A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Zero a 300

Os novos Mercedes GLB e GLS, BMW i8 Roadster chega por R$700.000, um Lotus elétrico de 1.000 cv e mais!

Bom dia, caros leitores! Bem-vindos ao Zero a 300, a nossa rica mistura das principais notícias automotivas do Brasil e de todo o mundo. Assim, você não fica destracionando por aí atrás do que é importante. Gire a chave, aperte o cinto e acelere conosco.

O Zero a 300 é um oferecimento do Autoline, o site de compra e venda de veículos do Bradesco Financiamentos. Nesta parceria, o FlatOut também apresentará avaliações de diversos carros no canal de YouTube do Autoline – então, clique aqui e se inscreva agora mesmo (e não esqueça de ativar o sininho)!

 

Mercedes-Benz apresenta “conceito” GLB na China…

Seguindo seu roteiro padrão de lançamentos, depois dos teasers a Mercedes agora apresentou o “conceito” do novo GLB no Salão de Xangai. Como seu nome indica, ele será o SUV da Classe B, posicionado entre o GLA e o GLC, porém ganhou um visual mais retangular, inspirado na Classe G.

Diferentemente do GLA, que tem uma pegada mais dinâmica, o GLB terá foco na versatilidade e no espaço interno, o que explica sua terceira fileira de bancos, que inclui mais dois lugares além dos cinco convencionais, e seu perfil retangular, com uma linha de teto plana até a extremidade traseira.

O interior — painel, portas e bancos — é compartilhado com os demais modelo das Classes A e B: o quadro de instrumentos é integrado à tela do controle multimídia para formar o sistema MBUX, dotado de assistente virtual capaz de responder a comandos básicos de voz.

Apesar de ser chamado de conceito, este será o visual final do GLB. Esse é um daqueles conceitos feitos a partir do modelo de produção em série — a fabricante instala um conjunto óptico mais elaborado, materiais e detalhes refinados, rodas e pneus especiais e dá a ele um ar de estudo de design. Por isso, tenha certeza de que o GLB não será muito diferente: basta imaginá-lo com as rodas dos atuais GLA ou GLC.

Aliás, a derivação da Classe A significa que ele terá motor transversal — o 2.0 turbo de 190 cv no GLB220, o mesmo 2.0 com  224 cv no GLB250, e uma variação de 306 cv no GLB35 AMG — com tração nas quatro rodas (4Matic variando a distribuição de 80% para a dianteira e 20% para traseira até 50% para cada eixo), mas terá câmbio automatizado de oito marchas e embreagem dupla banhada em óleo, em vez da versão de sete marchas dos demais modelos de sua Classe. Ainda não se sabe se ele terá a versão GLB45 AMG.

A versão de produção deverá ser apresentada em setembro, no Salão de Frankfurt, e ele deverá chegar às lojas em seguida, já como modelo 2020.  (LC)

 

… e também o novo GLS, seu SUV de topo

Enquanto o conceito do GLB era apresentado na China, a Mercedes também revelou a nova geração do GLS, o modelo de topo de sua linha de SUVs. Como seus antecessores, apesar da letra S sugerir que ele tem alguma relação com a Classe S, ele continua baseado no GLE, porém adota um entre-eixos mais longo e um visual próprio, agora inspirado na nova linguagem de design da marca.

Por dentro sua relação com o GLE fica mais explícita, uma vez que ele tem o mesmo design interno, com as quatro saídas de ar centralizadas, abaixo da tela integrada ao quadro de instrumentos que compõe o sistema MBUX, e uma seleção de materiais que justificam a letra S em seu nome.

A mudança também o deixou mais espaçoso: o entre-eixos é 6 cm mais longo e agora mete 3,14 metros — 10 cm mais longo que o do BMW X7, seu principal rival. As opções de motorização são as mesmas do GLE: o novo seis-em-linha híbrido M256 de três litros e dois turbos, auxiliado por um motor elétrico de 48 volts instalado entre o bloco e o câmbio, capaz de produzir 367 cv entre 5.550 e 6.100 rpm na versão GLS450 (com 22 cv extras temporariamente na função overboost), ou 435 cv a 6.100 rpm na versão GLS53 AMG (também com 22 cv extras no overboost), que será apresentada futuramente. Ambos serão equipados com o câmbio automático de nove marchas.

Além disso, futuramente ele será equipado com o motor V8 biturbo de quatro litros para a versão GLS63 AMG e para uma eventual GLS550 Maybach.

 

BMW i8 Roadster chega ao Brasil por R$ 700.000

Atração no estande da marca no Salão do Automóvel, o BMW i8 Roadster entrou ontem (15) em pré-venda no Brasil. O esportivo híbrido de motor central-traseiro custa R$ 699.950 – R$ 700.000, na prática.

Assim como a versão cupê, o BMW i8 Roadster é movido por um motor três-cilindros turbo de 1,5 litro, mais dois motores elétricos, um em cada eixo. É o suficiente para entregar 374 cv e 42 kgfm de torque, moderados por uma transmissão automática de seis marchas Aisin. O conjunto leva o BMW i8 de zero a 100 km/h em 4,6 segundos, com máxima limitada em 250 km/h.

Os clientes que encomendarem o BMW i8 na pré-venda receberão, além do carro, o carregador de parede BMW i Wallbox, necessário para carregar as baterias na garagem de casa. A oferta também vale para o BMW i8 Coupé, que custa R$ 649.950, ou exatamente R$ 50.000 a menos que o roadster. As entregas começam no segundo semestre. (DH)

 

Lotus irá lançar hipercarro elétrico de 1.000 cv ainda neste ano

A Lotus anunciou no Salão de Xangai que finalmente está preparando um novo modelo: um hipercarro elétrico que será apresentado ainda neste ano. O modelo dará início à renovação da marca agora que ela foi comprada pelos chineses da Geely.

Chamado provisoriamente de Type 130 (seu código de projeto), ele deverá ganhar um nome começado com E para manter a tradição da marca. Segundo a Lotus, ele será o modelo “com o melhor desempenho dinâmico da história da marca” e representa “uma virada na marca, uma vez que irá representar tudo o que a Lotus é capaz de fazer”.

Apesar da relação com a Geely, o esportivo não usará o powertrain elétrico da marca, tampouco irá compartilhar tecnologias com a Volvo ou a Polestar. Em vez disso, ele usará um sistema elétrico desenvolvido pela Williams, com quem a Lotus estabeleceu uma “parceria técnica estratégica”, e poderá ter 1.000 cv. Vale lembrar que a Williams desenvolve as baterias dos carros da Fórmula E, o que significa que a Lotus poderá adotar sistemas elétricos de baixo peso para manter a filosofia criada por Colin Chapman há 70 anos.

Por ora, ainda não há uma imagem oficial do carro — apenas o teaser da Lotus. Contudo, o site britânico Auto Express divulgou uma projeção baseada em suas apurações sobre o design do carro, que tem uma certa semelhança com o conceito Esprit de 2010. A apresentação do esportivo está prevista para o final deste ano, em um evento a ser realizado em Londres. (LC)

 

Chery confirma cinco modelos elétricos e um híbrido para o Brasil

A CAOA Chery anunciou, no Salão de Xangai, seu plano para expandir a atuação no mercado de híbridos e elétricos no Brasil. Foram anunciados cinco novos modelos movidos puramente a bateria, além de um novo SUV híbrido. O objetivo, segundo a companhia, é oferecer alternativas mais acessíveis ao público que deseja abandonar a combustão interna. Atualmente, a opção mais barata no Brasil é o JAC iEV40, que custa R$ 139.900 – praticamente o dobro do modelo tradicional do qual deriva, o T40.

A Chery ainda não deu detalhes sobre quais modelos pretende lançar no Brasil, mas adiantou que dois deles chegarão até 2020 – um elétrico e um híbrido. A marca ainda não disse quais, mas uma boa aposta para o elétrico seria uma versão elétrica do sedã Arrizo 5. Mesmo que custe o dobro da versão a gasolina, que parte de R$ 65.000, o carro ainda poderá ser mais barato que o JAC iEV 40 – e a ideia é justamente oferecer o carro elétrico mais barato do Brasil.

O híbrido, ao que tudo indica, será o SUV Tiggo 7, que atualmente é vendido com um motor 1.5 turbo de 150 cv em duas versões – T, de R$ 106.990; e TXS, de R$ 116.990. Um Tiggo 7 híbrido, custando por volta de R$ 150.000, seria a solução mais lógica e prática.

Os outros quatro elétricos deverão chegar ao Brasil até 2022, mas a companhia não comenta as possibilidades. O plano da CAOA Chery é, inicialmente, importar os componentes elétricos da China e montar os carros no Brasil, para conter custos. A partir de 2022, a produção deverá ser totalmente nacional. (DH)

 

Renault apresenta Kwid elétrico em Xangai

A Renault revelou hoje (16) no Salão de Xangai o City K-ZE, uma versão elétrica do Kwid. O hatch foi apresentado como um crossover urbano elétrico com autonomia de 250 km pelo padrão europeu NEDC e capaz de recarregar 80% das baterias em 50 minutos. Em uma tomada doméstica de 220v ele carrega completamente em quatro horas.

O City K-ZE difere do nosso Kwid principalmente pela frente redesenhada, usando faróis mais finos e grade que segue mais o estilo europeu da Renault. No interior ele é diferenciado apenas pelo painel digital e pelo seletor circular no console central. O Kwid elétrico chinês também usa quatro parafusos de fixação nas rodas e é mais baixo que o brasileiro, com vão livre de 15 cm contra o de 18 cm do nosso “SUV dos compactos”.

A Renault do Brasil não confirmou se a versão elétrica vem para o Brasil, mas o fabricante tem planos de expandir sua linha de elétricos no país, que começou com o Zoe no início de 2019. O estilo do City K-ZE pode também inspirar uma futura reestilização do Kwid brasileiro. (ER)

 

Aston Martin (finalmente) apresenta o Rapide E, seu sedã elétrico

Quatro anos depois de apresentar a versão conceitual do Rapide E, a Aston Martin revelou hoje, no Salão de Xangai, a versão de produção de seu sedã elétrico. No lugar do motor V12 de seis litros normalmente utilizado pelo Rapide, o carro traz um conjunto de baterias de íon de lítio, bem como algumas delas no lugar do transeixo traseiro – no total, são mais de 5.600 células.

O Rapide E é movido por dois motores elétricos, um para cada roda traseira, capazes de gerar 448 kW (609 cv) de potência e 96,8 kgfm de torque – o bastante para levar o carro de zero a 100 km/h em menos de quatro segundos, com máxima limitada em 250 km/h. A Aston Martin também apresentou um carregador de 100 kWh que, pelo que diz a companhia, garante 500 km de autonomia com uma hora de recarga.

De acordo com a Aston Martin, a arquitetura elétrica de 800 volts do Rapide E (mesma capacidade do Porsche Taycan) garante uma entrega de desempenho linear e constante, sem qualquer tipo de prejuízo independentemente do uso. A fabricante afirma que o Rapide E é capaz de dar uma volta completa em Nürburgring Nordschleife sem queda de desempenho.

O Rapide elétrico passou por algumas modificações externas em relação à versão com motor a combustão interna. A grade dianteira, por exemplo, ganhou um novo padrão do tipo favo-de-mel que, segundo a Aston Martin, ajuda a melhorar a eficiência aerodinâmica do carro – mesma função que cumprem as chapas que cobrem o assoalho e as rodas, que no Rapide E possuem desenho exclusivo.

Serão feitas apenas 155 unidades do Aston Martin Rapide E, mas a fabricante britânica já adianta que suas tecnologias em breve serão vistas em outros modelos elétricos. (DH)

 

Nissan lança edição comemorativa do 370Z

A primeiro Z-car da Nissan, o 240Z – também conhecido como S30 – foi lançado em 1969. Para comemorar os 50 anos, a fabricante criou uma edição especial do veterano 370Z que, naturalmente, se chama 370Z 50th Anniversary Edition. O carro será apresentado ao público ainda nesta semana, durante o Salão de Nova York, mas a fabricante já divulgou fotos e informações.

Praticamente o mesmo desde o lançamento, em 2007 – 12 anos atrás – o Nissan 370Z 50th Anniversary Edition recebeu uma pintura especial inspirada no 240Z da Brock Racing Enterprises, mais conhecido como BRE 240Z. Com ele, a equipe venceu o campeonato de construtores da Trans-Am Series, organizado pelo SCCA (Sports Car Club of America), em 1971, mostrando que os japoneses conseguiam fazer carros de corrida capazes de vencer os americanos e europeus. Em essência, foi o BRE 240Z quem deu início à tradição dos japoneses nas pistas.

Disponível em branco com detalhes vermelhos ou prata com detalhes pretos, o 370Z especial traz um padrão de listras semelhante ao que se via no BRE 240Z, exceto que naquele carro as cores eram azul e vermelho. A edição também traz rodas com lip vermelho no aro, emblemas alusivos ao cinquentenário e acabamento interno com detalhes em couro e suede. O 370Z 50th Anniversary Edition também vem com sistema de som Bose, emblema “50th Anniversary” no conta-giros e insertos de cromo escuro no habitáculo.

O motor, como de costume, é o V6 de 3,7 litros com 337 cv e 37,3 kgfm de torque, acoplado a uma caixa manual de seis marchas (amém!) com sincronização automática nas reduções. Também é possível encomendá-lo com câmbio automático de sete marchas, mas os deuses da velocidade provavelmente não gostariam que você fizesse isto. Com qualquer uma das transmissões, o 370Z 50th Anniversary Edition possui diferencial de deslizamento limitado.

As vendas começarão no fim deste mês. (DH)

Matérias relacionadas

Volkswagen envolvida em nova polêmica, Porsche 911 híbrido terá modo elétrico, BMW Série 8 Gran Coupé flagrado e mais!

Leonardo Contesini

Rat look espontâneo: este Fusca split window 1953 Zwitter carrega a pátina de décadas a fio

Juliano Barata

Ford terá Edge ST, drama da McLaren-Honda vira minissérie na internet, Land Rover restaura seu primeiro protótipo perdido e mais!

Leonardo Contesini