FlatOut!
Image default
Car Culture Projetos Gringos

The Underdog: o Maverick de Sung Kang tem motor Ecoboost turbo 2.3 e bodykit Rocket Bunny. Polêmico?


Há algumas semanas, os gearheads brasileiros ficaram extasiados: como suspeitávamos, Sung Kang (o Han Lue de “Velozes e Furiosos”, para quem tem memória curta) decidiu que o sucessor de seu Datsun 240Z “FuguZ” seria um Ford Maverick 1972. Ele comprou o carro há cerca de três meses, e nós já demos uma primeira olhada no projeta. Mas isto já faz algum tempo. A quantas anda o projeto agora?

Como dissemos no último post, Sung escolheu o Maverick por algumas razões. Primeiro, ele dirigiu um exemplar no Brasil durante Fast Five. Segundo, ele se identifica muito com a reputação de “renegado” que o Maverick tem nos EUA – o “primo pobre” do Mustang não é, nem de longe, tão cultuado em sua terra natal como é por aqui. Por isto, o carro foi batizado como The Underdog, que, entre outras coisas, pode ser traduzido como “O Renegado”.

Até mesmo a escolha do motor parece refletir este conceito. Seria bacana ver o Maveco de Kang equipado com um motor Coyote de cinco litros, por exemplo, mantendo-se fiel ao deslocamento do Maverick GT V8 e ainda com pelo menos 420 cv de fábrica. Só que, para Sung Kang, isto seria o caminho fácil.

14359605_286181261763765_605615067_n

Kang diz que optou pelo motor Ecoboost 2.3 turbo, que equipa o Ford Focus RS e o Mustang, para aproximar o projeto da “nova escola” do tuning, que prefere os motores menores e sobrealimentados. Além disso, é o mesmo deslocamento dos quatro-cilindros utilizados pelo Maverick nos anos 1970 (e a mesma receita do Mustang Fox Turbo). Só que bem mais potente.

No Focus RS, o motor entrega 350 cv. Ainda não se fala a respeito da potência do Ecoboost no Maverick, mas uma foto no perfil de Kang no Instagram revela que ele terá um novo turbocompressor Garrett…

Kang diz que o maior problema com a adaptação é a altura do motor. Foi necessário fabricar suportes feitos sob medida. O carro foi todo escaneado a laser no SEMA Shop, o que facilitou a fabricação dos componentes nas medidas exatas.

13627248_1328775017147784_155588767099334462_n

Não falta quem diga que tal medida não seria necessária se o motor fosse um V8, mas esta nem é parte mais polêmica do Underdog.

14355170_1381581935200425_4807771207220267374_n

Antes de anunciar o projeto, Kang decidiu provocar todo mundo postando fotos de vários Maverick no Instagram, entre exemplares americanos e brasileiros – incluindo o lendário Maverick Berta da equipe Hollywood. Dá para ver que o astro andou estudando a história do carro. No entanto, ainda que seja possível ver influências clássicas no projeto, como o spoiler dianteiro, o visual do Underdog também terá ingredientes do JDM. Isto fica evidente pelos alargadores nos para-lamas, com rebites expostos – cortesia da Rocket Bunny, uma das customizadoras japonesas mais populares do momento.

14238199_1381575951867690_496071029069764056_n

Embora não seja nem um pouco fiel à tradição, não dá para dizer que ficou ruim, esteticamente falando. A combinação de carroceria branca e rodas pretas também ficou interessante, embora a gente preferisse outra cor. Afinal, o FuguZ já é branco! Ah, se fosse nosso…

De qualquer forma, ainda há alguns detalhes bacanas. Lembra de termos dito que há um dedo brasileiro no projeto? O Cidão, da Topolino’s Junkyard, enviou algumas peças para Kang – uma grade dianteira feita in-house e as lanternas da “fase 2”, que só existem no Brasil. Agora, as lanternas já estão instaladas:

14063236_180745412346074_1276684371_n

Na foto, uma delas, mas você entendeu

O Cidão nos contou que também enviou um console central brasileiro, que é diferente do modelo americano, para Dubai, onde está sendo feito o interior do Maverick. Provavelmente, a empresa responsável é a mesma que cuidou do interior de fibra de carbono do FuguZ, a CarbonSignal. Junto com o console, foi enviado também um par de dobradiças billet feitas exclusivamente para o projeto.

O canal Garage Monkeys, que está produzindo uma série no YouTube documentando o andamento do projeto, também já soltou o terceiro episódio. O carro não aprece muito, mas podemos acompanhar um pouco da história de Alexis Hernandez, um dos garotos que Sung Kang chamou para ajudá-lo.

Os três jovens aspirantes a mecânicos estão tendo uma oportunidade única de aprender com gente muito reconhecida no ramo, como os engenheiros da SEMA  (Specialty Equipment Market Association, organização que reúne diversas empresas do segmento de componentes automotivos). O SEMA Show 2016, maior feira de peças aftermarket do planeta, acontece daqui a dois meses, e o carro precisa ficar pronto a tempo de estrear no evento.

É claro que vamos continuar acompanhando. Até lá, diz aí: você aprova as escolhas mecânicas e estéticas de Sung Kang?

Este Uno 1.5R pode ser seu!

Participe!

Clique aqui e veja como

Compartilhe agora