A revista semanal dos entusiastas | jorn. resp. MTB 0088750/SP
FlatOut!
Image default
Pergunta do dia

Qual é o carro de corrida mais improvável já feito?

Abrimos o dia de hoje com Chris Harris acelerando (com direito a várias curvas feitas de lado) o Bentley Continental GT3-R, versão “depenada” de um dos grandes cupês de luxo vendidos atualmente, o Continental GT, inspirado no Bentley Continental GT3 que participa da Blancpain Endurance Series. O vídeo nos fez pensar o quanto é estranho ver um Bentley transformado em um carro de corrida e, em uma daquelas situações em que uma coisa leva a outra, surgiu a pergunta: que outros carros de corrida improváveis já foram feitos?

Vamos explicar melhor: o Bentley Continental GT definitivamente não foi criado para ser um carro de corrida — desde que o nome Continental começou a ser usado pela marca, em 1952, os modelos batizados com ele são enormes grand tourers de luxo equipados com motores que, apesar de grandes e potentes, não foram feitos para virar tempos em autódromo ou vencer provas de arrancada.

bentley_r-type_continental_sports_saloon_by_mulliner_30

O primeiro Bentley Continental, de 1952

Desde então a família Continental se dividiu em duas: de um lado, o Continental Flying Spur, sedã de extremo luxo que hoje é chamado de Flying Spur e equipado com um W12 biturbo de seis litros e 624 cv, e o Continental GT, cupê que foi lançado em 2003 e não mudou muito nem mesmo com a chegada de sua segunda geração. O fato é que todo Bentley moderno é um carro que beira as 2,5 toneladas e não é exatamente a primeira opção quando alguém decide fazer um carro de corrida (ou de arrancada…). Na verdade, temos quase certeza de que em 99,9% dos casos, ele nem é uma opção (a menos que você seja esse cara).

bentley_continental_gt_2

Acontece que, como já vimos em um dos primeiros posts da nossa série Lendas de Le Mans, a história da Bentley é intimamente ligada ao automobilismo e, logo entre seus primeiros triunfos nas pistas, lá nos anos 20, está uma bela sequência de vitórias nas 24 Horas de Le Mans — algo que só foi repetido novamente quase oito décadas depois, quando o Bentley Speed 8 venceu a edição de 2003 da corrida em La Sarthe. Então, dez anos depois, a Bentley decidiu retornar ao automobilismo com o Continental GT3.

492552015_640

O carro, equipado com um V8 biturbo de quatro litros com potência limitada a cerca de 500 cv (para ficar de acordo com o regulamento do FIA GT3), foi revelado no Goodwood Festival of Speed em 2013. A Bentley garante que removeu tudo o que acrescentava peso sem melhorar o desempenho, e isto incluiu quase todo o acabamento do interior, diversos sistemas elétricos e mais de 50 módulos eletrônicos.

O resultado? Um carro que, apesar dos 1.300 kg (cerca de 50 kg a mais do que a média entre a concorrência, que inclui caras como Ferrari 458 Italia, Lamborghini Huracán e Audi R8), foi capaz de vencer duas corridas em 2014 — em Sebring e Paul Ricard.  O fato de ter vencido é só um detalhe — o que conta é que é preciso ser meio louco para correr de Bentley.

mercedes-benz_amg_300_sel_6.3_race_car_6

Agora, não foi a primeira vez que alguém correu com um carro que não foi feito para isto. Como já contamos aqui, antes de se tornar a preparadora oficial da Mercedes-Benz, a AMG era uma equipe de corridas, e seu carro de estreia não poderia ser mais improvável: um Mercedes-Benz 300 SEL, que estava no topo da linha da Mercedes em 1971.

mercedes-benz_amg_300_sel_6.3_race_car_17 mercedes-benz_amg_300_sel_6.3_race_car_12

 

A AMG preparou o motor, um V8 de 6,8 litros, para entregar 438 cv e, apesar de trocar alguns componentes de aço da carroceria por peças de alumínio para reduzir peso, ainda manteve itens como direção hidráulica, suspensão a ar e quase todos os acabamentos do interior, incluindo a madeira no painel e os carpetes. O carro de 1.635 kg chegou em segundo lugar nas 24 Horas de Le Mans de 1971 nas mãos de Hans Heyer e Clemens Schickentanz, e colocou a AMG no mapa.

O carro que aparece no vídeo é uma réplica feita pela própria AMG. O carro original está desaparecido desde os anos 1970

Mas nós não nos referimos apenas a carros de luxo: há vários casos de carros populares, frugais e lentos, foram transformados em monstrinhos para a pista. Lembra da Stock Hatch, com compactos europeus como o Citroën Saxo e o Peugeot 106? E dos Trabant de corrida? Há diversos exemplos, e por isso queremos saber: qual é o carro de corrida mais improvável já feito? Você já sabe: a caixa de comentários está aberta e esperando suas sugestões!

Matérias relacionadas

Quais são as coisas que os carros perderam (ou estão perdendo) de que você sente mais falta?

Dalmo Hernandes

Que carro saiu de linha sem deixar sucessor e você gostaria de ver de volta?

Dalmo Hernandes

Gêmeos não-idênticos: quais são os carros de marcas diferentes que são “iguais” por baixo da carroceria?

Dalmo Hernandes