A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Car Culture Top

Os carros mais legais para comprar gastando entre R$ 35 mil e R$ 45 mil

Perguntamos a nossos leitores que carros eles comprariam gastando entre R$ 35 mil e R$ 40 mil. Um deles disse que esta é a “faixa de preço favorita dos entusiastas”. Será que é isto mesmo? Confira na lista que montamos a partir das sugestões de vocês!

Honda Civic Si

2009 Honda Civic Si Sedan

A aceitação do Civic Si como um dos melhores esportivos já fabricados no Brasil é quase unânime entre os entusiastas. Ele já foi o nacional mais potente do mercado, com seu motor K20 de dois litros, 16 válvulas, comando variável i-VTEC e 192 cv a 7.800 rpm. Some a isto o comportamento dinâmico impecável para um carro de tração dianteira, o corte de giro a 8.400 rpm, o belo ronco e a mecânica confiável e você tem um belo jeito de gastar R$ 45 mil.

Volkswagen Jetta Variant

top-35-45 (5)

Até pouco tempo atrás a Volkswagen oferecia em sua linha uma perua com motor 2.5 de cinco cilindros e 170 cv, com câmbio Tiptronic de seis marchas — o carro perfeito para levar a família com estilo e conforto. Existem alguns exemplares com o mesmo motor e 150 cv (a VW aumentou a potência com uma reprogramação da ECU e pequenas alterações), mas estes são raros. Com R$ 45 mil é possível comprar um Jetta Variant anterior à reestilização de 2010, que deixou o carro parecido com o Golf de sexta geração.

Fiat Punto T-Jet

top-35-45 (6)

Um dos responsáveis pelo revival dos hot hatches turbinados, o Punto T-Jet pode ter perfumaria demais para o gosto de alguns, mas é inegável o potencial para diversão de seu motor 1.4 16v turbinado de 152 cv. É possível encontrar exemplares de 2009, ano do lançamento, bem conservados e pouco rodados, na faixa dos R$ 38 mil. Ou você pode esperar pelo 500 Abarth…

BMW 120i

top-35-45 (2)

Com muita, muita paciência (e um pouco de insistência), dá para encontrar um BMW 120i usado por R$ 45 mil. Primeira versão do Série 1 a ser oferecida no Brasil, em 2005, o 120i traz motor 2.0 16v de 150 cv.. Apesar de não ser um modelo esportivo, o desempenho satisfaz — 0 a 100 km/h em pouco mais de 9 segundos e máxima de 213 km/h e tração traseira garantem diversão em um hatch tão bem equipado como um Série 3.

Mazda MX-5 Miata

top-35-45 (12)

Para quem quer um carro compacto, de tração traseira e a céu aberto, o aniversariante Mazda MX-5 pode ser uma opção. Importado oficialmente para o Brasil nos anos 90, o roadster japonês é raro e quase estoura nosso limite de orçamento. Além disso, as peças não são muito fáceis de encontrar, o que pode exigir que você traga componentes de fora. Por sorte, não faltam peças para ele nos EUA. Se você tem bala na agulha e contatos no exterior, vá em frente e nos chame para dar uma volta!

Volkswagen Golf GTI

top-35-45 (8)

A sétima geração do Golf, lançada no Brasil no segundo semestre de 2013, pode estar anos-luz à frente, mas o modelo anterior ainda tem seus admiradores. A última leva, conhecida como “Golf 4,5”, passou do ponto, mas retinha a boa dirigibilidade, espaço interno e qualidade de acabamento que fez da quarta geração do Golf um sucesso nacional e mundial. Em 2007, foi lançado o derradeiro Golf GTI nacional, com motor 1.8 20v com turbo e intercooler capaz de desenvolver 193 cv quando abastecido com gasolina de alta octanagem, acoplado a um câmbio manual de cinco marchas (ou transmissão Tiptronic, também de cinco marchas, opcional). O visual por dentro e por fora estava cansado, mas o desempenho agradava: o a 100 km/h em 7,8 segundos e máxima de 228 km/h. Era um carro caro na época, custando R$ 91.500, mas hoje pode ser encontrado por menos da metade deste valor.

Suzuki SX4

top-35-45 (11)

O SX4 é um hatch feito pela Suzuki em parceria com a Fiat (que o vende na Europa como Sedici). Ele tem tração integral, suspensão elevada e porte robusto, e por isso há quem prefira chamá-lo de crossover. Classificações à parte, o SX4 tem competência para enfrentar piso ruim, é relativamente bem equipado e tem motor 2.0 16v de 135 cv. O sistema de tração integral é adaptativo, e pode-se até mesmo direcionar 100% do torque para as rodas dianteiras. Lançado em 2009 no Brasil, o SX4 pode ser encontrado por cerca de R$ 40 mil no mercado de usados.

Peugeot 206 CC

top-35-45 (9)

Como o próprio nome denuncia o 206 CC (Coupé Cabriolet) é meio cupê, meio conversível. O teto rígido de aço tem um prático sistema de acionamento automático e possibilita que você viaje a céu aberto em um carro que, mecanicamente, é idêntico ao 206 hatch com motor 1.6 16v — o que significa que ele tem 110 cv. Acelerando de 0 a 100 km/h em 11,2 segundos, com máxima de 193 km/h, ele não é exatamente rápido, mas tem um visual interessante e é um dos conversíveis mais acessíveis do mercado.

Subaru WRX

3583hero

E se disséssemos que, com R$ 40 mil, já dá para entrar no mundo dos carros turbinados de tração integral? Com esta grana, você consegue um Subaru Impreza WRX bug eye — aquele, com faróis redondos. O boxer 2.0 entrega 218 cv a 5.600 rpm e 29,8 mkgf de torque a 3.600 rpm, o câmbio é manual de cinco marchas, e o conjunto acelera de 0 a 100 km/h abaixo dos 7 segundos, com máxima beliscando os 230 km/h — tudo isto com estabilidade de sobra. Com sorte, você ainda acha a versão perua.

Audi S3

top-35-45 (7)

O Audi A3 de primeira geração, mesmo na versão aspirada, já é um carro bacana. Imagine, então, do que o S3 é capaz. O “S” significa que o hatch é um esportivo com motor 1.8 turbo de 20 válvulas — como o do Golf GTI, mas com um turbocompressor mais capaz, dois intercoolers e 225 cv, acoplado à transmissão manual de seis marchas. O sistema quattro de tração integral garante toda a aderência necessária enquanto se alcança os 100 km/h em 6,6 segundos com máxima de 243 km/h. Um S3 2003 custa cerca de R$ 40 mil e, se você procurar bem, poderá encontrá-lo neste belo tom de amarelo.

Matérias relacionadas

Rusty Slammington, o BMW Série 5 “rat rod” mais famoso do mundo, está de volta no SEMA Show 2015

Dalmo Hernandes

Os pocket rockets mais legais que se pode comprar em 2018 (e que não temos por aqui…)

Dalmo Hernandes

A vez dos leitores no Top Comments do FlatOut!

Leonardo Contesini