrutalhado ao longo de seus mais de 50 anos de estrada. Bem, de certa forma isso é verdade, mas a imagem que está rolando pela internet é completamente manipulada.

Captura de Tela 2016-12-23 às 20.01.15

Como também notou o pessoal da revista Road & Track, esta imagem faz parte de uma série de fotos divulgadas pela própria Porsche em 2014, na ocasião dos 50 anos do 911. A ideia era, logicamente, mostrar como o carro se manteve fiel às suas origens ao longo de todas estas décadas enquanto seus rivais mudaram substancialmente.

Porsche 911 Carrera 4S Coupé und Porsche 911 2.0 Coupé (Baujahr 1964)

Mas também foi uma mão na roda para photoshoppers preguiçosos e mal intencionados, que substituíram o 991 sem nenhuma preocupação com a escala do carro ou ângulo da foto, fazendo-o parecer um SUV do 911 ao lado do diminuto clássico. A foto, claro, viralizou.

 

O aumento do porte e do peso dos carros, contudo, é acima de tudo uma necessidade para a evolução dos modelos. A menos que você mantenha o carro estagnado em tecnologia, segurança e desempenho, o aumento das dimensões e do peso é apenas uma consequência de suas novas capacidades.

Porsche 911 Carrera 4S Coupé und Porsche 911 2.0 Coupé (Baujahr 1964)

Em 1964 o Porsche 901 foi lançado com entre-eixos de 2,21 metros, 4,29 metros de comprimento, 1,70 metro de largura e 1,30 de altura. Contudo, na época a posição do motorista era bem próxima do para-brisa (que, aliás, era pouco inclinado, prejudicando a penetração aerodinâmica), os bancos quase encostados, com pouco espaço para os ombros.

autowp.ru_porsche_911_2.0_coupe_us-spec_3x991-Anniversary-interior.jpg.pagespeed.ic.itGPKj5Qpf

Ao longo dos anos o para-brisa ficou mais inclinado para melhor aerodinâmica — o que exigiu o deslocamento dos bancos para trás, algo que por si exigiria o aumento da distância entre-eixos.

Contudo, esta medida também precisou ser aumentada quando a potência do 911 começou a aumentar exponencialmente com os motores de maior cilindrada e, mais tarde, com a chegada do turbo. Para obter mais aderência o 911 ganhou pneus maiores, a transferência lateral de peso aumentou, e para manter o equilíbrio dinâmico foi preciso aumentar gradualmente as bitolas.

Porsche 911 Carrera 4S Coupé und Porsche 911 2.0 Coupé (Baujahr 1964)

Bitolas mais largas, por sua vez, demandam um aumento da distância entre os eixos, algo que alongou gradualmente o 911 ao longo de suas gerações. Em 1969, quando o motor 2.7 deu as caras, o entre-eixos aumentou para 2,27 m. Em 1998, quando os motores arrefecidos a água entraram em cena, o entre-eixos saltou para 2,35 m. Em 2011, quando o 911 chegou ao seu auge dinâmico o entre-eixos foi alongado em mais 10 cm, chegando aos 2,45 metros.

Além disso, o Porsche 901 de 1964 era um carro espartano, sem direção assistida, sem servo-freio, com freios traseiros a tambor e nenhum tipo de reforço estrutural para tornar a carroceria mais rígida à torção ou a impactos. Somente agora, nesta segunda década do século 21 é que estamos começando a construir monoblocos com materiais leves e de alta resistência. Antes disso a resistência à torção dependia de uma maior quantidade de material.

Compressor de ar-condicionado, radiadores, intercoolers, alternadores mais potentes, bombas e sistemas hidráulicos também demandam espaço, bem como um sistema de tração integral e um câmbio automático. Isto também aumenta o peso, afetando a dinâmica, que precisa buscar o equilíbrio no redimensionamento do carro em si, resumidamente.

Porsche 911 Carrera 4S Coupé und Porsche 911 2.0 Coupé (Baujahr 1964)

Como resultado, os Porsche 911 mais modernos são, de fato, carros maiores — mas não tanto quanto os detratores querem fazer parecer. Parte das medidas extra se deve ao aumento do espaço interno e da própria evolução do carro e elas nem são tão maiores assim: em 50 anos e seis gerações ele ficou apenas 20 cm mais longo, 10 cm mais largo, ganhou 24 cm no entre-eixos e manteve sua altura nas casas decimais mais próximas do 1,30 metro.

Porsche 911 Carrera 4S Coupé und Porsche 911 2.0 Coupé (Baujahr 1964)

A impressão de um porte insanamente maior se deve especialmente às rodas, que têm 20 polegadas no 991 e tinham apenas 15 polegadas no 911 original — um aumento necessário para abrigar discos de freio estupidamente imensos, necessários para contrariar a pegada dos 400-500 cv do esportivo.

Portanto, quando alguém tentar te convencer de que o Porsche 911 se tornou praticamente um Cayenne perto de um 911 original, seja novamente o cara que irá derrubar os mitos. O Porsche 911 tem exatamente o tamanho que ele deve ter. Nem um centímetro a mais, nem um a menos.

Matérias relacionadas

Quando a Porsche usou transmissões da Mercedes

Leonardo Contesini

O Renault Clio mais potente da Argentina é um bólido de rali com 285 cv e motor… Honda!

Dalmo Hernandes

A história de Nelson Piquet contada por ele mesmo… em uma escola de Brasília

Leonardo Contesini